X - 3-Coletaelimpeza
81 pág.

X - 3-Coletaelimpeza


DisciplinaResíduos Sólidos Urbanos30 materiais171 seguidores
Pré-visualização3 páginas
\uf0a7se bem executada (técnica e produto adequados) 
oferece baixo risco ao meio ambiente 
DESVANTAGENS 
\uf0a7mão-de-obra qualificada 
\uf0a7método específico e restritivo em muitos casos 
sendo sempre um meio auxiliar 
\uf0a7oferece riscos ao meio ambiente se executada em 
desconformidade com os requisitos técnicos 
\uf0a7equipamentos e ferramentas requerem diversos 
cuidados no manuseio, limpeza e manutenção 
CAPINA QUÍMICA 
ROÇAGEM 
(corte da vegetação) 
MÉTODOS DE ROÇAGEM 
\uf0a7 MANUAL 
FERRAMENTAS: 
\uf0a8Foice, Forcado, Ancinho, Rastelo 
\uf0a7 MECÂNICA 
EQUIPAMENTOS: 
\uf0a8Ceifadeira Costal, Ceifadeira Lateral, Trator 
Ceifadeira, Trator Ceifadeira Lateral, Trator 
agrícola com implemento para roçagem 
ROÇAGEM 
\uf0a7 REGRAS IMPORTANTES APLICADAS À ROÇAGEM 
MECÂNICA 
\uf0a7 Deve ser realizada com área demarcada 
evitando a entrada de pessoas no raio de ação, 
com proteção de telas para evitar que pedras 
arremessadas pelos equipamentos possam 
atingir pessoas, veículos ou objetos, com todos 
os itens de proteção do equipamento e em boas 
condições de uso e com o operador portando 
todos os EPI´s recomendados 
 
\uf0a7 REMOÇÃO DOS RESÍDUOS: 
\uf0a7 Carrinho de mão 
\uf0a7 Caixa estacionária tipo Brooks 
\uf0a7 Veículo coletor 
CAPINA E ROÇAGEM MANUAIS 
LIMPEZA DE LOGRADOUROS 
\uf0a7 IMPORTANTE 
 
\uf0a7 O dimensionamento de pessoal para a 
capina, roçagem, limpeza de monumentos e 
equipamentos urbanos bem como de 
remoção de propaganda, deve ser efetuado 
de acordo com a ocorrência destas 
necessidades, podendo, em alguns casos, 
ser utilizado o pessoal da varrição. 
 
\uf0a7 OS GARIS DEVEM TRABALHAR COM TODOS 
OS EPI´s RECOMENDADOS 
LIMPEZA DE BOCAS DE LOBO/ CAIXAS 
COLETORAS 
O dimensionamento de pessoal para essa atividade 
dependerá da quantidade e tipo do sistema de 
drenagem pluvial existente. É importante 
ressaltar que a limpeza deverá ser feita no 
mínimo uma vez por ano no período que 
antecede as chuvas. Vale lembrar que a 
existência de um bom sistema de varrição das 
vias públicas possibilita a redução significativa 
do volume de resíduos lançados diretamente ou 
carreados para as bocas de lobo. 
São utilizadas pás, garfos,enxadas e carrinhos de 
mão na remoção dos resíduos acumulados. 
LIMPEZA DE RALOS/CAIXAS 
COLETORAS 
Função Desempenhada 
x 
Equipamento de proteção individual 
1. Agente de limpeza: 
\uf07a coleta de resíduos urbanos; 
\uf07a varrição de ruas, praias, feira livres e 
eventos. 
 
 
 
EPI 
\uf07a Uniforme: camisa de brim ou 
camiseta, calça ou bermuda de brim, 
boné; 
 
\uf07a Luvas: raspa de couro; 
 
\uf07a Calçado: calçados com solado 
antiderrapamente tipo tênis; 
 
\uf07a Outros protetores: protetor solar, 
capa de chuva e colete refletor 
(serviço noturno). 
Equipamentos de Proteção Individual: 
Máscara de proteção facial 
Óculos de proteção 
Luvas de raspa de couro 
Luvas de PVC 
Máscara de proteção facial 
Botas de PVC 
Gestão dos Resíduos Sólidos Urbanos 
TÉCNICO-OPERACIONAL 
Coleta Especial 
RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE 
ASPECTOS DO PLANEJAMENTO DA COLETA 
 
\uf0b7 Determinar junto aos geradores, com a 
orientação da Secretaria Municipal de Saúde: 
\uf02das quantidades geradas em cada 
estabelecimento 
\uf02das possibilidades de tratamento na fonte e 
as formas de acondicionamento e 
estocagem dos resíduos 
OPAS/1992 \uf0f0 estimativa de produção de 
resíduos em hospitais : 3,9 kg/leito/dia 
RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE 
\uf0b7 Localizar em mapa todos os estabelecimentos de 
saúde 
\uf02dhospitais, ambulatórios, farmácias/drogarias, 
postos de saúde, pronto-socorro, clínicas em geral 
\uf0b7 Dimensionar, com base nas informações 
levantadas, o número de veículos, a freqüência 
de atendimento e roteiros gráficos de coleta 
\uf02dVeículos com carroceria estanque tipo \u201cfurgão\u201d ou 
similar, dotados de bandeja para retenção dos 
líquidos 
\uf0b7 Capacitar e treinar a equipe de coletores 
responsáveis por esse serviço 
FURGÃO PARA COLETA DE RESÍDUOS DE 
SERVIÇOS DE SAÚDE 
RESÍDUOS ESPECIAIS - ENTULHO 
E MATERIAIS DE OBRAS EM GERAL 
ASPECTOS DE PLANEJAMENTO 
\uf0b7 Este tipo de serviço pode ser realizado pela administração 
pública ou por empresas particulares credenciadas 
\uf0b7 Conhecer os prestadores desse serviço e fiscalizar 
permanentemente a atividade para coibir a disposição 
clandestina em locais inadequados 
\uf0b7 Programar com o gerador o dia e horário da remoção dos 
resíduos ou organizar o atendimento em função de 
solicitações e observações em campo 
\uf0b7 Levantar tipo, quantidade e/ou localização dos resíduos 
\uf0b7 Investigar a possibilidade de estocagem dos resíduos 
canteiro de obras ou ainda que sejam utilizadas caçambas 
estacionárias, removíveis por caminhões poliguindaste 
\uf0b7 Estudar a viabilidade de implantação de central de 
beneficiamento de entulho, com uso do material tratado 
em cobertura de aterro, recuperação de vias, fabricação de 
tijolos 
RECICLAGEM NA FONTE 
RECICLAGEM EM PLANTA ESPECÍFICA 
RESÍDUOS ESPECIAIS \u2013 ANIMAIS MORTOS 
 
 Este tipo de serviço deve ser realizado pela 
administração pública, que deve recolhê-los 
e dar destinação adequada em aterros \u2013 
tomando o cuidado de recobri-los 
imediatamente \u2013 ou em incinerador, quando 
houver. 
RESÍDUOS PERIGOSOS 
\uf0b7 O manejo dos resíduos industriais é de 
responsabilidade das unidades geradoras; 
devendo haver cuidados específicos para cada 
tipo 
\uf0b7 Os resíduos perigosos e não inertes ( NBR 
10004) são geridos por normas próprias 
\uf0b7 Os Estados possuem normas próprias para a 
fiscalização dessa atividade através dos órgãos 
ambientais 
\uf0b7 Os resíduos radioativos são de competência 
exclusiva da Comissão Nacional de Energia 
Nuclear - CNEN