264_METEOROLOGIA_E_CLIMATOLOGIA_VD2_Mar_2006
1 pág.

264_METEOROLOGIA_E_CLIMATOLOGIA_VD2_Mar_2006

Disciplina:CLIMATOLOGIA1.208 materiais16.926 seguidores
Pré-visualização1 página
METEOROLOGIA E CLIMATOLOGIA
Mário Adelmo Varejão-Silva

Versão digital 2 – Recife, 2006

250

x = T

y = [ p ]
R/ (cpaMa) = p

286 (VI.12.1)

A vantagem operacional desse diagrama (Fig. VI.7) é que as isotermas, as isóbaras e as
adiabáticas secas são retas.

-70 -60 -50 -40 -30 -20 -10 0 10 20 30 40 oC

ISÓBARA ( mb)

1050
1000

900

800

700

600

500

400

300

IS
O

TE
R

M
A

( o
C

 )

ADIABÁTICA ( oK)

213

233

253

273

293

313

373
393

333

353

RA
ZÃ

O
 DE M

ISTUR
A SATURANTE ( g/kg)

0,1 0,5
1 2 3

4

40

5 10 20

30

PSEUDO-ADIABÁTICA

Fig. VI.7 - Esquema do diagrama de Stüve, ou pseudo-adiabático (MIN. DA
AERONÁUTICA, 1969).

13. Introdução ao uso de diagramas aerológicos.

Os diagramas aerológicos constituem um ferramenta de trabalho essencial àqueles que se
dedicam à interpretação gráfica dos processos termodinâmicos que ocorrem na atmosfera. Embo-
ra a tendência atual seja utilizar computadores no processamento das informações aerológicas, os
diagramas continuam sendo usados, inclusive porque, oferecendo uma visão de conjunto da situ-
ação reinante em cada camada da atmosfera, facilita o aprendizado. Aliás, exatamente por isso,
tem sido estimulado o uso das crescentes facilidades oferecidas pela computação gráfica, visando
ao desenvolvimento de programas que, além dos resultados numéricos, permitam aos computa-
dores emitir os correspondentes diagramas.