A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
21 pág.
Ultrassonografia e cardiotocografia

Pré-visualização | Página 4 de 4

de sofrimento fetal grave, 
anemia fetal grave. 
- Cesária imediata. 
- Mesmo que a linha de base esteja 130 → por 
isso é tão importante a cardiotoco, 
dependendo da doença da paciente. 
 
 
 
Alterações da FCF – Acelerações: 
- É normal ter acelerações, que são aumentos de pelo menos 15 bpm por 15 segundos, principalmente quando há 
contração e movimento fetal. 
• Mov. Fetais e contrações 
• Amplitude 15bpm 
• Duração 15 segundos 
• Início: 20 semanas 
- Sinal de boa vitalidade → bebê que acelera quando mexe. 
 
 
- No exemplo ao lado, toda vez que tem uma 
contração, o batimento sobe. 
 
 
 
 
 
 
Alterações da FCF – Desacelerações: 
- O ideal é que não tenha desacelerações, que são as quedas do batimento abaixo de 110. 
• Periódicas: contrações 
DIP I, DIPII e DIP III (DIP – desacelerações intraparto) 
• Não periódicas 
Prolongadas 
 
18 Lara Maia – Obstetrícia – 2021.1 
➔ Desaceleração precoce, cefálica ou DIP I 
- Coincide com contração → a cada contração, diminui o fluxo sanguíneo para o bebê e ocorre queda do batimento 
cardíaco. O batimento deve voltar ao normal quando passa a contração. 
- O auge da contração coincide com o menor batimento cardíaco. 
Queda uniforme 
 
 
 
 
- Exemplo acima: no auge da contração ocorre o auge da queda do BCF. Assim que a contração vai embora, o bebê 
volta para sua linha de base normal. 
- Desaceleração normal, fisiológica e não indica sofrimento. 
 
 
➔ Desaceleração tardia ou DIP II: 
- Ocorre 20s ou mais após início da contração. 
- É um bebê que já estava sofrendo com o fluxo sanguíneo diminuído. Então, durante a contração, diminui ainda 
mais o fluxo sanguíneo, o bebê tem ainda mais hipoxia e dificuldade para retornar para sua linha de base. 
- Uniforme 
 
 
 
19 Lara Maia – Obstetrícia – 2021.1 
 
- Exemplo acima: o auge da contração não está mais coincidindo com o momento que o BCF está caindo. A contração 
está indo embora e o BCF ainda está baixo e demora mais para o bebê voltar para a sua linha de base. 
- Indica sofrimento fetal agudo. 
- Se a paciente estiver com 3cm e em trabalho de parto → indicação de cesária. 
 
 
➔ Desaceleração variável ou DIP III: 
- Início e formas variáveis 
- Queda abrupta 
- Está muito relacionada as compressões de cordão. 
 
 
 
- Cai independente de estar no 
auge da contração. Pode ser 
antes, pode ser depois. 
- Cai por compressão do cordão, 
que gera diminuição do fluxo, 
bradicardia e desaceleração. 
 
 
 
 
 
 
 
20 Lara Maia – Obstetrícia – 2021.1 
- O decúbito dorsal causa uma hipotensão 
materna. 
- O bebê tava normal. A paciente ficou em 
decúbito dorsal, fez hipotensão, ocorreu 
diminuição do fluxo sanguíneo para o bebê. 
- Quando a paciente ficou em DLE, o BCF 
voltou. 
- O posicionamento da paciente é 
importante porque vai influenciar no 
resultado. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
- Categoria 1: normal 
- Categoria 2: variabilidade diminuída ou não teve aceleração com o movimento do bebê. Ou foi uma cardiotoco que 
gerou dúvida → pede para a paciente se alimentar e repetir o exame depois, pois pode ser algo temporário só 
porque ela estava em jejum prolongado. 
- Categoria 3: indiscutível → sofrimento fetal. 
 
 
 
 
 
 
21 Lara Maia – Obstetrícia – 2021.1 
 
 
 
 
 
 
 
 
- Cardiotoco 1: normal → feto que, provavelmente, não está sofrendo. 
- Cardiotoco 3: bebê com alto risco de ter uma hipoxia. Dependendo do contexto seja melhor realizar uma cesária 
ou um fórceps/vácuo. 
- Cardiotoco 2: talvez seja uma hipóxia, não tem como confirmar. O ideal é ajustar posicionamento, jejum e avaliar 
esse bebê novamente.