Aula_05

Disciplina:Fundamentos da Economia4.833 materiais53.816 seguidores
Pré-visualização1 página
*
AULA 5
*

ECONOMIA – ANTONIO ELDER DE OLIVEIRA TAVARES
AGOSTO/2011
AULA 5
A ECONOMIA E O SISTEMA ECONÔMICO
AULA 5

Entender o conceito de elasticidade-preço da demanda e da oferta.

• Entender as intervenções do governo nos preços dos mercados:
Tabelamento
Pisos de preços
Impostos/subsídios
Política de preço mínimo

OBJETIVOS DA AULA

*
AULA 5
*

AULA 5
Relembrando: quando as duas forças de mercado (oferta e demanda) se encontram e interagem, determinam
o preço do produto.
Se um mercado está inicialmente equilibrado (ou seja, OF=DEM), e o preço MUDA, as reações de oferta e demanda são diferentes:

REAÇÕES DA OFERTA E DEMANDA

SE O PREÇO CAI $$$$$$$…
A
OFERTA CAI
A DEMANDA
SOBE

*
AULA 5
*

AULA 5
Se o preço sobe, a demanda cai; já a oferta, sobe. Essas reações ocorrem por causa das leis que vimos na Aula 3:

	
	As Leis explicam o que ocorre se o preço cair ou 	subir. Mas não permitem saber O QUANTO a 	demanda cai, ou O QUANTO a oferta sobe.
ENTENDENDO O MERCADO
Lei da Demanda: Se o preço sobe, a demanda por X cai. Se o preço cai, a demanda por X sobe. (O preço é o “obstáculo ” para o consumidor)

Lei da Oferta: Se o preço sobe, a oferta de X sobe. Se o preço cai, a oferta de X cai. (O preço é o “prêmio” que anima o vendedor)

*
AULA 5
*

AULA 5
O GRAU DA REAÇÃO
Para conhecer melhor essa reação, é bom sabermos em que medida, em que proporção ela se dá.

Queremos saber, por exemplo: se o preço subir 10%, qual será a reação da demanda, em percentual? Já sabemos que a demanda cai (pois o preço subiu), mas quanto? Vai cair 10%? Ou 5%? Como saber?

Para isso usamos o conceito de elasticidade:

Aplicaremos o conceito à demanda e à oferta de mercado.
A elasticidade permite medir a sensibilidade, o grau de mudança em uma variável (por exemplo, na demanda ou na oferta) quando outras variáveis (como o preço) são alteradas.

*
AULA 5
*

AULA 5
A ELASTICIDADE DA OFERTA
A elasticidade-preço DA OFERTA (EpOf) é a medida da sensibilidade dos produtores/ vendedores às mudanças nos preços de determinados produtos.
Ex.: Se houver um jogo importante em um estádio de futebol, tornando possível aos ambulantes cobrar um preço maior pela cerveja, surgem vários vendedores do produto!
OFERTA ELÁSTICA (grande reação)
Se o preço subir, e a quantidade colocada à venda pelos ofertantes crescer muito, dizemos que a oferta é elástica (muito sensível a mudanças no preço). Se o preço cair, e a oferta cair muito, também é uma oferta elástica.

*
AULA 5
*

AULA 5
A ELASTICIDADE DA OFERTA
OFERTA INELÁSTICA (reação pequena)

Se o preço subir, e a quantidade colocada à venda pelos ofertantes crescer pouco, dizemos que a oferta é inelástica (pouco sensível a mudanças no preço).
Ex.: oferta de commodities (minério de ferro, petróleo), que não cresce tanto mesmo quando o preço sobe, devido às limitações das reservas).
Em resumo, a oferta é ...
Inelástica, se a reação acontecer em baixa intensidade.
Elástica, se a reação ocorrer em grande intensidade.

Tratemos agora da elasticidade-preço da demanda. A Epd é o grau de sensibilidade dos consumidores às mudanças nos preços dos produtos. A sensibilidade da demanda é específica para cada produto. A Epd pode ser calculada pela fórmula:

Ex.: Se Epd = 0,8, e houver queda do preço de um produto em 10%, qual será a reação da demanda?
A ELASTICIDADE DA DEMANDA
Q = qtde. demandada ∆ = variação
P = preço.
 ∆%Q = 0,8 x 10 = 8%.
A quantidade demandada vai aumentar em 8%.

*
AULA 5
*

AULA 5

 		

		

Número de substitutos
Peso no orçamento
Grau de essencialidade
Horizonte de tempo da análise
FATORES QUE INFLUENCIAM A Epd DA DEMANDA
ELASTICIDADE-PREÇO DA DEMANDA POR UM PRODUTO
(Epd)
Leia o PDF da tela 5 da Aula online, para entender como cada fator atua. Por exemplo: se houver muitos substitutos para o produto, sua demanda é mais elástica. Se o produto for muito essencial ao consumidor, sua demanda é inelástica (a pessoa é menos sensível ao preço).

EPD E TIPOS DE DEMANDA
A demanda por um produto pode ser clasificada em 3 categorias, dependendo do valor de sua elasticidade-preço, que é apresentada em módulo:

*
AULA 5
*

AULA 5
A ELASTICIDADE DA DEMANDA

Também é possível observar, em uma curva de Demanda, diversos valores de elasticidade-preço:
Chamamos a visualização da elasticidade-preço na curva de demanda de interpretação geométrica da Epd.

*
AULA 5
*

AULA 5
A INTERVENÇÃO DO GOVERNO NOS PREÇOS
Em um mercado EFICIENTE, todas as trocas econômicas são executadas livremente, sem intervenção do governo.

*
AULA 5
*

AULA 5
TABELAMENTO E PISO DE PREÇOS
No caso dos pisos de preços, é o contrário, isto é, o governo define que o produto não pode ser negociado abaixo de um determinado nível.
	Ex.: definição do salário mínimo
Porém, tais intervenções tendem a acarretar racionamentos, alteração de qualidade do produto e venda no “mercado negro”.
No caso do tabelamento, o governo determina que o bem e/ou serviço não pode ser negociado acima do nível de preço estabelecido. Os empresários do setor também não colocam o preço abaixo desse nível, pois reduziriam sua margem de lucro.
 Ex.: tabelamento das passagens de ônibus

*
AULA 5
*

AULA 5
IMPOSTOS / SUBSÍDIOS
Cabe às empresas o pagamento de vários impostos. Mas as empresas querem maximizar seus ganhos, por isso tentam repassar o imposto ao consumidor, o que implica em aumento do preço cobrado...

O “grau” em que essa intervenção afeta o preço está relacionado à INCIDÊNCIA TRIBUTÁRIA, que é identificar sobre quem recai o ônus do imposto. Ou seja, entender “de que bolso sai o pagamento do imposto”, se é do produtor, ou se acaba sendo do consumidor.
Assim, a cobrança de imposto sobre as empresas resulta na intervenção indireta do governo no preço do mercado.

*
AULA 5
*

AULA 5
GRAU DE REPASSE DO IMPOSTO AO CONSUMIDOR
A proporção do imposto que os produtores repassarão aos consumidores depende da Epd:
O no. de empresas atuando no mercado também influencia. Poucas empresas (mercado concentrado), menor temor de perder clientes: maior repasse
Note que mesmo repassando o imposto, o produtor pode ter perdas de receita, por vender menor quantidade.

*
AULA 5
*

AULA 5
SUBSÍDIOS
A concessão de subsídios pelo governo às empresas é uma intervenção no preço do mercado, no sentido de reduzir o preço.
O subsídio é concedido pelo governo aos produtores de um bem/serviço, para que cobrem do consumidor um preço menor. Se o preço é R$ 2,50, e os ofertantes cobram aos compradores R$1,50, o subsídio é de R$ 1,00.

Formas de subsídio: isenção de imposto, crédito mais barato, pagamento do governo por unidade vendida
Os governos também concedem subsídios com o objetivo de estimular o consumo do produto nacional, que se torna mais barato frente aos produtos importados.

*
AULA 5
*

AULA 5
A POLÍTICA DE PREÇOS MÍNIMOS
Antes do início do plantio, o governo define um preço que está disposto a pagar após a colheita do produto. Se por ocasião da colheita, o preço de mercado for MAIOR que o preço mínimo, o agricultor pode vendê-la normalmente no mercado.
E se o preço de mercado for muito baixo, o agricultor conta com a garantia de vendê-la ao governo, pelo preço mínimo previamente definido, possibilitando reaver o que empatou e plantar nova safra.
Praticada na agricultura, para proteger o produtor das flutuações dos preços no mercado e garantir a continuidade do plantio.

*
*
*