A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Psi psicólogo especializado na oncologia

Pré-visualização | Página 1 de 1

PSICÓLOGO ESPECIALIZADO NA ONCOLOGIA
Considerando as informações psicoterapêuticas fornecidas ao paciente, familiares e profissionais da saúde, os atendimentos, individuais ou em grupo, têm relevante importância. Quando os envolvidos compreendem que trabalhar clínica, social e psicologicamente a origem de seus sintomas, os mesmos apresentam melhoras consideráveis, reduzindo os níveis de estresse, diminuindo as mudanças de humor, mais controle na ansiedade e nesses parâmetros proporcionando melhoras na qualidade de vida. Podemos verificar que a abordagem permite aos envolvidos possam lidar com as mudanças e procurem mecanismos mais adequados para, de maneira mais tranqüila, se adequar às condições que se encontram. 
A presença do psicólogo especializado na oncologia e sua forma de atuação, fundamentada e evidenciada cientificamente, é valorizada diante dos demais profissionais em áreas do conhecimento diversos, visto o número de solicitações para acompanhamento de pacientes oncológicos, pois vem aumentando a demanda diante dos resultados positivos nos pacientes em tratamento.
A técnica da Terapia da Dignidade é a mais indicada para esses casos. Avaliando o pré e pós- intervenção nos casos onde foi utilizada a técnica, os estudos foram concludentes em afirmar que os pacientes apresentaram melhoras nos níveis de depressão e no senso de dignidade, sinalizando para a efetividade da terapêutica. Resultando no que se pode ver também, diante de conflitos que os pacientes haviam tido com familiares, além de uma resposta natural na revisão do conflito, posturas e comportamentos vivenciados ao longo da vida.
Apesar de não se dispor de resultados oriundos de testagens psicométricas que venham a apoiar esta suposição, acredita-se que o paciente apresentava características de personalidade que favoreceram o resultado positivo, pois se tratava de uma pessoa flexível, generosa e afetiva, além de aceitar sugestões, ter facilidade nos relacionamentos interpessoais e ter percebido a intervenção como uma oportunidade de crescimento, o que se identifica através da valorização dos encontros e à solicitação de que fossem estendidos, mesmo após a conclusão da técnica.
REFERÊNCIAS:
ESPÍNDOLA, A. V. BENINCÁ, C. R. S. SCORTEGAGNA, S. A. SECCO, A. C. ABREU, A. P. M. Terapia da Dignidade para Adultos com Câncer em Cuidados Paliativos: Um Relato de Caso. Trends in Psychology - Temas em Psicologia. Passo Fundo. Junho 2017, Vol. 25, nº 2, 733-747. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/tp/v25n2/v25n2a17.pdf. Acesso em: 03 jun 2019.