A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
91 pág.
O ENSINO DA MÚSICA NA EDUCAÇÃO FUNDAMENTAL_ Caminho para Construção de uma Educação Cidadã

Pré-visualização | Página 7 de 17

a etapas sucessivas do conhecimento. 
A teoria de Piaget se aplica, como sustentação teórica, a este processo, à medida 
que cada estágio de sua teoria corresponde a uma fase específica de aquisição de 
habilidades musicais e compreensão do processo. 
 A partir da teoria de Piaget, o educador musical Keith Swanwick, elaborou 
dois modelos: o Modelo Espiral de Desenvolvimento Musical e o Modelo (T)EC(L)A5, 
com o objetivo de construir uma base teórica para o ensino musical. 
 O Modelo Espiral tem como objetivo correlacionar os estágios de 
desenvolvimento descritos por Piaget com uma teoria cognitiva da música, 
contemplando as principais características do fenômeno musical em quatro níveis: 
Materiais, Expressão, Forma e Valor. 
 Já o Modelo (T)EC(L)A permite a construção de atividades e planos de aula 
que contemplem todas as instâncias do fazer musical, articulando uma interação 
entre os quatro estágios de cognição musical com uma prática pedagógica eficiente 
e baseada em critérios definidos de capacidade de aquisição de habilidades e 
cognição musical. 
 
 
 
 
5 A partir do termo em inglês CLASP – Composition, Literature, Audition, Skill 
Acquisition e Performance, temos, em português a palavra equivalente TECLA, 
significando: Técnica, Execução, Composição, Literatura e Apreciação. 
 
 38 
3.1 COGNIÇÃO SEGUNDO JEAN PIAGET 
 
 
 O psicólogo e biólogo, suíço, Jean Piaget (1896-1980), é um teórico 
interacionista6 responsável pela teoria sobre a Construção do Conhecimento; 
composta por quatro mecanismos distintos, sucessivos e contínuos: Esquema, 
Assimilação, Acomodação e Equilibração; sendo este último o alicerce de sua teoria. 
 Através da passagem por estes mecanismos ocorrem diversas mudanças, 
tanto qualitativas como quantitativas, nas estruturas cognitivas. O indivíduo, constrói 
e reconstrói tais estruturas continuamente, tornando-o cada vez mais apto ao 
equilíbrio. Para Piaget, todo organismo vivo busca manter-se em equilíbrio ou 
adaptar-se em seu meio superando as perturbações provenientes dele. 
 A teoria de Piaget “é a maior trajetória de desenvolvimento elaborada em toda 
a psicologia evolutiva, sendo, desta forma, referência singular que dá conta de julgar 
todas as demais existentes” (GARDNER apud ZIMMERMAN, 1964). 
O perfil da teoria de Piaget traz o vínculo do pensamento com a ação, ou seja, 
toda ação desenvolvida por um indivíduo passa antes pelo pensamento. É uma 
teoria com bases biológicas onde Piaget considerou as muitas funções de todo 
organismo vivo e suas interações com o meio em que vivem. 
 Além deste aspecto, sua teoria traz um caráter gradativo no sentido do 
crescimento cognitivo onde percebe que a inteligência humana permeia etapas 
sucessivas e cada vez mais elevadas que vão do sensório-motor ao operatório-
 
6 Uma das Concepções do Desenvolvimento Humano – Apoia-se na idéia de interação entre o 
organismo e o meio e vê a aquisição de conhecimento como um processo construído pelo indivíduo 
durante toda sua vida, não estando pronto ao nascer nem sendo adquirido passivamente graças as 
pressões do meio. Experiências anteriores servem de base para novas construções que dependem, 
todavia, também da relação que o indivíduo estabelece com o ambiente numa situação determinada 
(DAVIS, 1994, p. 36) – As demais Concepções são: A Inatista e a Ambientalista. 
 39 
formal. Todo conhecimento adquirido, em qualquer que seja a etapa de 
desenvolvimento, se dá pela interação. Há três pontos básicos que são 
fundamentais para o cumprimento deste processo, são ele: 
 
a)- a criança como agente principal de sua aprendizagem; 
b)- o desenvolvimento; 
c)- a profundidade de compreensão. 
 
 A interação entre estes pontos produz o comportamento cognitivo que 
constitui um signo exterior, das capacidades de assimilação e acomodação, do 
indivíduo; sendo a acomodação a terminologia cognitiva que representa a 
aprendizagem, pois possibilita a absorção das idéias de forma conceitual. 
• Esquemas, são estruturas mentais em que o indivíduo, inconscientemente, 
organiza seu intelecto. A medida em que se vai adquirindo desenvolvimento 
mental, estas estruturas vão se modificando. 
• Assimilação, é o processo cognitivo que permite a classificação de eventos 
externos em esquemas já existentes, há um aumento no fluxo de informações de 
fontes externas resultando na ampliação dos esquemas. 
• Acomodação, é a modificação de um esquema em função do objeto a ser 
assimilado, considerando suas particularidades. Há uma troca qualitativa de 
informações, enquanto novos esquemas de pensamento vão se formando. Ela 
ocorre por duas vias: 
– criação de um novo esquema, onde o estímulo (objeto) será encaixado; 
– ou, a modificação de um esquema já existente, onde o estímulo será incluído. 
 40 
 Ocorrendo a Acomodação, a criança repete a ação de encaixar o estímulo no 
esquema, neste momento, acontece a Assimilação. A Acomodação ocorre pela 
ação do sujeito sobre o objeto. Logo, o balanço entre assimilação e acomodação 
é denominado Adaptação. 
• Equilibração, ocorre no momento em que uma situação de pouco equilíbrio 
passa para uma situação de maior equilíbrio. 
 
Figura 1. As invariantes funcionais. 
 
 
As construções originadas por estes mecanismos seguem um padrão 
denominado por Piaget de Estágios7 e são demarcados por determinadas faixas 
etárias. Contudo, a ordem seqüencial entre os estágios é mais importante do que o 
valorizar a faixa etária que compreende cada estágio, visto que, cada criança possui 
um ritmo próprio. 
 Pode-se considerar que todo tipo de aprendizagem evolui pela passagem 
gradativa dos estágios elaborados por Piaget, pois toda aquisição de conhecimento 
 
7 Esta expressão é substituída, por outros autores, assumindo uma das seguintes nomenclaturas: 
etapas, níveis ou períodos. 
 
 41 
exige, cada vez mais, níveis elevado de abstração o que não difere no campo da 
música. 
 A criança, ao nascer, passa a ter contato diário com a linguagem verbal, 
principalmente, pela audição e posteriormente, pela oralidade. No início deste 
processo as palavras são, para as crianças, significantes sem significado8. Com a 
chegada da maturidade ou domínio da linguagem verbal, os significados vão sendo 
agregados trazendo o sentido real para elas. No próximo estágio virá a aquisição da 
escrita. Este processo é praticamente natural, e há uma influência significativa do 
meio, que direciona o indivíduo para sua adequação nestes padrões. 
 Lamentavelmente, não ocorre, nesta mesma freqüência, com a linguagem 
musical, embora a presença da música seja marcante, desde o nascimento, em 
todas as instâncias da vida humana. Contudo, para que haja um efetivo aprendizado 
musical, é necessário que o indivíduo interaja com a música, exercendo ação direta 
sobre o som, e bom seria se pudesse ser na mesma intensidade com a qual ocorre 
na aquisição da linguagem verbal. 
 É verdade, porém, que há grande diferença entre a linguagem verbal e 
musical, sendo esta última mais complexa, pois exige quatro elementos 
fundamentalmente necessários: altura, timbre, duração e intensidade; enquanto que 
a linguagem verbal exige apenas dois destes elementos: duração e altura que são 
responsáveis pelo ritmo e som. Por esta razão, salvo algumas exceções, a 
linguagem musical acontece após a aquisição da linguagem verbal, por exigir uma 
 
8 Significante – imagem acústica que é associada a um significado numa língua, para formar o signo 
lingüístico [segundo Saussure, essa imagem acústica não é o som material, ou seja, a palavra falada, 
mas sim a impressão psíquica desse som]. (HOUAISS, 2004). 
 Significado – conteúdo semântico de um signo lingüístico; acepção, sentido, significação, conceito, 
noção. (HOUAISS, 2004).