A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
Sistema respiratório - anatomofisiologia de animais silvestres

Pré-visualização | Página 1 de 2

Anfíbios Répteis Mamíferos Aves 
• Não possuem diafragma 
• Pulmões unicamerais com diferentes 
graus de desenvolvimento do 
parênquima 
• Respiração cutânea (principal), aérea 
e branquial 
• Não possuem céu da boca, mas 
possuem glote/epiglote 
• Possuem respiração acessórias como 
a aérea e a buco faringiana 
• Pulmão saculiformes 
• Existe salamandras e cecílias sem 
pulmões 
• Anuros possuem duas narinas 
externas conectados a cavidade nasal 
pelas coanas 
Traqueia extremamente curta 
que se bifurca nos pulmões 
Possuem dois pulmões em 
formato sacular e não a alvéolos 
verdadeiros 
• Não possuem diafragma 
• Processo depende da pressão interna 
– músculos contraindo fazem o ar 
sair ou entrar 
• Pulmão parenquimatoso 
• Anfisbênios: 
Pulmões unicamerais e ediculares 
• Lagartos: 
Pulmões unicamerais e 
multicamerais 
Parênquima trabecular e 
ediculares 
• Serpentes: 
Pulmões unicamerais 
heterogêneos e alongados 
Porcão cranial faveolar ou edicular 
com zona de transição e uma 
porção caudal avascular (não 
possui troca gasosa, apenas 
retém/estoca oxigênio, também 
ajuda a boiar), similar ao saco 
aéreo 
Única cavidade – órgãos não são 
divididos pelo diafragma - 
chamada de cavidade celomática 
Pulmão se estende cranialmente 
e dorsalmente a traqueia – 
algumas espécies 
Pulmão direito é desenvolvido e o 
esquerdo pode estar reduzido 
• Únicos que possuem diafragma – 
auxilia na compressão e expansão 
das costelas para facilitar a entrada e 
saída do ar 
• Sistema respiratório particionado 
homogeneamente - funções de 
ventilação e troca gasosa são 
compartilhadas pelos alvéolos e 
grande parte do volume pulmonar 
• Possuem palato secundário/ derivado 
– ar entra pela cavidade nasal e é 
direcionado para a parte de trás 
(orofaringe) 
• Laringe: caixa de voz – possui pregas 
vogais dentro da sua cavidade – 
ocorre vibrações dentro da câmera 
de ressonância o que gera o som 
• Conseguem comer e respirar – 
possui epiglote com função de fechar 
e abrir – impede que o alimento 
entre pela glote 
• Traqueia faz apenas meio anel na 
cartilagem 
• Pulmões lobulares 
• Possuem alvéolos pulmonares 
• Fluxo unidirecional 
• Mamíferos marinhos normalmente 
tem abas para fechar e abrir as 
narinas 
• Não possuem diafragma 
Na inspiração ocorre o 
abaixamento do esterno e na 
expiração ocorre a elevação do 
esterno e compressão das 
costelas 
Dependem dos músculos 
cervicais, torácicos e abdominais 
para a inspiração e expiração, 
sendo que ambos os processos 
ativos que requerem atividade 
muscular 
Os músculos do tórax 
fazem com que o 
esterno seja empurrado 
para fora, criando uma 
pressão negativa nos 
sacos aéreos – faz com 
que o ar entre no 
sistema respiratório 
A expiração não é 
passiva, mas requer que 
certos músculos se 
contraem para aumentar 
a pressão nos sacos de 
ar e empurrar o ar para 
fora 
• Sistema respiratório é particionado de 
maneira heterogênea – funções de 
ventilação e troca gasosa são separas 
@paulacharbel..vet
Traqueia não forma anéis 
cartilaginosos completos – 
algumas espécies 
• Crocodilianos: 
Pulmões faveolares, multicamerais 
e heterogêneos 
Possuem músculos diafragmáticos 
e outros que promovem o 
movimento de vísceras como o 
pulmão 
Consegue respirar mesmo com a 
boca cheia de água – a língua 
não protrátil pode realizar 
isolamento nasofaringe 
Não possuem diafragma, não a 
separação de cavidades - única 
cavidade chamada celoma 
• Quelônios/Testudines 
Pulmões faveolares, multicamerais 
e homogêneos 
Pulmão colado/preso na carapaça 
– pega toda a parte dorsal cobre 
toda a posição anterior e média 
Contração da musculatura gera a 
contração visceral – puxa o 
pulmão verticalmente – ar entra 
e sai 
Expiração – inspiração - 
expiração (algumas espécies 
Volume pulmonar é adaptado 
para respiração aquática e 
terrestre 
Também serve como 
controle de flutuação e 
para promover força de 
flutuacao 
 
• Ar entra pelas narinas, passa pela 
faringe, laringe, traqueia e chega aos 
pulmões 
nos sacos aéreos e no pulmão 
parabrônquico ( 
• Possuem sacos aéreos 
• Aves comem ou respiram – não 
conseguem fazer ambos ao mesmo 
tempo, não possuem epiglote 
• Possuem apenas palato primário – 
abertura na posição anterior do 
palato – narina interna (coana) 
• Caixa de voz é a SIRINGE 
• Osso hioide: apoia/ sustenta a língua 
• Apresenta fúrcula: estrutura da 
clavícula fundida 
• Fluxo unidirecional 
• Volume pulmonar não se altera com 
os movimentos respiratórios – ar 
passa através dos pulmões para o 
interior dos sacos aéreos expansíveis 
e voltam param o pulmão 
• A traqueia pode assumir diferentes 
formatações de acordo com a 
estrutura do bico da espécie 
• Desenvolvimento maior da traqueia 
devido ao número de vertebras 
cervicais 
Anel completo na cartilagem 
 
Respiração 
• Nada mais é que a entrada de ar no organismo + transporte e distribuição de 
O2 para células e tecidos + remoção e liberação de CO2 
Respiração externa: troca gasosa do ambiente com o corpo do animal 
Respiração interna: troca gasosa nos tecidos 
Respiração celular 
• Ventilação: bombeamento da água nas brânquias e do ar nos pulmões 
• Por que os animais respiram? Manter a troca gasosa para geração de ATP e 
troca gasosa, necessitam de um gás respiratório – oxigênio – para a sua 
atividade celular 
• Organismo não é capaz de produzir oxigênio – precisam obter o oxigênio 
presente no ar 
 
Respiração aquática 
Possui mecanismos adaptativos para obter o oxigênio na água 
Ventilação por meio das brânquias – água passando por meio de estruturas 
respiratórias 
Não uniforme – regiões mais vascularizadas que outras 
1. Respiração cutânea 
• Principal dos anfíbios e peixes 
• Respira pela pele – seletivamente permeável por meio da difusão simples 
• Troca gasosa direta pela pele (entra e sai), altamente vascularizada – entra pela 
pele e entra nas correntes sanguíneas 
• Eficiente para vertebrados de pequeno porte com baixos níveis de atividade 
• Ambientes altamente oxigenados - águas com correntes frias ou ambientes 
úmidos 
• Regiao bucofaringia - anuros: 
Quando o animal “canta” fecha a narina 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
• Desenvolveram respiração acessória – maior aproveitamento do ar 
Exemplo dos anuros: respiração pulmonar – pulmão simples unicameral 
(menor taxa de difusão) 
Respiração buco faringiana 
Ar entra passando pela narina externa e aprisionado na extensão 
bucofaringia (embaixo da língua), glote fechada (epiglote) – depois a 
glote se abre, o animal fecha as narinas por meio de válvulas e o ar 
vai para o pulmão 
2. Respiração branquial 
• Peixes e alguns anfíbios (girinos e axolotes) 
• Brânquia – estrutura respiratória 
• Água entra pela boca do animal e sai por uma abertura – ocorre a troca gasosa 
• Comem e cospem os restos para limpar as brânquias – possuem ligação direta 
com a boca (brânquias internas) 
• Brânquias internas – abrir e fechar a boca, promovendo a oxigenação - e 
externas – próprio movimento dessa estrutura ocorre a movimentação da 
água e a troca gasosa, mais propicio a predação (axolotes) 
Arco branquial (cartilaginoso) 
Rastros branquiais (filtram a água) 
Filamentos branquiais 
 
Respiração terrestre 
Ventilação por meio dos pulmões 
Respiração aérea 
• Componentes: 
Cavidade nasal, faringe, laringe, traqueia, brônquios, bronquíolos e pulmões 
• Função: 
Primaria – troca gasosas 
Secundarias – produção de sons – importante para várias espécies com 
contextos comportamentais (voz), regulação da temperatura, equilibro 
ácido-base (reflexo fisiológico) e olfato 
• Complexificação pulmonar 
Mudanças nas superfícies e desdobramentos 
• É feita em quatro processos distintos 
1. Ventilação: movimento do ar para dentro e fora dos pulmões 
2. Respiração externa: trocas gasosas entre o sangue e o ar dos pulmões 
3. Transporte de gases: realizado pelos eritrócitos (sangue) 
4. Respiração interna: trocas gasosas entre o sangue e os tecidos 
• Duas áreas: