A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
03 Disposições comuns à Recuperação Judicial e Falência II (2 de 4)

Pré-visualização | Página 1 de 1

DISPOSIÇÕES COMUNS À 
RECUPERAÇÃO JUDICIAL E 
FALÊNCIA II 
[Parte 2 de 4]
Prof. Thiago Cadidé
https://www.instagram.com/thiagocadide.adv/
https://www.instagram.com/thiagocadide.adv/
SUSPENSÕES E PROIBIÇÕES
Prof. Thiago Cadidé
Prof. Thiago Cadidé
CONSIDERAÇÕES GERAIS
Art. 6º, Lei 11.101/05. A decretação da falência ou o deferimento do 
processamento da recuperação judicial implica: (alteração pelo Lei 14.122/20)
I – suspensão do curso da prescrição das obrigações do devedor sujeitas ao 
regime desta Lei;
II – suspensão das execuções ajuizadas contra o devedor, inclusive daquelas dos 
credores particulares do sócio solidário, relativas a créditos ou obrigações 
sujeitos à recuperação judicial ou à falência;
III – proibição de qualquer forma de retenção, arresto, penhora, 
sequestro, busca e apreensão e constrição judicial ou extrajudicial 
sobre os bens do devedor, oriunda de demandas judiciais ou extrajudiciais 
cujos créditos ou obrigações sujeitem-se à recuperação judicial ou à falência.
 Os propósitos das medidas do art. 6º são:
1. Dar fôlego ao empresário, permitindo-lhe desenvolver e negociar um 
plano de recuperação; e
2. Impedir o fatiamento do patrimônio do devedor de qualquer forma.
 INCISO I
 Como a prescrição estará suspensa, não haverá maior preocupação dos 
credores em propor ações ou tomar medidas para interromper a 
prescrição;
 Isso permitirá que o devedor tenha esse tempo para estruturar a 
recuperação ou apuração e realização do ativo (falência).
Prof. Thiago Cadidé
CONSIDERAÇÕES GERAIS
 INCISO II
 A ideia é manter a situação econômico-financeira do devedor, enquanto 
ele tenta se reorganizar;
 A suspensão também impedirá a quebra da igualdade entre os 
credores;
 “Farinha pouca, meu pirão primeiro”.
 Também serão suspensas as execuções contra o sócio solidário, quando 
relativas a créditos ou obrigações sujeitos à recuperação judicial ou à 
falência.
Prof. Thiago Cadidé
CONSIDERAÇÕES GERAIS
 INCISO III
 Ficam suspensos os atos executivos e expropriatórios;
 As ações que estão em curso poderão prosseguir, até que, chegando-se 
a fase de execução, elas sejam suspensas;
Prof. Thiago Cadidé
CONSIDERAÇÕES GERAIS
Art. 6º, Lei 11.101/05. (...) 
§1º Terá prosseguimento no juízo no qual estiver se processando a 
ação que demandar quantia ilíquida.
 RECUPERAÇÃO JUDICIAL (stay period) = 180 dias da publicação da 
decisão que defere o processamento, podendo ser prorrogado por igual 
período.
 FALÊNCIA = até o trânsito em julgado a sentença de encerramento da 
falência.
Prof. Thiago Cadidé
PRAZO
Art. 6º, Lei 11.101/05. (...) 
§4º Na recuperação judicial, as suspensões e a proibição de que tratam os incisos 
I, II e III do caput deste artigo perdurarão pelo prazo de 180 (cento e oitenta) 
dias, contado do deferimento do processamento da recuperação, prorrogável por 
igual período, uma única vez, em caráter excepcional, desde que o devedor não 
haja concorrido com a superação do lapso temporal.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.