A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
18 pág.
AVALIAÇÃO TEÓRICA ALVENARIA ESTRUTURAL

Pré-visualização | Página 1 de 4

1. Apresente as vantagens e as desvantagens do sistema construtivo em 
alvenaria estrutural, enfatizando as duas linhas de blocos mais adotadas 
no Brasil, concreto e cerâmica. 
 
O sistema construtivo em alvenaria estrutural caracteriza-se por se um 
sistema onde as cargas verticais e horizontais são suportadas por paredes 
estruturais, constituídas por blocos e argamassa de assentamento, não havendo 
a necessidade do emprego de vigas e pilares. A alvenaria estrutural pode ser 
armada, não armada ou protendida. 
As grandes vantagens da alvenaria estrutural são: 
• Economia, se comparada ao sistema construtivo convencional em 
concreto armado; 
• Execução simplificada, proporcionando rapidez na execução; 
• Redução do uso de formas, pois não necessita de vigas e pilares; 
• Redução em consumo de aço e concreto; 
• Facilidade para obter mão de obra qualificada ou para efetuar o 
treinamento da mão de obra; 
• Redução da mão de obra; 
• Eliminação de rasgos para embutir as instalações, pois utiliza os 
próprios furos da alvenaria para embutir instalações elétricas, e 
executa shafts para as instalações hidrossanitárias; 
• Redução de quebras, desperdícios e entulho na obra; 
• Redução das espessuras dos revestimentos, pois a geometria dos 
blocos é regular; 
• Bom isolamento térmico e acústico; 
• Facilidade de integração com outros subsistemas; 
• Racionalização na execução. 
As desvantagens do sistema são: 
• Exige um controle de qualidade mais trabalhoso, se comparado ao 
sistema construtivo convencional em concreto armado, pois 
demanda mais ensaios de todos os componentes da alvenaria 
(bloco, prisma, argamassa, graute); 
 
• Arquitetura restringida pela modulação dos blocos estruturais; 
• Não permite improvisações relacionadas a arquitetura, como por 
exemplo retirada de paredes para aumento de cômodo; 
• Limitação de grandes vãos e balanços; 
• Não permite paredes muito esbeltas. 
Os blocos estruturais mais utilizados no Brasil são os cerâmicos e os de 
concreto. E esses blocos também apresentam vantagens e desvantagens se 
comparados entre si. 
Os blocos de concreto são mais vantajosos se comparados aos blocos 
cerâmicos pois: exigem menos gasto com revestimento; proporcionam melhor 
desempenho acústico; apresentam maior regularidade geométrica, devido ao 
processo de fabricação; permitem projetar estruturas com mais pavimentos, pois 
é possível alcançar maiores resistências; propiciam menos desperdício causado 
por quebras devido às maiores resistências obtidas; proporcionam maior 
aderência à argamassa. 
Consequentemente, as desvantagens do bloco cerâmico são: exigem 
mais gasto com revestimento; possuem isolamento acústico inferior; apresentam 
menor regularidade geométrica; alcançam menores resistências; quebram com 
mais facilidade; proporcionam menos aderência à argamassa; 
Já os blocos cerâmicos são mais vantajosos se comparados aos blocos 
de concreto quanto ao: melhor desempenho térmico; leveza do bloco, facilitando 
a execução da alvenaria; menor absorção de água; 
Consequentemente, as desvantagens do bloco de concreto são: é 
termicamente menos eficiente; é mais pesado, o que atrasa mais o processo de 
execução da alvenaria; absorve mais água. 
 
2. Cite, conceituando e explicando as funções, a seguir, dos quatro 
componentes básicos da alvenaria estrutural. 
 
Os quatro componentes básicos da alvenaria estrutural são: bloco, 
argamassa, graute e armadura. 
 
BLOCOS: 
Os blocos são os principais elementos da alvenaria estrutural, e 
caracterizam-se pela industrialização e modulação, sendo responsáveis por 
resistir aos esforços de compressão e cargas acidentais, garantindo ainda 
isolamento térmico e acústico para a edificação. Podem ser classificados de 
acordo com o material empregado para a sua confecção em blocos cerâmicos, 
blocos de concreto e blocos sílico-calcários, sendo o último o menos utilizado no 
Brasil. O processo de fabricação dos dois tipos de blocos mais utilizados no 
Brasil é totalmente diferente, sendo um dos fatores que tem feito os blocos de 
concreto ganhar cada vez mais espaço, visto que ele é produzido de forma mais 
controlada através de vibroprensa por indústrias de pré-fabricação de concreto 
e pode alcançar maiores resistências à compressão, enquanto os blocos 
cerâmicos são produzidos por extrusão através de queima em fornos em altas 
temperaturas, e a matéria-prima não proporciona a possibilidade de adquirir 
resistências tão altas quanto os blocos de concreto. 
Os blocos devem obedecer a padrões impostos em Normas Brasileiras, de forma 
a apresentarem propriedades físicas de aspecto, absorção de água, esquadro, 
planeza, dimensões e resistência à compressão de acordo com o que é 
recomendado. 
Os blocos podem apresentar diferentes dimensões, sendo divididos em 
famílias de acordo com a sua modulação. E devem ser assentados com os furos 
na vertical. Os blocos possuem diferentes formas: inteiros ou padrão, meio bloco, 
bloco e meio, canaleta (utilizados para verga, contraverga e viga de cintamento) 
e os blocos compensadores (destinados a ajustes de modulação). 
ARGAMASSA: 
A argamassa de assentamento possui como funções: proporcionar a 
união dos blocos, gerando uma estrutura mista única chamada de alvenaria; 
vedar a parede contra a ação de água e outros agentes agressivos; uniformizar 
as ações atuantes entre as unidades da alvenaria absorvendo as deformações 
naturais sem romper. A resistência característica da argamassa de 
assentamento deve ser de no mínimo 1,5 MPa e no máximo 70% da resistência 
característica do bloco. 
As argamassas de assentamento de blocos estruturais podem ser de cal, 
de cimento, de cal e cimento e argamassas industrializadas. As argamassas que 
 
utilizam aditivos incorporadores de ar e superplastificantes devem receber 
atenção especial caso sejam utilizadas, pois criam mais poros na argamassa, 
causando a circulação de água no seu interior e consequente redução da 
resistência. A mais indicada é a argamassa de cimento e cal, pois a cal diminui 
a retração e melhora a trabalhabilidade e a retenção de água, enquanto o 
cimento proporciona maior resistência em menos tempo, assim a união de 
cimento e cal proporciona melhor comportamento da argamassa tanto no estado 
fresco quanto no endurecido. 
As principais propriedades da argamassa no estado fresco são 
trabalhabilidade, consistência, retenção de água, coesão da mistura e 
exsudação. Enquanto no estado endurecido as principais propriedades são 
resistência à compressão, aderência à superfície, durabilidade e capacidade de 
acomodar deformações e fissuras. 
A resistência da argamassa é de fundamental importância na resistência 
ao cisalhamento. 
GRAUTE: 
O graute é um concreto fluido, com função de preenchimento dos vazios 
dos blocos de alvenaria estrutural e canaletas, sem permitir a separação dos 
componentes. Os componentes do graute são: cimento, água, agregado e cal. A 
quantidade de cal deve ser dosada de acordo com a quantidade de cimento, de 
forma a não provocar a corrosão da armadura no interior do graute. O graute 
possui alta relação água/cimento, de forma a proporcionar alto valor de slump, 
de maneira a facilitar a sua aplicação nos vazios. As principais funções do graute 
são: solidarizar as armaduras; e aumentar a resistência da alvenaria em pontos 
localizados, como verga, contraverga, cintas de amarração, e em furos verticais 
dos blocos. Por isso o graute deve ser dosado de forma a garantir a resistência 
à compressão especificada em projeto, e ainda deve apresentar consistência na 
mistura e proporcionar aderência com as paredes dos blocos, de forma a não 
haver a separação dos componentes. A resistência mínima do graute estipulada 
em norma é de 15 Mpa. 
O lançamento do graute em furos verticais deve ser feito no máximo a 
1,60 m, ou seja, a cada 8

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.