Buscar

Resumo e respostas do livro anatomia dental de MIGUEL CARLOS MADEIRA

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 3, do total de 17 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 6, do total de 17 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 9, do total de 17 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Prévia do material em texto

DENTES:
-FUNÇÕES: mastigação, proteção e sustentação de tecidos moles, auxiliam na articulação
das palavras e são um importante fator na estética da face.
fixam nos ossos por meio de fibras que constituem o ligamento periodontal
raiz do dente + alvéolo= gonfose(tipo especifico de articulação fibrosa)
DECÍDUOS: 20 ( não tem pré molar)
PERMANENTES: 32
ORDEM IRRUPTIVA DECÍDUOS: ICI, ICS, ILI, ILS,PM,C,SM
PERMANENTES: PM,IC,IL,CI,PPM,SPM,CS,SM, TERC. MOLAR
INCISIVOS 11 ou 12
-forma de cunha ou chave de fenda para cortar os alimentos.
-2 sulcos rasos
- 3 lobos de desenvolvimento
- mamelões
- VESTIBULAR:- Estreita no terço cervical e larga no terço incisal
-bordas convergem na direção cervical
- borda mesial mais retilínea e continua em linha com a superfície mesial da raiz.
- borda distal mais convexa, mais inclinada e ao encontrar a superfície distal da raiz o faz
em ângulo.
LINGUAL; é mais estreita que a precedente, apresenta cíngulo, no teço médio e incisal
apresenta a fossa lingual, limitando a fossa as crista marginais d e m qe são espessas
proximo ao cíngulo e que vai perdendo a espessura conforme vai chegando nas bordas
incisais
sulcos, fossetas ou forame cego não são comuns nesta face.
raiz: cônica, o ápice costuma ser rombo e não desviado para distal
incisivo 12 e 22
menor em todas as dimensões com exceção do comprimento da raiz
vestibular: convexidade mais acentuada no sentido mesiodistal, borda incisal bem inclinada
para distal
lingual: cristas marginais mais salientes e fossa lingual mais profunda. cíngulo alto e mais
estreito, entre cíngulo e fossa lingual geralmente surge uma depressão em forma de fosseta
ou forame cego.
raiz: mais longa do que o central, mais afilada, mais achatada no sentido mesiodistal e mais
desviada para a distal.
incisivos centrais inferior
é o menor e mais simétrico dente da dentição permanente humana, seus elementos
anatômicos como sulcos e cristas, são menos evidentes.
vestibular: as bordas m e d encontram a borda incisal em ângulos quase retos muito ou ou
nada arredondados. o desgaste da borda incisal provoca inclinação desta para a mesial .
bordas m e d convergem para o colo.
face lingual: levemente côncava, cíngulo baixo e cristas marginais imperceptíveis fazendo
com que a fossa lingual seja uma leve depressão.
raiz: retilínea sem inclinação para qualquer lado e muito achatada mesio distalmente. sulcos
longitudinais evidentes sendo o distal mais profundo dos dois.
32 ou 42 incisivo lateral
é muito parecido com o ic mas ligeiramente maior em todas as suas dimensões da coroa e
raiz. até a borda incisal é um pouco mais larga. borda mesial é ligeraimente mais alta que a
distal
raiz longa mais robusta com sulcos mais profundos principalmente o distal e geralmente
desviada para distal
CANINO:13 OU 23
É o mais longo dos dentes, sua forma da coroa da um aspecto de força e robustez
vestibular: contorno pentagonal devido a presença de uma cúspide na borda incisal. as
bordas M e D convergem para o colo. a borda mesial é mais plana e plana do que a borda
distal, que é mais baixa e mais arredondada. toda face vestibular é bastante convexa
vista por incisal a metade mesial é mais convexa mais proeminente e mais projetada para a
vestibular do que a metade distal.]
lingual: mesma silhueta da face vestibular, mas é mais estreita principalmente ao terço
cervical. cíngulo e cristas marginais bem desenvolvidos. cíngulo robusto lembrando uma
pequena cúspide. algumas vezes a face lingual é lisa se a presença de cristas ou de fossas.
raiz: conica, fortissima , longa e reta, raramente se desvia acentuadamente para distal, é
sulcada longitudinalmente nas superfícies mesial e distal.
CANINO 33 OU 43
MAIS ESTREITO QUE O CANINO SUPERIOR, SUA FACE É MAIS CONVEXA, os sulcos
de desenvolvimento são apenas vestigiais. a broda mesial é mais alta que a distal , mais
retilínea e continua alinhada a superfície da raiz. borda distal mais inclinada e curva
face lingual: nem o cíngulo nem as cristas marginais são bem marcados, fossa lingual
pouco escavada.
raiz: 1 a 2mm mais curta que o canino superior e bastante achatada no sentido mesiodistal,
a raiz inclina-se frequentemente para distal.
primeiro pré molar superior 14 ou 24:
semelhante ao canino apesar de ser um quarto menor e ter seus sulcos e convexidades
menos desenvolvidos.
face lingual: mais lisa, convexa e menor em todas as dimensões, o segmento distal da
aresta longitudinal da cúspide lingual é maior que o mesial. desse modo o vértice da
cúspide acha-se deslocado para a mesial em relação ao ponto médio da coroa.
face oclusal: tem forma pentagonal por que a borda vestibular é nitidamente dividida em
mesiovestibular e distovestibular, devido ao tamanho das cúspides o sulco que as separa se
encontra ligeiramente deslocado para a lingual, é retilíneo.
raiz: geralmente possui 2 raízes cônicas de inclinação distal, sendo vestibular maior e
lingual menor, algumas vezes são fusionadas com uma linha demarcatória bem nítida elas
podendo ou não haver bifurcação apical.
SEGUNDO PRÉ MOLAR SUPERIOR 15 OU 25:
coroa similar à do primeiro pré- molar mas é menor em todos os sentidos, além de ter
elevações e depressões menos marcados. seus ângulos mais arredondados dão às face
vestibular e lingual um aspecto ovóide e não angular.
face oclusal: contorno oval ou circular e não pentagonal.
o sulco primário é central e não deslocado para lingual. o vértice da cúspide lingual
encontra-se alinhado com o ponto médio da coroa, cristas marginais menos acentuadas.
Pequena extensão do sulco principal no centro da coroa as fossetas mesial e distal estão
mais próximas entre si. muitos sulcos secundários.
raiz: raiz única em 90 % dos casos é muito achatada mesio distalmente com profundos
sulcos longitudinais que dão à sua secção transversal a forma de um haltere. o terço apical
desvia-se distalmente na maioria das vezes. o comprimento da raiz se equivale ao do
primeiro pré molar.
primeiro pré molar inferior 34 ou 44
face vestibular: lembra a do canino porém menos alta. é bilateralmente simétrica, com
cúspide situada sobre o longo eixo do dente, segmento mesial é um pouco menor e menos
inclinado; o vértice da cúspide se desvia para a mesial.
face lingual: pelo aspecto lingual do dente vezes quase toda a face oclusal, isto é ainda
facilitado pelo fato de roda a coroa ser inclinada para a lingual.unico acidente anatômico:
pequeno sulco proveniente da fosseta mesial da face oclusal, poucas vezes ausente. ele
separa a cúspide lingual da crista marginal mesial.
face oclusal:ovóide, com polo maior na vestibular, as bordas mesial e distal convergem para
lingual.
a cúspide vestibular domina a face oclusal; seu vértice se encontra no centro dessa face.
As cúspides vestibular e lingual são sempre unidas por uma ponte de esmalte.
raiz: sulcos longitudinais pouco profundos e às vezes quase nada imperceptíveis marcam a
superfície mesial da raiz . Vista por vestibular a raiz encurva-se um pouco para distal.
SEGUNDO PRÉ MOLAR INFERIOR 35 OU 45:
mais volumosa que a do primeiro pré-molar inferior, possui uma cúspide lingual de
proporções bem maiores.
face vestibular: cúspide vestibular menos ponteaguda com sua aresta longitudinal mais
horizontalizada. bordas mesial e distal menos convergentes para o colo. face vestibular
inclina se para a lingual.
face lingua: mais larga, a cúspide lingual é central ou um pouco deslocada para mesial, há
constante depressão entre cúspide e a crista marginal distal,
face oclusal:contorno circular. as duas formas gerais mais comuns são bicuspidata e a
tricuspidata.
raiz: cônica com sulcos longitudinais poucos pronunciados, exibe um desvio para distal.
RELAÇÃO ENTRE LIGAMENTO ALVEOLODENTAL E GONFOSE;
O dente fixa-se no osso por meio de fibras colágenas que constituem o ligamento
alveolodental, esta união da raiz do dente ao seu alvéolo é denominada gonfose.
DIFERENÇA ENTRE COMO E LINHA CERVICAL;
A coroa(esmalte) e a raiz(dentista) são unidas por uma porção intermediária chamada colo,
no colo a junção cemento-esmalte desenha umalinha sinuosa e bem nítida chamada linha
cervical.
COROA ANATÔMICA OU COROA CLÍNICA;
Parte do dente revestida por esmalte é chamada de coroa anatômica, se diferencia da
coroa clínica que é aquela parte do dente exposta na cavidade da boca.
O'QUE É FORAME APICAL? E ONDE SE LOCALIZA?
Todas as raízes tem sua extremidade livre conhecida como ápice, no qual há uma abertura
denominada forame apical que pode ser único ou múltiplo e nem sempre se localiza no
extremo da raíz. Põem em comunicação a polpa com o periodonto. Nele passam vasos e
nervos.
ONDE SE SITUA O TERÇO CERVICAL DA COROA;
É o terço da região do colo
SALIÊNCIAS;
-CÍNGULO
-CRISTA MARGINAL
-PONTE DE ESMALTE
-TUBÉRCULO
-BOSSA
-CÚSPIDE
DEPRESSÕES
-SULCO PRINCIPAL
-SULCO SECUNDÁRIO
-FOSSETAS
-FOSSA
O que é cúspide e quais são suas partes?
Saliência em forma de pirâmide quadrangular, típica de pré molares e molares. possui duas
vertentes lisas e triturantes/oclusais que são separadas por arestas longitudinais. as
vertentes lisas e triturantes mesiais são separadas das homônimas distais em uma mesma
cúspide por arestas transversais. as vertentes e as arestas encontram-se no vértice da
cúspide.
PARA QUE DIREÇÕES CONVERGEM AS FACES LIVRES E AS FACES DE CONTATO
DOS DENTES NOS SENTIDOS VERTICAL E HORIZONTAL? POR QUE?
No sentido vertical as faces vestibular e lingual convergem em direção incisal e oclusal, em
incisivos e caninos em virtude do seu perfil triangular, nos pré molares e molares o perfil
triangular se transforma em perfil trapezoidal.
no sentido horizontal ambas as faces livres convergem ligeiramente na direção distal.
COMO É FORMADA A ÁREA DE CONTATO E ONDE ELA SE LOCALIZA NO DENTE;
As faces mesial e distal convergem em direção cervical, como consequência o maior
diâmetro mesiodistal está no terço incisal e oclusal e o menor no terço cervical, como os
dentes se tocam, esse toque se dá pela maior proeminência mesial de uma dente com a
correspondente distal do vizinho. O local de toque é conhecido como área de contato que
se situam próximas a borda incisal ou à face oclusal.
QUAIS SÃO OS ESPAÇOS CRIADOS PELA ÁREA DE CONTATO?
No sentido vertical, reconhece-se um pequeno espaço no lado oclusal da area de contato, o
sulco interdental e um grande espaço no lado oposto, o espaço interdental ocupada pela
papila interdental.
DIFERENÇA ANATÔMICA EXISTENTE ENTRE AS FACES MESIAL E DISTAL EM
TODOS OS DENTES:
Face mesial maior e mais alta que a distal
Face mesial plana e reta e face distal convexa e curva
BOSSA CERVICAL E LÓBULO DE DESENVOLVIMENTO;
A maior proeminência vestibular fica restrita ao terço cervical e é conhecida como bossa
vestibular
Já os lobos de desenvolvimento são centros primários de formação do dente durante a
embriogênese, que depois que se fusionam deixam sulcos como vestígios de sua
independência.
POR QUE AS RAÍZES DO DENTE TENDEM A SE DESVIAR EM DIREÇÃO A DISTAL?
O desvio distal da raiz é explicado pela posição distalizada da artéria nutridora do dente
durante a sua formação, com o crescimento da raiz em direção dessa artéria dental.
VARIAÇÃO ANATÔMICA DENTAL;
O aparecimento de um tubérculo extra, de uma cúspide a mais ou a menos, de uma raiz
supranumerária são variações que não raro aparecem. Não se trata de anomalias dentais
pois as variações anatômicas não são disfuncionais.
DIFERENÇA ENTRE ARESTA E VERTENTE
Vertentes: São as faces da cúspide podendo ser lisa(externas) e
triturantes(internas). Arestas: (longitudinal e transversal) São segmentos de retas
formados pela união de vertentes de uma mesma cúspide ou de uma crista
transversal, normalmente em número de quatro para cada cúspide
SE A FACE OPOSTA À FACE VERTICAL( VIRTUAL) LIMITADA PELAS BORDAS
VESTIBULAR, LINGUAL, MESIAL E DISTAL, É DENOMINADA OCLUSAL, PORQUE AS
MESMAS SUPERFÍCIE DOS DENTES INCISIVOS E CANINOS É CONHECIDA COMO
BORDA INCISAL:
Nos incisivos e caninos , as faces vestibular e lingual se encontram na borda incisal,
que nesses dentes anteriores correspondem à face oclusal.
SULCOS E FISSURAS SÃO SINÔNIMOS?
Sim pois sulcos são depressões linear aguda, estreita, que separa as cúspides
umas das outras, no seu trajeto pode haver defeitos de desenvolvimento,que
provoca falta de coalescência do esmalte, traduzida por fendas também lineares
denominadas fissuras.
-AS FACES E CONTATO CONVERGEM NO SENTIDO VERTICAL EM DIREÇÃO A
CERVICAL.
No sentido HORIZONTAL CONVERGEM PARA A LINGUAL.
FACE MAIS LARGA: VESTIBULAR
AS ÁREAS DE CONTATO( NAS QUAIS DOIS DENTES SE TOCAM) DAS FACES
DE CONTATO FICAM MAIS PRÓXIMAS DE VESTIBULAR OU DE LINGUAL?
FICAM NO TERÇO CERVICAL OU INCISAL DESSAS FACES?
mais próximas da vestibular e no terço incisal
QUAL É A FACE MAIS ALTA MESIAL OU DISTAL? Mesial
no incisivo central inferior não exibe esse caráter
DIFERENÇA NO CONTORNO DOS ÂNGULOS MÉSIO INCISAL E DISTO
INCISAL:
Face mesial plana e reta e face distal convexa e curva
SÃO SALIÊNCIAS: PONTE DE ESMALTE, CRISTA MARGINAL, TUBÉRCULO,
BOSSA E CÚSPIDE.
A LINHA EQUATORIAL NA FACE VESTIBULAR TEM SUA CONCAVIDADE
VOLTADA PARA OCLUSAL(OU INCISAL) OU PARA A CERVICAL? E NA FACE
MESIAL?
R: Na face vestibular sua concavidade fica voltada para a cervical e na face mesial
fica voltada para face oclusal.
A CURVATURA DA LINHA CERVICAL É MAIS ACENTUADA NOS DENTES
ANTERIORES OU NOS DENTES POSTERIORES? E TAMBÉM NO LADO MESIAL
OU NO DISTAL?
R: Mais acentuada nos dentes anteriores, e mais acentuada no lado mesial do que
no distal.
Escolha uma destas siglas para dar cada resposta correta: MV, ML, DV, DL, MO,
DO,LO, MI, DI, VI, E LI.
-O ângulo diedro do 37, em que a superfície mais próxima do plano mediano, aquele
que corta o arco dental entre dois incisivos centrais( deveria se chamar incisivos
mediais), une-se com a superfície mais próxima da bochecha: ____
- na linha do 12, em que o lado adjacente ao canino se une com a borda
cortante:____
-o ângulo diedro do 48 em que a superfície posterior a coroa se une a superfície
mais próxima da língua:_______
-o ângulo diedro do 25 em que a superfície oclusal se une com a superfície
adjacentes ao 26:____
- o ângulo diedro 14 em que a superfície de mastigação se une ao lado mais
próximo da bochecha:___
- o ângulo diedro de 45, em que a superfície triturante se une com o lado que fica
mais proximo a língua:___
-QUAL O SIGNIFICADO DA BORDA INCISAL SERRILHADA DOS INCISIVOS
RECÉM-ERUPCIONADOS: POR QUE ESSA CONDIÇÃO NÃO EXISTE NO
HOMEM ADULTO?
R: exibe a presença de três mamelões, os quais são pequenas eminências que, a
semelhança dos sulcos vestibulares, constituem vestígios da separação dos lóbulos
de desenvolvimento, depois que completam a erupção e adquirem uma posição
funcional(uso e atrição) provocam o desaparecimento gradual dessas saliências.
QUE DIFERENÇA EXISTE NO CONTORNO MÉSIO INCISAL E DISTO INCISAL? A
ÁREA DE CONTATO FICA MAIS PRÓXIMA DE QUAL DELES?
Na borda incisal o ângulo mésio incisal é mais agudo do que o ângulo disto incisal,
que é mais obtuso e arredondado. a area de contato distal se situa mais
cervicalmente do que a area de contato mesial que se situa bem proximo ao angulo
mesio incisal.
A FACE LINGUAL DO INCISIVO CENTRAL SUPERIOR POSSUI SULCOS E
FOSSETAS?
R; não são comuns nessa face do dente
QUAL É A FORMA DO CONTORNO DA FACE MESIAL DO INCISIVO CENTRAL
SUPERIOR E EM QUE LOCAL ELA É MAIS LARGA?
R: A borda mesial é mais retilínea e continua em linha com a superfície mesial da
raiz e mais larga no terço incisal.
O DESGASTE DA BORDA INCISAL DOS INCISIVOS SUPERIOR FICA DO LADO
LINGUAL OU VESTIBULAR? POR QUE?
R: Face lingual, desgasta pois adquirem uma posição funcional( uso e atrição)
EXPLIQUE QUAIS SÃO AS DIFERENÇAS DO CONTORNO DA FACE
VESTIBULAR DO INCISIVO CENTRAL E LATERAL SUPERIOR:
A coroa é do ic é mais volumosa que o il
ic tem sua coroa alargada e o il alongada
angulo distal do ic pouco arredondado enquanto do il muito arredondado
face lingual do incisivo lateral superior:
tem os mesmo elementos do incisivo central superior porém com crista marginalmais salientes e fossa lingual mais profunda, cíngulo mais estreito e entre o cíngulo
e fossa lingual geralmente surge uma depressão em forma de fosseta( o forame
cego).
DIFERENÇA ENTRE EXISTENTES ENTRE AS RAÍZES DA IC E ILS
R: ambas são cônicas porém a il é mais achatada, o ápice da ic costuma ser rombo
e não muito desviado para distal enquanto da il seu terço apical é mais desviado
para a distal. il é mais longa que ic.
diferenças da face língua do incisivo superior com a dos incisivos inferior:
diferente do incisivo superior o cíngulo é baixo e as cristas marginais são
dificilmente perceptíveis fazendo com quem sua fossa lingual seja apenas uma leve
depressão.
O'QUE SIGNIFICA A COROA DO INCISIVO LATERAL INFERIOR ESTAR
“TORCIDA” EM RELAÇÃO A RAIZ?
R: Eles variam muito quanto sua forma ocasionalmente essas variações são tão
grandes que são consideradas anomalias de desenvolvimento como por exemplo a
coroa e raízes torcidas.
EXPLIQUE QUAIS SÃO AS DIFERENÇAS DO CONTORNO DA FACE
VESTIBULAR DO INCISIVO CENTRAL E DO LATERAL INFERIOR?
a coroa da do incisivo lateral difere da do central por apresentar as bordas mesial e
distal mais inclinadas, o que lhe dá um aspecto tendente triangular.
DESCREVA A CONFORMAÇÃO DA RAIZ DO INCISIVO INFERIOR:
Tendem a conformação reta. A raiz é retilínea, sem inclinação para qualquer
lado, e muito achatada mésio-distalmente, com uma dimensão vestibular
maior que a lingual.
QUAIS SÃO OS CONTORNOS DA FACE VESTIBULAR DO CANINO SUPERIOR
E DO INFERIOR:
contorno pentagonal
PELO ASPECTO INCISAL PERCEBE-SE UMA DIFERENÇA ENTRE AS METADES
MESIAL E DISTAL DA FACE VESTIBULAR . Qual é ELA? ESTA DIFERENÇA
OCORRE SOMENTE EM CANINOS SUPERIORES?
Quando vista pela incisal, seu contorno mesiodistal mostra uma particularidade
propria dos caninos( superior e inferior): a metade mesial é mais convexa, mais
proeminente e mais projetada para vestibular do que a metade da distal
COMPARE A RAIZ DO CANINO SUPERIOR COM A DO INFERIOR E CITE AS
DIFERENÇAS ENCONTRADAS:
R: A raiz do canino superior é cônica, fortíssima, longa e reta, e raramente se desvia
para a distal também é sulcada longitudinalmente nas superfícies mesial e distal.
Já do canino inferior é 1 ou 2mm mais curta que o canino superior e bastante
achatada no sentido mesiodistal e sua raiz inclina-se frequentemente para a distal
ou pelo menos seu terço apical.
DESCREVA A FACE LINGUAL DO CANINO SUPERIOR:
tem a mesma silhueta da face vestibular mas é mais estreita principalmente no terço
cervical. as cristas marginais e o cíngulo são bem desenvolvidos no canino superior(
cíngulo robusto lembrando uma cúspide. algumas vezes a crista lingual é lisa sem a
presença de crista ou de fossas.
PRÉ-MOLAR
AO COMPARAR A FACE VESTIBULAR DO CANINO SUPERIOR COM A DO
PRIMEIRO PRÉ MOLAR SUPERIOR, QUAIS SÃO AS DIFERENÇAS QUE SE
PODEM NOTAR?
esta face é semelhante á do canino superior, apesar de ser um quarto menor e ter
seus sulcos e convexidades menos desenvolvidos. A única grande diferença no
formato é o segmento mesial da aresta longitudinal da cúspide, mais longo que o
segmento distal da mesma cúspide.
O VÉRTICE DA CÚSPIDE LINGUAL DOS PRÉ-MOLARES SUPERIORES ESTÁ
MAIS DESLOCADO PARA MESIAL OU PARA LINGUAL: EM QUAL DESTES DOIS
LADOS A ARESTA LONGITUDINAL DESTA CÚSPIDE É MAIS ALTA?
mais deslocado para mesial, a aresta longitudinal mesial da cúspide lingual é mais
baixa, enquanto a distal é mais alta.
VOLUME E ALTURA DAS CÚSPIDES DOS PRÉ MOLARES SUPERIORES:
O'QUE ISSO TEM A VER COM A POSIÇÃO DO SULCO CENTRAL:
a cúspide vestibular é mais volumosa e mais alta que a lingual. por ser assim, o
sulco principal é deslocado para a lingual.
COMPARE A FACE OCLUSAL DO PRIMEIRO PRÉ MOLAR COM O SEGUNDO
PRÉ MOLAR :
fossetas: 1° pre molar formadas pela crias marginal e pelos sulcos vestibulo-oclusal
e linguo oclusal que a margeiam.
2° elas estão bem próximas entre si, tanto a mesial quanto a oclusal.
DESCREVA A PORÇÃO RADICULAR DO PRIMEIRO PRÉ MOLAR SUPERIOR\;
Tem duas raízes cônicas inclinadas para distal, sendo a vestibular maior e a lingual
menor. Podem estar fusionadas entre si e apresentar ou não bifurcação apical; em
alguns casos a raiz vestibular pode se dividir e tornar o dente trirradicular.
CITE 7 CARACTERÍSTICAS DIFERENCIAIS ENTRE O PRIMEIRO PRÉ MOLAR
SUPERIOR E SEGUNDO:
● O 1º é mais longo e mais largo que o 2º;
● A convergência dos lados proximais é mais acentuada no 1º.PS,
conferindo à região cervical do 2º. PS um aspecto mais largo;
● O 1º.PS é o único a apresentar a ponta da cúspide vestibular
deslocada para dista do longo eixo, tornando o declive mesial maior
que o distal;
● Formato da cúspide vestibular do 1º. PS é mais “afiado” ou
pontiagudo;
● 60% dos 1º possuem duas raízes, enquanto a maioria dos 2º são
monorradiculares;
● Cúspide palatina é mais curta, especialmente no 1º PMS;
● A concavidade mesial aparece em 100% dos 1º.PS, envolvendo o
terço cervical da coroa, continuando na raiz;
FAÇA UMA EXPLANAÇÃO SOBRE A INCLINAÇÃO LINGUAL DA FACE
VESTIBULAR DOS PRÉ MOLARES INFERIOR.
Face vestibular Pode ser inscrita num pentágono. No seu terço cervical nota-se
uma bossa vestibular proeminente; a partir dela, a face é mais plana e bastante
inclinada para o lado lingual. Esta inclinação é tão acentuada que a ponta da
cúspide vestibular chega a corresponder ao eixo do dente.
O QUE ACONTECE COM A VÉRTICE DA CÚSPIDE VESTIBULAR EM
CONSEQUÊNCIA DESSA INCLINAÇÃO? O MESMO OCORRE COM A MESMA
CÚSPIDE DOS PRÉ-MOLARES SUPERIORES:
Com a inclinação lingual, o vértice da cúspide vestibular coincide com o longo
eixo do dente, caindo sobre o eixo vertical da raiz. Não, nos superiores a cúspide
não tem essa inclinação.
QUAIS SÃO AS PECULIARIDADES DA FACE LINGUAL DO PRIMEIRO
PRE-MOLAR INFERIOR EM RELAÇÃO AO SEGUNDO?
● 1º. PI tem coroa mais estreita na lingual, enquanto o 2º. PI tem
lingual bastante larga;
● Cúspide lingual muito curta e estreita no 1º. PI (não funcional);
● 2º. PI com uma ou duas cúspides linguais (mésio-lingual é mais
larga)
POR QUE GERALMENTE SE FORMAM DUAS FOSSETAS NA FACE OCLUSAL
DO PRIMEIRO PRÉ-MOLAR INFERIOR: DE QUAL DELAS PARTE UM SULCO EM
DIREÇÃO LINGUAL?
Há uma ponte de esmalte que separam as duas fossetas, sendo a fosseta distal
maior e mais lingual, enquanto a fosseta mesial é menor e mais vestibular.
DESCREVA A FACE OCLUSAL DO SEGUNDO PRÉ MOLAR INFERIOR:
O segundo pré-molar inferior tem a face oclusal circular e pode apresentar variações
morfológicas quanto ao número de cúspides. Quando bicuspidado, a cúspide vestibular é mais
alta e mais larga que a palatal, possuindo um sulco curvilíneo que as divide. Quando
tricuspidado, a cúspide vestibular é a maior, seguida da mesiolingual, e, por último, a
distolingual. O sulco da face oclusal passa a ter um formato de Y com abertura distal. Esse
dente possui apenas uma raiz.
DESCREVA A RAIZ DO PRÉ MOLAR INFERIOR;
raiz única, cônica ou levemente achatada no sentido mésio-distal, abrigando um
canal amplo e retilíneo.
características de todos os dentes:faces curvas, face vestibular maior que lingual,
face mesial maior que distal ( menos incisivo inferior 31) no primeiro pré molar
inferior face mesial geralmente menos alta que a distal. face mesial plana e reta e
face distal convexa e curva. linha cervical e inclinação da face vestibular na direção
lingual.

Outros materiais