A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
25 pág.
Intr. à Erg. e Hig. 6 -10

Pré-visualização | Página 5 de 7

perceptivas daqueles que os
operavam, provocando erros, acidentes e mortes.
Como cada soldado ou piloto morto representava problemas
muito sérios para as Forças Armadas, estudos e pesquisas
foram iniciados por engenheiros, médicos e cientistas para
que projetos fossem desenvolvidos para modificar comandos
(alavancas, botões, pedais etc.) e painéis, além do campo
visual das máquinas de guerra.
Principais Fatores
PPRA– AULA 6
ERGONOMIA, HIGIENE E SEGURANÇA DO TRABALHO
1ª Fase - Assim, percebe-se uma primeira fase da ergonomia,
referente às dimensões de objetos, ferramentas e painéis de
controle dos postos de trabalho usados por operários. O
objetivo dos cientistas, nesta fase, concentrava-se mais ao
redimensionamento dos postos de trabalho, possibilitando um
melhor alcance motor e visual aos trabalhadores.
Fases da Ergonomia
PPRA– AULA 6
ERGONOMIA, HIGIENE E SEGURANÇA DO TRABALHO
2ª Fase - Numa segunda fase, a ergonomia passa a ampliar
sua área de atuação, confundindo-se com outras ciências, eis
que fazendo uso destas. Assim, passa o ergonomista a
projetar postos de trabalho que isolam os trabalhadores do
ambiente industrial agressivo, seja por agentes físicos (calor,
frio, ruído), seja pela intoxicação por agentes químicos
(vapores, gases, particulado sólido etc.).
Fases da Ergonomia
PPRA– AULA 6
ERGONOMIA, HIGIENE E SEGURANÇA DO TRABALHO
3ª Fase -Em uma fase mais recente (terceira fase), à época
da década de 80, a ergonomia passa a atuar em outro ramo
científico, mais relacionado com o processo COGNITIVO do
ser humano, ou seja, estudando e elaborando sistemas de
transmissão de informações mais adequados às capacidades
mentais do homem, muito comuns na informática e no
controle automático de processos industriais através de
SDCD’s (Sistema Digital de Controle de Dados).
Fases da Ergonomia
PPRA– AULA 6
ERGONOMIA, HIGIENE E SEGURANÇA DO TRABALHO
Por fim, na atualidade pesquisas mais recentes estão sendo
desenvolvidas nos campos da PSICOPATOLOGIA DO TRABALHO
e da ANÁLISE COLETIVA DO TRABALHO. Especificamente a
Escola Francesa de Ergonomia interessou-se por tais ciências
e as vem divulgando pelo mundo, inclusive no Brasil.
Pesquisas sobre Ergonomia
PPRA– AULA 6
ERGONOMIA, HIGIENE E SEGURANÇA DO TRABALHO
PSICOPATOLOGIA DO TRABALHO - Estuda as reações
PSICOSSOMÁTICAS dos trabalhadores e seu sofrimento
frente a situações problemáticas da rotina do trabalho,
principalmente levando em consideração que muitas destas
situações não são previstas pela empresa e muito menos
aceitas por elas.
Estudos sobre ErgonomiaEstudos sobre Ergonomia
18
PPRA– AULA 6
ERGONOMIA, HIGIENE E SEGURANÇA DO TRABALHO
ANÁLISE COLETIVA DO TRABALHO - Já a Análise Coletiva do
Trabalho estabeleceu um importante diálogo entre o
ergonomista e grupos de trabalhadores, que passam a
explicar livremente suas críticas, ideias e sugestões
relacionadas aos problemas que os fazem sofrer em seu
trabalho sem sofrer pressões por parte das chefias, o que é
essencial.
Estudos sobre Ergonomia
PPRA– AULA 6
ERGONOMIA, HIGIENE E SEGURANÇA DO TRABALHO
Verificamos que, algumas vezes, os postos de trabalho não
estão bem adaptados às características do operador, quer
quanto à posição da máquina com que trabalha, quer no
espaço disponível ou na posição das ferramentas e
materiais que utiliza em suas funções.
Para isso existe a ciência que avalia as condições de
trabalho do operador, medindo o esforço que o mesmo
realiza para executar as suas tarefas: a Ergonomia.
Estudos da Ergonomia
PPRA– AULA 6
ERGONOMIA, HIGIENE E SEGURANÇA DO TRABALHO
Exigência de esforço
físico intenso.
Agentes Ergonômicos
Exigência de esforço
físico intenso.
Agentes Ergonômicos
PPRA– AULA 6
ERGONOMIA, HIGIENE E SEGURANÇA DO TRABALHO
Levantamento e
transporte manual
de pesos.
Agentes ErgonômicosAgentes Ergonômicos
PPRA– AULA 6
ERGONOMIA, HIGIENE E SEGURANÇA DO TRABALHO
Postura inadequada
No exercícios da
funções.
Agentes ErgonômicosAgentes Ergonômicos
PPRA– AULA 6
ERGONOMIA, HIGIENE E SEGURANÇA DO TRABALHO
Exigências rigorosas
de produtividade.
Agentes ErgonômicosAgentes Ergonômicos
19
PPRA– AULA 6
ERGONOMIA, HIGIENE E SEGURANÇA DO TRABALHO
Períodos de trabalho
prolongados ou em
turnos.
Agentes ErgonômicosAgentes Ergonômicos
PPRA– AULA 6
ERGONOMIA, HIGIENE E SEGURANÇA DO TRABALHO
Movimentos repetitivos dos dedos, das mãos, dos pés, da
cabeça e do tronco produzem monotonia muscular e
levam ao desenvolvimento de doenças inflamatórias,
curáveis em estágios iniciais, mas complicadas quando não
tratadas a tempo, chamadas genericamente de lesões por
esforços repetitivos.
Riscos Ergonômicos Repetitivos
PPRA– AULA 6
ERGONOMIA, HIGIENE E SEGURANÇA DO TRABALHO
Estas doenças afetam diretamente os profissionais, a seguir:
• Bancários
• Metalúrgicos
• Costureiras
• Telefonistas
• Operadores informáticos
• Pianistas
• Empacotadores
Principais doenças Ergonômicas
PPRA– AULA 6
ERGONOMIA, HIGIENE E SEGURANÇA DO TRABALHO
Contra os males provocados pelos agentes ergonômicos, a
melhor arma é a prevenção, o que pode ser obtido a partir
de:
1. Rotação do pessoal.
2. Intervalos mais frequentes.
3. Exercícios compensatórios frequentes para trabalhos 
repetitivos.
4. Exames médicos periódicos.
Agentes Ergonômicos
PPRA– AULA 6
ERGONOMIA, HIGIENE E SEGURANÇA DO TRABALHO
Outros fatores de risco ergonômico podem ser encontrados
em circunstâncias aparentemente impensáveis, como:
• Falhas de projeto de máquinas.
2. Equipamentos, ferramentas, veículos e prédios.
3. Deficiências de layout.
4. Iluminação excessiva ou deficiente.
5. Uso inadequado de cores.
Riscos Ergonômicos
PPRA– AULA 6
ERGONOMIA, HIGIENE E SEGURANÇA DO TRABALHO
A análise e intervenção ergonômica traduzem-se em:
• Melhores condições de trabalho.
• Menores riscos de incidente e acidente.
• Menores custos humanos.
• Formação com o objetivo de prevenir.
• Maior produtividade.
• Otimizar o sistema homem/máquina.
Adaptação Ergonômica
20
PPRA– AULA 6
ERGONOMIA, HIGIENE E SEGURANÇA DO TRABALHO
1. Corpo em movimento – redução dos músculos e tendões.
2. Precisão de movimentos – ter atenção a sua amplitude, e
quais membros a utilizar.
3.Rapidez dos movimentos – salientar sinais visuais e
auditivos.
4.Esforço estático – uma cadeira de ter vários pontos de
apoio.
5.Portas e tetos – devem ter altura mínima de 2 metros.
Adaptação Ergonômica
PPRA– AULA 6
ERGONOMIA, HIGIENE E SEGURANÇA DO TRABALHO
De olho na imagem
PPRA– AULA 6
ERGONOMIA, HIGIENE E SEGURANÇA DO TRABALHO
De olho na imagem
PPRA– AULA 6
ERGONOMIA, HIGIENE E SEGURANÇA DO TRABALHO
De olho na imagem
PPRA– AULA 6
ERGONOMIA, HIGIENE E SEGURANÇA DO TRABALHO
Posturas ideais
� Aquela que permite a
flexibilidade postural;
� Andando e alternando
as posições sentado e de pé; 
� Com pausas para
recuperação.
PPRA– AULA 6
ERGONOMIA, HIGIENE E SEGURANÇA DO TRABALHO
Explorando o tema
http://www.youtube.com/watch?v=0R7uz-_v3ec
21
PPRA– AULA 6
ERGONOMIA, HIGIENE E SEGURANÇA DO TRABALHO
RESUMINDO 
� Relações da ergonomia na execução do trabalho.
ERGONOMIA, HIGIENE E SEGURANÇA DO TRABALHO
Aula 10 – Sistema de Gestão de Segurança e
Saúde Ocupacional – OHSAS 18001
PPRA– AULA 6
ERGONOMIA, HIGIENE E SEGURANÇA DO TRABALHO
Conteúdo Programático desta aula
� Definição OHSAS 18001
� Descrição da OHSAS 18001
� Diretrizes da OHSAS 18001.
PPRA– AULA 6
ERGONOMIA, HIGIENE E SEGURANÇA DO TRABALHO
Explorando o tema
http://www.youtube.com/watch?v=s8gnXWnSyoo
PPRA– AULA 6
ERGONOMIA, HIGIENE E SEGURANÇA DO TRABALHO
Conceito – OHSAS 18001
É um sistema de gestão voltado para a segurança e saúde
ocupacional como forma de minimizar os riscos aos quais os
trabalhadores e outras partes interessadas possam estar
expostos quando da realização de suas atividades, permitindo
implementar, manter e melhorar o sistema de gestão da
segurança e saúde ocupacional.
PPRA– AULA 6
ERGONOMIA, HIGIENE E SEGURANÇA