A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
265 pág.
manual eSocial 1 0

Pré-visualização | Página 13 de 50

Avaliação individual dos eventos extemporâneos 
 
A avaliação para recepção dos eventos extemporâneos é feita de forma individual. Portanto, caso 
o início e fim de um afastamento tiverem sido enviados no mesmo evento, esse, via de regra, pode ser 
excluído extemporaneamente. 
Caso o início e o término de um afastamento tenham sido enviados em eventos separados, a 
exclusão de um desses eventos, via de regra, é recusada. Isto porque, ao tentar enviar o evento de 
exclusão do início do afastamento, o sistema não aceitaria pela existência de um evento posterior de 
retorno de afastamento incongruente com o encadeamento lógico dos eventos, já que não pode haver 
retorno de afastamento sem início. E, por sua vez, a exclusão do fim do afastamento só é aceita se não 
houver nenhum outro evento posterior incompatível com de afastamento do empregado (exemplo: 
outro afastamento, desligamento, aviso prévio...). 
 
 
41 
 
16.1.6. Limitação de efeitos dos eventos de alteração cadastral e alteração contratual 
 
Os eventos de alteração cadastral e contratual (S-2205 e S-2206, respectivamente) enviados 
extemporaneamente são sempre aceitos (desde que posteriores à admissão do trabalhador), dada a 
sua compatibilidade com os demais eventos, ou seja, esses eventos não geram qualquer incongruência 
de encadeamento. Contudo, uma alteração contratual/cadastral extemporânea só tem efeito até a 
próxima alteração do mesmo tipo. 
Por exemplo: 
Empregador envia a admissão de um trabalhador com cargo de vendedor em 01/01/2017 com 
salário de R$ 2.000,00. 
Em 01/03/2017 envia uma alteração contratual aumentando o salário para R$ 2.200,00. 
Em 01/06/2017 envia uma outra alteração contratual aumentando o salário para R$ 2.500,00. 
Em 09/2017 envia um evento extemporâneo de alteração contratual, com data de alteração em 
01/02/2017, alterando o cargo desse empregado de Vendedor para Gerente. 
Este evento extemporâneo é aceito com sucesso, contudo, a alteração de cargo produz efeitos 
apenas até a alteração contratual seguinte, em 01/03/2017, já que, ao enviar a alteração contratual de 
salário, o evento reenvia todas as informações de contrato do trabalhador, inclusive do cargo, que era, 
à época de “vendedor”. 
Portanto, nesse caso, se o empregador quiser alterar o cargo do empregado a partir de 02/2017, 
deve efetuar a retificação em todas as subsequentes alterações contratuais para aquele empregado. 
 
16.1.7. Envio de eventos com data de ocorrência situada em período de versão anterior do leiaute 
 
O que determina a versão do leiaute a ser utilizada pelo usuário é sempre a data do envio do 
evento e não a data da ocorrência do fato a que ele se refere. Ou seja, caso seja enviado em 05/2019 
um evento de admissão ocorrida em 06/2018, a versão do leiaute a ser utilizada é a 2.5, vigente em 
05/2019, e não a versão 2.4.02, vigente em 06/2018. 
Cabe destacar alguns pontos: 
- Quando há implementação de nova versão do leiaute é definido um período de convivência de 
versões (com duração variável em função da extensão das modificações) e, neste período, é permitido 
o envio dos eventos em qualquer uma das versões, tanto na versão nova quanto na que está sendo 
substituída (para maiores informações, consultar o item 21.1 do Capítulo I deste Manual), salvo quando 
42 
 
a nova versão contém novos campos necessários à elaboração de cálculos. Nesse caso, para que os 
cálculos considerem a nova informação, o declarante tem de utilizar a nova versão. 
- Quando campos obrigatórios são criados em determinada versão do leiaute com exigência de 
informações que não eram exigidas na versão anterior, a validação do campo criado deve definir um 
marco temporal a partir do qual essa informação passa a ser obrigatória, para evitar que a retificação 
ou o envio extemporâneo de evento referente ao passado obrigue o usuário à prestação de uma 
informação que não era exigível à época e que ele pode não possuir. 
Segue exemplo deste tipo de validação, retirada do evento S-2200. 
tmpResid trabImig E N 0-1 001 - Tempo de residência do trabalhador imigrante: 
1 - Prazo indeterminado; 
2 - Prazo determinado. 
Validação: Preenchimento obrigatório se ({dtAdm} ou {dtExercicio}) >= 
[2021-03-08]. 
Valores Válidos: 1, 2. 
 
16.1.7.1. Envio extemporâneo de evento cadastral com data de ocorrência anterior à mudança de 
nome do trabalhador. 
 
Para a recepção de evento cadastral (S-2200, S-2300 e S-2205) o sistema faz validação das 
informações do CPF, nome e data de nascimento do trabalhador na base cadastral da Receita Federal 
do Brasil, contudo, é importante esclarecer que esta validação tem como base a data de envio do 
evento e não a data de sua ocorrência. Exemplo: Uma empregada foi admitida em 01/05/2018 com 
nome: Julia Santos. Na data de sua admissão o sistema validou o nome no CPF e, somente após a sua 
confirmação, o evento foi aceito. Em 01/11/2018 essa empregada se casou e incluiu o sobrenome do 
marido. Diante disso foi enviado um evento S-2205 para atualização cadastral de seu estado civil e 
nome. O evento foi aceito após confirmação na base do CPF, onde seu nome já havia sido atualizado 
para Julia Santos Matos. Em 12/2018 o empregador percebeu que deveria ter lançado, em 07/2018, 
uma atualização de endereço da empregada, através de um evento de alteração cadastral (S-2205). 
Apesar de a empregada utilizar seu nome de solteira naquela data, o evento deve ser enviado com seu 
nome atual, porque o sistema faz a integração com o cadastro CPF tendo como base a data de envio 
do evento extemporâneo. 
 
17. Exclusão de eventos 
 
Para exclusão de eventos transmitidos indevidamente, faz-se necessária a transmissão de 
arquivo no leiaute previsto em S-3000, observando as regras dispostas neste Manual. 
43 
 
No caso de exclusão o procedimento do declarante é o de enviar o evento S-3000 identificando 
o evento a ser excluído nos campos tipo de evento {tpEvento} e no campo {nrRecEvt} o número do 
recibo do arquivo originalmente enviado a ser excluído. 
Somente é permitida a exclusão de eventos não periódicos e periódicos. Para proceder a uma 
exclusão de tabelas o declarante transmite o evento tabela respectivo preenchendo as informações no 
grupo [exclusao]. 
A exclusão dos eventos obedece às seguintes regras: 
a) não é possível excluir nenhum dos eventos periódicos – S-1200 a S-1270 – relativos a um 
período de apuração que se encontre "encerrado", ou seja, para o qual já exista evento S-1299, antes 
do envio do evento de reabertura respectivo S-1298. 
b) não é possível a exclusão de um evento de remuneração quando houver evento de pagamento 
(S-1210) a ele vinculado. Portanto, para essa exclusão o evento de pagamento deve ser previamente 
excluído. 
c) a exclusão de alguns tipos de eventos não periódicos pode ser rejeitada em algumas situações, 
quando sua exclusão gerar inconsistência no encadeamento de eventos posteriores. Por exemplo, não 
é possível excluir um evento de admissão se já houver outro evento não periódico posterior para o 
mesmo CPF/Vínculo. 
d) em caso de exclusão de qualquer evento não periódico ou periódico, as informações de CPF 
do trabalhador, indicados no evento de exclusão, devem ser os mesmos que constam no evento objeto 
de exclusão. 
e) somente é permitido excluir evento não periódico ou periódico com o mesmo {procEmi} do 
evento original, exceto: 
1) Evento enviado por WS-WebService pode ser excluído no Web Geral e vice-versa; 
2) Evento enviado pelo aplicativo operacionalizado pela Junta Comercial pode ser excluído 
por WS-WebService, Web Geral ou nos módulos WS-Simplificados (a possibilidade de envio pelo balcão 
único ainda não tem previsão para entrar em produção). 
 
18. Consulta das informações e download dos arquivos transmitidos 
 
Existem duas formas de o declarante consultar as informações transmitidas ao Ambiente 
Nacional do eSocial. A primeira delas é acessar o Web Geral e fazer

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.