A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
13 pág.
04629dd1-aef0-4752-a487-21743afced58-1

Pré-visualização | Página 1 de 2

3 
 
3 
 
3 
 
 
 
 
 
 
 
 TECNÓLOGO GESTÃO HOSPITALAR​	 
 
 
 
Nome​: ​Claudinei Roberto Leme 
 
 
 
 
 
 
 
 2020 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 PRODUÇÃO TEXTUAL 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Trabalho apresentado para obtenção de aprovação ao quarto semestre portfólio individual. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
SUMÁRIO 
 
 
 
 
 
1.INTRODUÇÃO
 2.Desenvolvimento 
 3.ETAPA 1........................................1
 4.ETAPA 2........................................2
 5.ETAPA 3........................................3
 6.ETAPA 4........................................4
 7.CONSIDERAÇÕES FINAIS..........5
 8. REFERÊNCIAS............................6
 
 
Neste estudo vamos discutir um pouco sobre o SUS e sua atuação 
frente a pandemia que enfrentamos ultimamente. 
A pandemia de COVID-19, também conhecida como pandemia de 
coronavírus, é uma pandemia global contínua de doença por coronavírus 2019 (COVID-19), causada pela síndrome respiratória aguda grave coronavírus 2 (SARS-CoV-2). O surto foi identificado pela primeira vez em dezembro de 2019 em Wuhan, China. A Organização Mundial da Saúde declarou o surto como Emergência de Saúde Pública de Preocupação Internacional em 30 de janeiro de 2020 e uma pandemia em 11 de março. Em 18 de agosto de 2020, mais de 21,8 milhões de casos de COVID-19 foram notificados em mais de 188 países e territórios, resultando em mais de 773.000 mortes; mais de 13,8 milhões de pessoas se recuperaram 
Vamos seguir os questionamentos da nossa situação geradora de 
aprendizagem para o desenvolvimento deste estudo. 
 
 
DESENVOLVIMENTO 
 
ETAPA 1 
 
O impacto do COVID-19 na demanda do consumidor aconteceu de 
forma bastante abrupta em março. A demanda por muitos bens e serviços despencou devido ao distanciamento social voluntário e aos pedidos obrigatórios de estadia em casa. 
A COVID-19 enfatizou o setor de saúde de forma desproporcional e 
os hospitais em especial. Os hospitais tratam a maioria dos pacientes que contraíram a doença e, portanto, há menos oportunidades de acesso aos hospitais devido às políticas e protocolos estabelecidos para o tratamento de pacientes com coronavírus. Isso produziu quedas chocantes na oferta e na demanda por cuidados de saúde em hospitais. 
Oferta e demanda, em economia, relação entre a quantidade de uma 
mercadoria que os produtores desejam vender a vários preços e a quantidade que os consumidores desejam comprar. É o principal modelo de determinação de preços utilizado na teoria econômica. O preço de uma mercadoria é determinado pela interação da oferta e da demanda em um mercado. O preço resultante é conhecido como preço de equilíbrio e representa um acordo entre produtores e consumidores do bem. No equilíbrio, a quantidade de um bem fornecido pelos produtores é igual à quantidade demandada pelos consumidores. 
A quantidade demandada de uma mercadoria depende do preço 
dessa mercadoria e potencialmente de muitos outros fatores, como os preços de outras mercadorias, as rendas e preferências dos consumidores e os efeitos sazonais. Na análise econômica básica, todos os fatores, exceto o preço da mercadoria, são frequentemente mantidos constantes; a análise envolve, então, examinar a relação entre os vários níveis de preços e a quantidade máxima que potencialmente seria comprada pelos consumidores em cada um desses preços. As combinações de preço-quantidade podem ser traçadas em uma curva, conhecida como curva de demanda, com o preço representado no eixo vertical e a quantidade representada no eixo horizontal. Uma curva de demanda é quase sempre inclinada para baixo, refletindo a disposição dos consumidores de comprar mais da mercadoria a níveis de preços mais baixos. Qualquer mudança nos fatores não relacionados ao preço causaria uma mudança na curva de demanda, enquanto as mudanças no preço da mercadoria podem ser rastreadas ao longo de uma curva de demanda fixa. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
ETAPA 2 
 
A atenção como na maioria dos casos sempre este a frente e nada 
diferente como a pandemia. A atenção primária criou alguns eixos da atenção primária focadas ao enfrentamento à Covid-19. A atenção básica hoje procura garantir o acesso, o fluxo específico, identificação precoce e atendimento resolutivos frente aos casos leves do COVID-19. 
A criação dos centros de atendimento par enfrentamento da COVID-19 veio como uma forma de organizar o atendimento, procurando atender de forma rápida e centralizada esses casos de covid-19 em lugares específicos. Isso já se torna excelente pois retira esse fluxo de ter contatos com os demais pacientes das unidades. Além disso, esses centro possui grande resolutividade pois podem articular com as RAS que são as redes de atenção à saúde (RAS). Nós precisamos atender o paciente e também dar continuidade ao tratamento que ele precisa independe do seu nível de atenção, isso completem nossos princípios do SUS, sobre a integralidade do atendimento. 
Nota-se que em meio à crise, o SUS procurou amparar todas as 
cidades e todos os cidadãos, mesmo dentro do caos muitas coisas boas em relação ao apoio e atendimento dos casos foram realizadas, tem sido um trabalho excelente. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 	 
ETAPA 3 
 
O do Sistema Único de Saúde (SUS) desde a sua criação até hoje 
se tem debatido muito sobre os sobre seus avanços - bem como sobre os problemas enfrentados. O SUS teve o objetivo de mudar o quadro de desigualdade na atenção à saúde da população, tornando obrigatório o atendimento público a qualquer cidadão, sendo os serviços oferecidos na atenção primária, secundária e terciária 
Contudo, “é difícil falar em um Sistema de Saúde universal e justo 
em um país como o Brasil, onde muitos não têm condições de sobreviver (...). Por esse ponto de vista, o 'SUS necessário', para a gente ter um mais sociedade justa, é definida por seus princípios jurídicos. Entretanto, o 'SUS possível', hoje, é aquele que se encontra no funcionamento cotidiano dos serviços de saúde. Apesar dos avanços significativos realizados desde seu início na década de 1990, o 'SUS possível' e o 'SUS necessário' permanecem distantes ”. 
De acordo com seus princípios, o SUS aponta para uma ampliação 
da atuação dos profissionais de saúde, com o objetivo de possibilitar a todos garantir um atendimento de qualidade para todos, com competência técnica e humana e alinhado às diretrizes do sistema, além de estabelecer vínculos com o serviço, usuários, permitindo a sua participação nas tomadas de decisão nos serviços de saúde. 
Esses princípios, ao serem utilizados como referencial, permitem o 
reconhecimento de que toda a instituição de saúde e seus profissionais têm o compromisso de atender às necessidades de saúde do usuário com qualidade técnico-científica, devendo resolver as questões através do acesso e também do acolhimento. 
Ao considerar que as experiências nos serviços de saúde e as 
informações disponíveis definem construções psicossociais que são compartilhadas pelo grupo social a que pertencem os indivíduos, estas constituem, portanto, representações socioprofissionais, caracterizadas por uma construção híbrida entre o saber convencional e o reificado. conhecimento. 
Por esse ponto de vista, as representações sociais são 
caracterizadas pelo conhecimento da sabedoria comum que norteia as decisões, as ações, os pensamentos e as atitudes dos grupos e das pessoas em suas rotinas, mas também podem ser utilizadas para analisar o conhecimento técnico-profissional constituído sobre determinado objeto de trabalho. 
Concluindo, podemos dizer que o SUS tem desempenhado um 
papel muito importante no desenvolvimento de estratégias no combate a pandemia, tanto na parte assistência quanto na proteção e promoção à saúde da população. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 	 
ETAPA 4 
 
A vigilância em saúde é representada em suas três esferas,

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.