Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
265 pág.
manual eSocial 1 0

Pré-visualização | Página 20 de 50

O evento S-2420 
deve ser enviado com o campo {mtvTermino} preenchido com [10] – “Mudança de CPF” e a informação 
do novo CPF preenchida no campo {mudancaCPF}. O novo S-2400 deve ser enviado com o CPF alterado. 
O novo S-2410 deve ser enviado com o campo {indSitBenef} preenchido com [3] – “Mudança de CPF” 
do beneficiário e o grupo [mudancaCPF] preenchido, dessa vez com os dados do CPF anterior. Os 
seguintes campos do novo S-2410 devem ser idênticos aos informados no S-2420: {dtIniBeneficio} e 
{tpBeneficio}. 
66 
 
CAPÍTULO III – ORIENTAÇÃO ESPECÍFICA POR EVENTO 
 
S-1000 – Informações do Empregador/Contribuinte/Órgão Público 
 
Conceito: evento onde são fornecidas pelo declarante as informações cadastrais e outros dados 
necessários ao preenchimento e validação dos demais eventos do eSocial, inclusive para apuração 
das contribuições previdenciárias devidas ao RGPS e para depósito do FGTS. Esse é o primeiro evento 
que deve ser transmitido pelo declarante. Não pode ser enviado qualquer outro evento antes desse. 
Quem está obrigado: o declarante, no início da utilização do eSocial e toda vez que ocorra alguma 
alteração nas informações relacionadas aos campos envolvidos neste evento. 
Prazo de envio: a informação prestada neste evento deve ser enviada no início da utilização do eSocial 
e pode ser alterada no decorrer do tempo, hipótese em que deve ser enviado este mesmo evento 
com a informação nova, quando da sua ocorrência. 
Pré-requisitos: não há. 
Informações adicionais: 
1. Assuntos gerais 
1.1. Neste evento estão discriminadas informações que influenciam a apuração correta das 
contribuições previdenciárias e dos depósitos do FGTS, como a classificação tributária do contribuinte, 
indicativo de desoneração da folha, isenções para entidades beneficentes de assistência social, acordos 
internacionais para isenção de multa, cooperativas de trabalho, construtoras, entre outras. 
1.2. O cadastro do declarante guarda as informações de forma histórica, não podendo haver 
informações diferentes para o mesmo evento e período de validade. 
2. Entidade Beneficente de Assistência Social 
2.1. Os contribuintes com classificação tributária 80 (Entidade Beneficente de Assistência Social 
isenta de contribuições sociais) que possuírem CEBAS devem informar o grupo [dadosIsencao]. Os 
demais não podem informar esse grupo. O campo {nrCertif} deve ser preenchido com o número do 
CEBAS, número da portaria de concessão do Certificado, ou, no caso de concessão por meio de Lei 
específica, o número da Lei. Todavia, durante o processo de renovação do certificado, o campo 
{nrCertif} pode ser preenchido com o número do protocolo de renovação e com os dados do CEBAS 
expirado. 
 
67 
 
3. Produtor rural 
3.1. O produtor rural contribuinte deve preencher o indicativo da opção pela forma de tributação 
da contribuição previdenciária, por meio do campo {indOpcCP}, nos termos da legislação tributária. Ele 
tem a opção de recolher sobre a comercialização da sua produção ou sobre a folha de pagamento. O 
não preenchimento desse campo implica a opção pela tributação sobre a comercialização da sua 
produção. Essa informação só pode ser prestada por Produtor Rural Pessoa Jurídica, Consórcio 
Simplificado de Produtores Rurais e Pessoa Física, exceto Segurado Especial. 
3.2. No caso de produtor rural pessoa física, esse evento deve ser informado com o número do CPF, 
ainda que, eventualmente por força de legislação estadual, ele tenha de ter inscrição no CNPJ. 
4. Sociedade que mantém equipe de futebol profissional 
4.1. A sociedade que mantém equipe de futebol profissional e exerce atividade econômica 
organizada para a produção e circulação de bens e serviços deve utilizar a classificação tributária [99]. 
Nesse caso, o regime de tributação diferenciado das associações desportivas que mantêm equipe de 
futebol profissional somente se aplica às atividades diretamente relacionadas com a manutenção e 
administração de equipe profissional de futebol. As demais atividades são tributadas regularmente 
sobre a folha de pagamento. Sendo assim, a classificação tributária [11] deve ser usada apenas pelas 
associações desportivas que mantêm equipe de futebol profissional e não exercem outras atividades 
econômicas. 
5. Acordos internacionais 
5.1. O campo indicativo de existência de acordo internacional {IndAcordoIsenMulta} do grupo 
[InfOrgIntenacional] é de preenchimento exclusivo de entidades cuja natureza jurídica sejam 
enquadradas no grupo 5 – “Organizações Internacionais e Outras Instituições Extraterritoriais” – do 
Anexo V da Instrução Normativa RFB nº 1.863, de 2018. 
6. Entidades despersonalizadas 
6.1. Este evento em relação às entidades despersonalizadas, a exemplo dos consórcios 
simplificados de empregadores rurais, embora possuam CNPJ, deve ser enviado com as informações 
do CPF da pessoa física encarregada de contratar e gerir os empregados (ver item 7.1 do Capítulo I 
deste Manual). 
7. Órgãos públicos 
7.1. Se a natureza jurídica do declarante for da Administração Pública Federal (naturezas 101-5, 
104-0, 107-4, 110-4, 113-9, 116-3, 125-2, 128-7 e 134-1) o campo {nrInsc} deve ser preenchido com o 
68 
 
CNPJ completo, ou seja, com 14 posições. Nos demais casos, deve ser informado o CNPJ com 8 
posições. 
7.2. O campo {cnpjEFR}, referente ao EFR deve ser preenchido com o número do CNPJ da União, 
Estado, Distrito Federal ou Município ao qual se vincula o órgão declarante. Esse campo é de 
preenchimento obrigatório para declarantes com natureza da administração pública. 
7.3. O eSocial permite que as informações dos órgãos públicos vinculados a um mesmo Ente 
Federativo sejam transmidas com S-1000 próprio ou como estabelecimento (S-1005) vinculado a outro 
S-1000, conforme exemplos adiante: 
CNPJ 
NATUREZA 
JURÍDICA 
RAZÃO SOCIAL 
05.893.631/0001-09 (EFR) 1244 Município de Guajará-Mirim 
04.058.475/0001-90 1066 Câmara Municial de Guajará-Mirim 
16.464.981/0001-68 1201 
Instituto de Previdência Social dos Servidores Públicos 
Municipais de Guajará-Mirim 
 
Exemplos: 
1 – Forma Unificada: O evento S-1000 tem o campo {nrInsc} preenchido com o valor [05893631] e 
o campo {cnpjEFR} com o valor [05893631000109]. Já os órgãos vinculados a esse Ente Federativo 
são incluídos no evento S-1005, mesmo possuindo CNPJ raiz diferente da informada no S-1000. 
Nesse caso, mesmo assim, cada CNPJ raiz, exceto aqueles dispensados da DCTFWeb, conforme lista 
constante no item 12 do Capítulo I deste Manual, deve enviar o evento S-1000 e, na primeira 
competência dos eventos periódicos, o S-1299 na situação “Sem movimento” em relação a cada um 
deles. 
2 – Forma não Unificada: O evento S-1000 tem o campo {nrInsc} preenchido com o número de 
inscrição do CNPJ de cada órgão e o campo {cnpjEFR} com o valor [05893631000109]. Nesse caso, 
cada CNPJ raiz envia seu evento S-1000 e presta as demais informações, inclusive o fechamento 
mensal. Os CNPJ raiz referentes a entidades dispensadas da DCTFWeb, conforme lista constante no 
item 12 do Capítulo I deste Manual, não precisam enviar o evento S-1000. 
7.4. Os órgãos públicos federais, vinculados ao mesmo EFR (União), devem encaminhar o S-1000 de 
forma unificada ou não unificada, ainda que os órgãos declarantes possuam CNPJ com a mesma raiz. 
Exemplo: 
CNPJ 
Natureza 
Jurídica 
Razão Social 
26.989.715/0001-02 1074 Ministério Público da União 
26.989.715/0002-93 1074 Ministerio Publico do DF e dos Territorios 
26.989.715/0003-74 1074 Ministério Público Federal 
69 
 
26.989.715/0004-55 1074 Ministerio Publico Militar 
26.989.715/0005-36 1074 Ministerio Publico do Trabalho 
26.989.715/0016-99 1074 Procuradoria da Republica no Estado de MG 
26.989.715/0034-70 1074 Procuradoria Regional do Trabalho 3ª Regiao 
 
Nesse exemplo, o Ministério Público da União pode optar por enviar um único S-1000, incluir cada 
uma das suas unidades (CNPJ com 14 posições) no S-1005 e fazer
Página1...161718192021222324...50