A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
24 pág.
Contribuintes, contribuições, isenções, responsabilidade solidária e dependentes

Pré-visualização | Página 2 de 6

solidária e dependentes. 
 
 
 
 
 
 
O fato gerador da obrigação previdenciária alcança dois contribuintes: a 
empresa e o trabalhador. Em relação à empresa fala-se em remuneração; em 
relação ao trabalhador fala-se em salário de contribuição. 
Como vimos, o salário-de-contribuição está sujeito a limites mínimos e 
máximos. A remuneração, que é base de cálculo da contribuição da empresa 
não tem limites. 
 
Exemplo: Se um empregado, Se um empregado, em 01/03/2013, recebesse 
R$ 10.000,00, teria descontado apenas R$ 457,49 (pois o limite máximo do 
salário de contribuição vigente nesta data é de R$ 4.159,00, sobre o qual a 
alíquota é de 11%). Já a contribuição da empresa seria de R$ 2.000,00, pois 
sua contribuição é de 20% sobre a remuneração e não sofre nenhuma 
limitação. 
No link abaixo, estão as parcelas que integram o salário-de-contribuição: 
 
 
Também não integram o salário-de-contribuição: a parcela in natura 
recebida de acordo com o programa de alimentação do trabalhador (PAT); a 
ajuda de custo e adicional do aeronauta; o abono do PIS/PASEP; a 
complementação de auxílio-doença (desde que esse direito seja extensivo a 
todos os empregados da empresa); as parcelas destinadas à assistência do 
trabalhador na agroindústria canavieira; os valores recebidos em decorrência 
de cessão de direitos autorais; os valores pagos a membros de ordens 
religiosas; o valor das contribuições efetivamente pago pela pessoa jurídica 
relativo ao programa de previdência complementar privada disponível à 
totalidade de seus empregados e dirigentes; a bolsa de estudos, entre outros. 
 
Confira o valor máximo do salário-de-contribuição 
atual no site do Ministério da Previdência Social e a 
tabela de contribuição dos segurados empregado, 
empregado doméstico e trabalhador avulso – 
www.mps.gov.br 
 
http://arquivos.cruzeirodosulvirtual.com.br/materiais/disc_2011/2sem_2011/direitoprevidenciario/un_III/engage.html
http://www.mps.gov.br/
Campus Virtual Cruzeiro do Sul | www.cruzeirodovirtual.com.br 
 
 
 
8 
 
Unidade: Colocar o nome da unidade aqui 
 
Unidade: Contribuintes, contribuições, isenções, 
responsabilidade solidária e dependentes. 
2.2.2 Contribuição do empregado, do doméstico e do avulso 
 
O cálculo é feito mediante a aplicação da alíquota correspondente, de 
forma progressiva e não-cumulativa, sobre o salário de contribuição. A 
aplicação não-cumulativa quer dizer o seguinte: o cálculo da alíquota é feito 
dentro da faixa salarial que enquadra o empregado. Assim, se o contribuinte 
recebe R$ 600, a alíquota será de 8% (R$ 48,00); se recebe R$ 1.300, a 
alíquota será de 9% (R$ 117,00); se recebe R$ 3.000,00, a alíquota será de 
11% (R$ 330,00). 
Se fosse a alíquota cumulativa, o cálculo seria diferente e da seguinte 
forma: imagine o mesmo trabalhador, que recebe R$ 3.000,00, sua 
contribuição seria assim calculada: (R$ 1.247,70 x 8%) + (R$ 2.079,50 x 9%) + 
(R$ 3,000,00 x 11%) = R$ 616,97. Em outras palavras, na alíquota cumulativa 
é utilizado o valor limite do salário de contribuição em cada faixa, com sua 
correspondente alíquota, até o valor final do salário considerado. 
Segurado empregado, trabalhador avulso e empregado doméstico - 
Na forma do art. 20 Lei 8.212/91, a contribuição desses segurados terá 
alíquotas progressivas, de forma não cumulativa, de acordo com o salário 
de contribuição, conforme a seguinte tabela (valores atualizados para o 
ano de 2012): 
Salário de contribuição Alíquota para Fins de Recolhimento 
Até 1.247,70 8,00% 
de 1.247,71 até 2.079,50 9,00% 
de 2.079,51 até 4.159,00 11,00% 
 
 
2.2.3 Contribuição do contribuinte individual 
 
O salário-de-contribuição para o contribuinte individual é a remuneração 
auferida em uma ou mais empresas ou pelo exercício de seu mister. 
 
Campus Virtual Cruzeiro do Sul | www.cruzeirodovirtual.com.br 
 
 
 
9 
 
Unidade: Colocar o nome da unidade aqui 
 
Unidade: Contribuintes, contribuições, isenções, 
responsabilidade solidária e dependentes. 
No caso de serviço prestado a empresa, presume-se realizado o 
desconto, pois esta retém, do valor do serviço prestado, 11% da remuneração, 
observado o limite máximo do salário de contribuição, e efetua o recolhimento 
até o dia 20 do mês seguinte ao da competência em que foi prestado o serviço. 
 
 
 
2.2.4 Contribuição do contribuinte facultativo 
 
O facultativo contribui com a alíquota de 20% sobre o salário de 
contribuição que declarar. O valor não pode ser inferior ao do salário mínimo 
nem superior ao teto do salário-de-contribuição. O facultativo é responsável 
pelo próprio recolhimento, que deve ocorrer até o dia 15 do mês subsequente 
àquele que este se refere. 
Caso o salário-de-contribuição seja igual ao valor de um salário mínimo, 
pode o facultativo optar pelo recolhimento trimestral das contribuições. Nessa 
hipótese, o recolhimento ocorrerá até o dia 15 do mês seguinte ao de cada 
trimestre civil. 
 
 
2.2.5 Contribuição conforme o plano simplificado de Previdência Social. 
 
O contribuinte individual que trabalha por conta própria (autônomo), sem 
relação de trabalho com empresa ou equiparada e o segurado facultativo 
podem optar pelo Plano Simplificado de Previdência Social – Lei 
Complementar nº 123/2006. 
Atenção: a empresa fica obrigada a contribuir para a Seguridade 20% sobre o valor do 
serviço prestado. 
Na hipótese do serviço ter sido prestado a entidade beneficente de assistência social 
(EBAS), esta reterá 20% da remuneração do contribuinte individual obedecido o limite do 
salário de contribuição, porque as EBAS são isentas de contribuição patronal. 
O contribuinte individual é obrigado a complementar a sua contribuição até o valor 
mínimo mensal do salário de contribuição quando as remunerações recebidas forem 
inferiores ao mínimo do salário de contribuição. 
 
Campus Virtual Cruzeiro do Sul | www.cruzeirodovirtual.com.br 
 
 
 
10 
 
Unidade: Colocar o nome da unidade aqui 
 
Unidade: Contribuintes, contribuições, isenções, 
responsabilidade solidária e dependentes. 
Plano Simplificado de Previdência é uma forma de inclusão 
previdenciária com percentual de contribuição reduzido de 20% para 11%. O 
valor do salário de contribuição é limitado ao salário mínimo não podendo 
pagar mais que esse valor no PSPS. 
São benefícios oferecidos para o segurado que contribui com 11% 
sobre o salário mínimo: aposentadoria por idade; auxílio-doença; salário-
maternidade; pensão por morte; auxílio-reclusão e aposentadoria por invalidez. 
O segurado contribuinte individual e o segurado facultativo, que pagam a 
alíquota de 20% atualmente sobre salário-de-contribuição igual a salário 
mínimo, podem a qualquer momento, iniciar seu pagamento com alíquota de 
11% sobre valor do salário mínimo. Mesma situação se aplica ao que vier a 
pagar 11% e quiser retornar a pagar 20%. Não é uma regra vitalícia, podendo a 
qualquer momento optar por uma ou outra forma de contribuição. 
Caso o segurado do PSPS pague no valor de 11% do salário mínimo e 
depois queira contar esse tempo de contribuição para fins de obtenção de 
aposentadoria por tempo de contribuição ou para fins de contagem recíproca 
(certidão de tempo de contribuição - CTC), deverá complementar a contribuição 
mensal, mediante o recolhimento de mais 9%, acrescido de juros moratórios, 
exigida a qualquer tempo, sob pena de indeferimento do benefício ou da CTC. 
 
2.3 Contribuições da empresa 
 
Para a Seguridade, empresa é a firma individual ou sociedade que 
assume o risco de atividade econômica urbana ou rural, com fins lucrativos ou 
não, bem como os órgãos e entidades da administração pública direta, indireta 
e fundacional. 
Na tabela a seguir, apresentamos a alíquota e a base de cálculo das 
contribuições da empresa sobre a folha de pagamento: 
Alíquota Base de Cálculo 
20% Total das remunerações pagas, devidas ou creditadas, a qualquer título,

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.