A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
Resumo Química - Ligações Químicas

Pré-visualização | Página 1 de 2

Maritza Pires Monteiro 
Ligações Químicas 
 
REGRA DO OCTETO 
 
→ Só existe um grupo de elementos, os 
gases nobres, que são encontrados 
completamente isolados na natureza. Isso 
ocorre porque eles possuem estabilidade 
eletrônica, tendo suas camadas de 
valência completas com 8 elétrons. O hélio 
possui apenas 2 elétrons na sua camada 
de valência, porém também é considerado 
estável. 
→ A regra do octeto diz: para alcançar a 
estabilidade dos gases nobres, os 
elementos químicos formam ligações 
químicas entre si, a fim de possuírem a 
mesma configuração eletrônica dos 
elementos da família 8ª 
→ A existência das ligações químicas 
proporciona uma infinidade de compostos 
químicos, cada um com características e 
propriedades distintas. 
→ As ligações químicas podem ser: 
 Iônicas: troca definitiva de elétrons 
entre os átomos 
 Covalentes: compartilhamento de 
elétrons entre os átomos 
 Metálicas: ligações entre átomos de 
elementos metálicos. 
 
LIGAÇÃO IÔNICA 
→ É resultado da atração eletrostática 
entre íons de cargas opostas 
→ Ocorre entre metais (1 a 3 elétrons na 
camada de valência) e ametais (5 a 7 
elétrons na camada de valência) ou metais 
e hidrogênio 
→ É necessário que os átomos de um dos 
elementos possuam a propriedade da 
eletropositividade, enquanto os átomos do 
segundo elemento possuam a propriedade 
da eletronegatividade. 
→ Cátions: íons positivos resultantes da 
doação de elétrons. Exemplo: quando o 
átomo de sódio doa um elétron, ele se 
torna o cátion Na+ 
→ Ânions: íons negativos resultantes do 
recebimento de elétrons. Exemplo: quando 
o átomo de cloro recebe um elétron, ele 
se torna o Cl- 
→ Cátion + Ânion = composto iônico 
→ Eletrólitos: são íons de importância 
fisiológica (sódio, potássio e cálcio). Eles são 
essenciais na contração muscular, na 
condução de impulsos nervosos e no 
balanço hídrico. Existem bebidas e 
suplementos utilizados em dietas de quem 
pratica esportes e perde eletrólitos 
através da transpiração na prática de 
exercícios físicos. 
Maritza Pires Monteiro 
Ligações Químicas 
 
 
LIGAÇÃO COVALENTE 
 
→ São ligações onde os átomos 
compartilham um ou mais pares de 
elétrons até conseguirem a estabilidade 
eletrônica. 
→ Compartilhando um par de elétron, a 
ligação formada será simples; dois pares 
de elétrons, culminará em uma ligação 
dupla; três pares de elétrons formará 
uma ligação tripla. 
→ Importância fisiológica das ligações 
covalentes: estrutura do DNA, estrutura 
das proteínas, e está presente em 
moléculas inorgânicas como H2O, CO2 e 
O2 
→ As ligações covalentes podem ser 
classificadas em: 
 Lig. Covalente simples: dois átomos 
compartilham um par de elétrons, 
sendo que cada átomo cede um 
elétron para que ocorra a ligação 
 Lig. Dativa: dois átomos 
compartilham um par de elétrons, 
sendo que os elétrons 
compartilhados partem de, apenas, 
um átomo. Isso ocorre quando um 
dos elementos participantes da 
ligação já tem sua estabilidade 
eletrônica (octeto completo). 
→ O compartilhamento de elétrons, na 
ligação covalente, só pode ser feito em 
pares. Isso ocorre porque em um orbital 
cabem no máximo 4 elétrons. 
→ A ligação covalente ocorre porque a 
eletronegatividade, em nenhum dos dois 
elementos participantes, é muito 
acentuada 
→ Esse tipo de ligação existirá entre: 
 Ametais e ametais 
 Ametais e hidrogênio 
 Hidrogênio e hidrogênio 
 
REPRESENTAÇÃO E FÓRMULAS DAS LIG. COVALENTES 
 
→ Fórmula eletrônica: os elétrons de 
valência são colocados ao redor do símbolo 
do elemento químico, em forma de 
“pontinhos”. Os pares compartilhados são 
representados por um “enlaçamento” 
desses pontinhos: 
 
 
→ Fórmula estrutural: mostra a organização 
das moléculas e as ligações entre os 
átomos. Cada traço representa um par de 
elétrons sendo compartilhado: 
Maritza Pires Monteiro 
Ligações Químicas 
 
 
 
 
→ Fórmula molecular: mostra o real número 
de átomos de cada elemento participante 
daquela ligação. Ex: H2 
 
 
GEOMETRIA MOLECULAR 
 
1. Contar os polos de repulsão: um polo pode 
ser uma ligação sigma, um elétron 
desemparelhado ou um par de elétrons 
livres 
 
2. Linear quando tiver 2 polos; Trigonal plana 
ou triangular quando tiver 3 polos; 
tetraédrica angular ou piramidal quando 
tiver 4 polos 
 
→ Geometria Linear: 
 2 polos de repulsão 
 Ângulo de 180 graus 
→ Geometria Trigonal Plana: 
 Ligando os núcleos dos átomos 
(com exceção do átomo central) 
formaremos um triângulo 
 Apenas uma dimensão espacial (não 
é tridimensional) 
 Ângulos de 120 graus 
 
 
 
 
 
 
 
→ Geometria Tetraédrica: 
 Possui 5 átomos (4 átomos ligados 
a 1 átomo central) 
 Todos os ângulos são iguais (129 
graus e 28 minutos) 
 
Maritza Pires Monteiro 
Ligações Químicas 
 
→ Geometria Trigonal Angular: 
 Duas ligações sigma + 1 par de 
elétrons livres 
 Quando os pares de elétrons livres 
fazem parte da molécula, mas não 
da sua geometria molecular 
 Sua forma final é a de um triângulo 
incompleto 
 
 
→ Tetraédrica Piramidal: 
 3 ligações sigma + 1 par de elétrons 
livres 
 Como o par de elétrons livres só 
faz parte da molécula mas não de 
sua geometria molecular, o que 
teremos é um tetraedro 
incompleto, ou um fragmento de 
tetraedro ou, ainda, um tetraedro 
piramidal. 
 
LIGAÇÕES METÁLICAS 
 
→ Ligação entre metais e metais 
→ Constituem as ligas metálicas 
→ No estado sólido, ocorre o agrupamento 
geometricamente ordenado dos metais 
→ Formam arranjos cristalinos, chamados 
retículos cristalinos ou células 
 
Maritza Pires Monteiro 
Ligações Químicas 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
→ Teoria da nuvem eletrônica: nesse tipo de 
ligação, acontece a liberação de elétrons, 
que acabam se transformando em cátions. 
Esses cátions são os “elétrons livres”. 
Estes, também são os mais externos e 
distantes do núcleo, e movimentam-se 
livremente, constituindo uma nuvem 
eletrônica 
→ A teoria da nuvem eletrônica é 
enfatizada pela afirmação de que a 
corrente elétrica é um fluxo de elétrons. 
Essa teoria explica bem o fato de os 
metais serem bons condutores elétricos e 
térmicos 
→ Características dos metais: 
 Bons condutores de calor 
(facilidade com que os elétrons 
transmitem energia cinética 
através da estrutura) 
 Alta densidade (empacotamento 
efetivo dos íons positivos e dos 
elétrons) 
 Altos pontos de fusão e ebulição 
(elevadas forças existentes na 
estrutura metálica) 
 Alta dureza (alta resistência ao 
risco/baixa deformação) 
 Maleabilidade (facilidade de 
modelagem do material) 
 Alta ductibilidade (permite que um 
material seja alongado até a 
obtenção de um fio (o mais fino 
possível) 
 
POLARIDADE 
 
→ Um átomo mais eletronegativo irá atrair 
para si mais elétrons, definindo 
imediatamente uma carga parcial negativa, 
em relação a um átomo menos 
eletronegativo, que irá atrair menos 
elétrons para si, configurando uma carga 
parcial positiva 
→ Quando todos os átomos de uma ligação 
possuírem a mesma eletronegatividade, a 
molécula será dita apolar (nenhum dos 
lados ficará mais positivo ou mais negativo) 
→ Distribuição simétrica de elétrons ao 
redor do átomo = APOLARIDADE 
→ Distribuição assimétrica de elétrons ao 
redor do átomo = POLARIDADE 
Maritza Pires Monteiro 
Ligações Químicas 
→ Em uma molécula polar, a resultante da 
soma dos vetores positivos e negativos 
denomina-se momento dipolo 
 
FORÇAS INTERMOLECULARES 
 
→ Substâncias diferentes possuem 
propriedades diferentes devido as 
diferentes interações e atrações que são 
estabelecidas pelas suas respectivas 
moléculas 
→ São 3 as principais forças 
intermoleculares a serem estudadas: 
 Dipolo permanente 
 Dipolo induzido (ou força de London) 
 Ligações de hidrogênio 
 
→ Dipolo permanente: ocorre somente 
entre moléculas polares, onde o elemento