Aulas de Geologia 2012

Aulas de Geologia 2012


DisciplinaGeologia7.670 materiais60.562 seguidores
Pré-visualização12 páginas
indica que toda a massa magmática foi cristalizada em uma única etapa.
Porfiritica \u2013 Textura apresentada pelas rochas que possuem alguns minerais muito mais desenvolvidos (pórfiros ou fenocristais) do que o restante da massa magmática (matriz).
Inequigranular \u2013 Quando os cristais apresentam tamanhos distintos, porém a diferença é pouco acentuada.
*
Classificação geral das rochas ígneas 
*
4.4 - ROCHAS SEDIMENTARES
Origem
As rochas sedimentares são rochas formadas por ação de processos que atuam exclusivamente na superfície da Terra. São compostas de restos e detritos de outras rochas que sofreram, inicialmente, a ação do intemperismo. Uma vez intemperizadas as rochas são transformadas em materiais incoerentes que, pela ação da água, do vento e do gelo são erodidos, lixiviados e transportados para outros locais, onde são finalmente depositados, formando os depósitos sedimentares. Posteriormente estes depósitos são litificados e transformados em agregados rochosos.
*
 O CICLO DAS ROCHAS
*
PROCESSOS GEOLÓGICOS QUE INTERFEREM NA FORMAÇÃO DAS ROCHAS SEDIMENTARES
 INTEMPERISMO
O intemperismo das rochas pode ocorrer mediante dois processos: físico e químico.
Intemperismo físico
Variação da temperatura diurna e noturna 
Congelamento da água;
Alívio de carga 
Cristalização se sais 
Crescimento de raízes vegetais 
*
Tipos de desintegração física da rocha
*
Intemperismo químico
Hidratação 
 CaSO4 + 2H2O \uf0ae CaSO4. 2H2O 
 Anidrita gipsita
Oxidação 
 2FeSiO3 + 5 H2O + 1/2O2 \uf0ae 2FeOOH + 2H4SiO4
 Piroxênio goethita
Dissolução ácida 
 H2O + CO2 \uf0ae H2 CO3 (CO2 presente na atmosfera)
 H2 CO3 + CaCO3 \uf0ae 2 HCO3- + Ca+2 
 (íon bicarbonato e cerca de 30 X mais Solúvel do que o Ca CO3)
*
Tipos de intemperismo químico
*
Hidrólise 
Hidrólise total \u2013 Na hidrólise total, 100% da sílica e do potássio são eliminados. 
 KAlSi3O8 + 8H2O \uf0ae Al(OH)3 + 3H4SiO4 + K+ + OH-
 K-Feldspato Gibbsita 
Hidrólise parcial \u2013 Na hidrólise parcial, em função das condições de drenagem menos eficientes, parte da sílica permanece no perfil; o potássio pode ser total ou parcialmente eliminado. 
 Quando 100% do potássio são eliminados em solução: 
 2KAlSi3O8 + 11H2O \uf0ae Si2Al2O5(OH)4 + 4H4SiO4 + 2K+ + 2OH- K-Feldspato Caulinita
 Nesse caso forma-se a caulinita, com eliminação de 66% de sílica e permanência de todo o alumínio.
*
Quando parte do potássio não é eliminada em solução:
 2,3KAlSi3O8 + 8,4 H2O \uf0ae Si3,7Al0,3 O10(OH)2K0,3 + 3,2H4SiO4 + 2K+ + 2OH-K-Feldspato Esmectita 
 Outro tipo de argilo-mineral é formado, a esmectita, com eliminação de 87% do potássio, 46% de sílica e permanência de todo o alumínio.
*
Hidrolise parcial - Alteração de um feldspato potássico em presença da água e do ácido carbônico, com entrada de H+ na estrutura do mineral , substituindo o K+. O potássio é totalmente eliminado pela solução de lixiviação e a sílica apenas parcialmente.A sílica não eliminada recombina-se com o Al também não eliminado para formar uma fase secundária argilosa (caulinita).
*
Na hidrólise total, além do alumínio, o ferro também permanece no perfil, já que esses dois elementos têm comportamento geoquímico muito semelhante no domínio hidrolítico. Ao processo de eliminação total da sílica e formação de oxi-hidróxidos de alumínio e de ferro dá-se o nome de alitização ou ferralitização.
Na hidrólise parcial, há formação de silicatos de alumínio, e o processo é genericamente denominado sialitização. Quando são originados argilo-minerais do tipo caulinita, em que a relação de átomos Si:Al é 1:1 (um átomo de silício para um de alumínio na molécula), fala-se em monossialitização. No caso de serem formados argilo-minerais do tipo esmectita, em que a relação Si:Al é 2:1 (dois átomos de silício para um de alumínio na molécula), o processo é a bissialitização.
*
Acidólise 
 Na maior parte da superfície dos continentes, os processos intempéricos são de natureza hidrolítica. No entanto, em ambientes mais frios, onde a decomposição da matéria orgânica não é total, formam-se os ácidos orgânicos que diminuem bastante o pH das águas, sendo assim capazes de complexar o ferro e o alumínio, colocando-os em solução. Nos domínios de pH < 5 não é a hidrólise, mas a acidólise é o processo dominante de decomposição de minerais primários.
Acidólise total 
 KAlSi3O8 + 4H+ + 4 H2O \uf0ae 3 H4SiO4 + Al+3 + K+
 K-Feldspato
 No caso do feldspato potássico, ocorre a acidólise total, quando as soluções de ataque tiverem o pH menor do que 3, fazendo que todos os elementos entrem em solução.
*
Acidólise parcial 
 Ocorre quando as soluções de ataque apresentam pH entre 3 e 5 e, nesse caso, a remoção do alumínio é apenas parcial, levando à individualização de esmectitas aluminosas.
 9KAlSi3O8 + 32H+ \uf0ae 3Si3,5Al0,5 O10Al 2(OH)2 + 1,5Al+3 + 9K+ + 6,5H4SiO4
 K-Feldspato esmectita aluminosa
*
OUTROS PROCESSOS GEOLÓGICOS ENVOLVIDOS NA FORMAÇÃO DE ROCHAS SEDIMENTARES.
EROSÃO
Erosão hídrica: água dos rios, dos mares e oceanos, das chuvas, do subsolo.
Erosão eólica: ação dos ventos
Erosão glacial: produzida pelas geleiras
 Em regiões tropicais a água é o principal agente da erosão e transporte de sedimentos.
*
Erosão fluvial
A Figura mostra em A, um rio formando meandros; em G, observa-se os meandros desenvolvidos no próprio sedimentos. As fases A e G representam etapa de plena senilidade. Em E e F nota-se erosão lateral nas partes côncavas da curvatura fluvial e a deposição no lado oposto convexo. As fases de A a D representam fenômenos de rejuvenescimento fluvial, durante o qual os meandros se encaixam. (Seg. Leinz e Amaral, 1.985).
*
TRANSPORTE DE SEDIMENTOS
Transporte pelas águas: fluviais, marinhas, pluviais e subterrâneas
Transporte pela ação do vento
Transporte pela ação do gelo
 O vento é o agente que melhor seleciona as partículas durante o transporte eólico; ao contrário, o gelo é o agente menos seletivo.
 A água transporta materiais de 3 maneiras distintas:
Em solução
Em suspensão
Por saltos 
Por arraste ou rolamento (tração)
*
Uma vez iniciada a movimentação de uma partícula, os processos envolvidos no seu transporte e deposição dependem fundamentalmente de sua velocidade (energia). Esta depende de fatores inerentes à partícula em deposição, tais como: tamanho, forma e peso específico. 
Dependendo da distância do local de origem dos sedimentos, estes podem ser classificados como alóctones e autóctones.
Denomina-se alóctone (do grego allos, que significa outro ou diferente) os sedimentos originados num local diferente daquele onde se encontram depositados.
sedimento autóctone (do grego autós, que quer dizer por si próprio ou de si mesmo) é aquele que se formou exatamente no local onde se encontra, sem ter sofrido qualquer tipo de transporte, desse modo possui sua origem puramente química. 
*
Distinguem-se dois tipos de sedimentos alóctones: 
aqueles originados em uma área-fonte e que foram transportados por força de um agente da dinâmica externa \uf0ae epiclásticos (do grego epi, posição superior, superfície).
os originados por ação de fenômenos da dinâmica interna, a exemplo de fragmentos de lavas e cinzas vulcânicas lançados durante uma explosão vulcânica \uf0ae piroclásticos (do grego pyrós, que significa fogo). 
Alguns materiais sedimentares epiclásticos podem ser transportados por milhares de quilômetros desde a sua área fonte \uf0ae sedimentos que foram transportados de uma área-fonte externa à bacia, recebe a denominação extraclásticos (terrígenos).
outros podem passar apenas por um processo de decantação, como os organismos planctônicos que, ao morrerem vão para o fundo do oceano, tendo apenas a distância correspondente a uma coluna de água \uf0ae a origem dos materiais