A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
265 pág.
manual eSocial 1 0

Pré-visualização | Página 43 de 50

referentes à base cálculo informada em {vrTotCom} grupo [tpComerc] vinculados ao 
respectivo {indComerc} grupo [tpComerc]. 
7.2. (Excluído e transformado no item 1.2) 
8. Isenção de contribuição previdenciária sobre a comercialização rural 
8.1. Não integra a base de cálculo da contribuição previdenciária a produção 
rural destinada ao plantio ou reflorestamento, nem o produto animal destinado à reprodução ou 
criação pecuária ou granjeira e à utilização como cobaia para fins de pesquisas científicas, quando 
vendido pelo próprio produtor e por quem a utilize diretamente com essas finalidades e, no caso 
de produto vegetal, por pessoa ou entidade registrada no Ministério da 
Agricultura, Pecuária e Abastecimento que se dedique ao comércio de sementes e mudas no País. 
8.2. A isenção referida no item 8.1 não abrange a contribuição devida ao SENAR, que continua 
sendo obrigatória. 
 
142 
 
9. Indicativo de guia (indGuia) 
9.1. Esse campo é destinado a ser informado apenas por empregadores pessoas físicas, que 
recolhem por meio de DAE nas seguintes situações: 
a) caso seja empregador doméstico, somente deve ser preenchido se gerado pelo Simplificado 
doméstico e pelo APP doméstico; e 
b) caso seja segurado especial, sempre deve ser preenchido. 
9.2. O objetivo desse campo é direcionar o tratamento das informações que gerarão apurações 
autônomas para recolhimento em documentos de arrecadação distintos, quais sejam, DAE ou DARF. 
9.3. Por exemplo, caso o declarante pessoa física seja empregador doméstico e produtor rural 
pessoa física, deve proceder conforme adiante: 
a) as informações relativas aos empregados domésticos são prestadas no Módulo simplificado, 
com envio do campo {indGuia} preenchido com [1], com fechamento independente, gerando os 
valores devidos para recolhimento em DAE; 
b) as informações relativas aos empregados rurais são prestadas por meio de WS-Webservice 
ou do Web Geral, sem envio do campo {indGuia}, para que sejam apuradas com fechamento 
independente, para recolhimento em DARF. 
9.4. Para pessoas jurídicas, esse campo não deve ser informado. 
 
S-1270 – Contratação de Trabalhadores Avulsos Não Portuários 
 
Conceito: São informações referentes aos serviços prestados por trabalhadores avulsos não 
portuários. 
Quem está obrigado: Os tomadores de serviços de trabalhadores avulsos não portuários 
intermediados pelo sindicato. 
Prazo de envio: este evento deve ser enviado até o dia 15 (quinze) do mês seguinte ou antes do envio 
do evento S-1299. Em razão de necessidade de cumprimento da obrigação relativa à entrega da 
DCTFWeb, e considerando que o envio das informações ao eSocial é condição para aquela entrega, 
caso na data término do prazo de envio do evento não haja expediente bancário, deve-se antecipar 
esse envio para o dia útil imediatamente anterior. 
Pré-requisitos: envio do evento S-1000, S-1005 e S-1020. 
 
143 
 
Informações adicionais: 
1. Assuntos gerais 
1.1. As empresas tomadoras dos serviços prestados pelos trabalhadores avulsos não portuários 
devem informar os totais das remunerações pagas, dos valores entregues a título de décimo terceiro 
salário proporcional e das contribuições descontadas dos trabalhadores avulsos não portuários. 
1.2. Os sindicatos informam a folha de pagamento dos avulsos não portuários para alocação 
individualizada dos valores para o FGTS e previdência social no evento S-1200. 
1.3. As informações referentes às retenções na fonte do imposto de renda são prestadas pelo 
sindicato dos trabalhadores avulsos não portuários. 
1.4. A informação deste evento serve para apurar as contribuições previdenciárias e a contribuição 
para o FGTS devidas em decorrência da contratação de trabalhadores avulsos não portuários, que são 
devidas, conforme legislação pertinente, pelo tomador dos serviços. 
1.5. O décimo terceiro salário proporcional dos avulsos é pago juntamente com a folha de 
pagamento mensal e não em folha específica de 13° salário. 
2. Indicativo de guia (indGuia) 
2.1. Esse campo é destinado a ser informado apenas por empregadores pessoas físicas, que 
recolhem por meio de DAE nas seguintes situações: 
a) caso seja empregador doméstico, somente deve ser preenchido se gerado pelo Simplificado 
doméstico e pelo APP doméstico; e 
b) caso seja segurado especial, sempre deve ser preenchido. 
2.2. O objetivo desse campo é direcionar o tratamento das informações que gerarão apurações 
autônomas para recolhimento em documentos de arrecadação distintos, quais sejam, DAE ou DARF. 
2.3. Por exemplo, caso o declarante pessoa física seja empregador doméstico e produtor rural 
pessoa física, deve proceder conforme adiante: 
a) as informações relativas aos empregados domésticos são prestadas no Módulo simplificado, 
com envio do campo {indGuia} preenchido com [1], com fechamento independente, gerando os 
valores devidos para recolhimento em DAE; 
b) as informações relativas aos empregados rurais são prestadas por meio de WS-Webservice 
ou do Web Geral, sem envio do campo {indGuia}, para que sejam apuradas com fechamento 
independente, para recolhimento em DARF. 
 
144 
 
2.4. Para pessoas jurídicas, esse campo não deve ser informado. 
 
S-1280 – Informações Complementares aos Eventos Periódicos 
 
Conceito: evento utilizado para prestar informações que afetam o cálculo da contribuição 
previdenciária patronal sobre as remunerações pagas, devidas ou creditadas por declarantes, quando 
este for optante pela desoneração de folha de pagamento e pelo Simples Nacional com tributação 
previdenciária substituída e não substituída. Esse evento não é aplicável às informações relativas aos 
servidores vinculados ao RPPS. 
Quem está obrigado: 
a) As empresas optantes pelo Simples Nacional que exercerem atividades concomitantes, ou seja, 
aquelas cuja mão-de-obra é empregada de forma simultânea em atividade enquadrada no anexo IV 
em conjunto com atividades enquadradas em um dos demais anexos (I, II, III e V) da Lei Complementar 
nº 123/2006; 
b) As empresas que desenvolvem as atividades ou a venda de produtos relacionados no art. 7º e/ou 
no art.8º que optarem pela desoneração da folha de pagamento prevista na Lei nº 12.546/2011; e 
c) O OGMO (classificação tributária 9 na “Tabela 8 – Classificação Tributária” do eSocial), em relação 
aos Operadores Portuários que se sujeitam à Contribuição Previdenciária sobre a Receita Bruta, dos 
artigos 7º a 9º da Lei nº 12.546/2011. 
Prazo de envio: deve ser transmitido até o dia 15 (quinze) do mês subsequente ao mês de referência 
do evento ou antes do envio do evento S-1299, exceto o referente a período de apuração anual (13º 
salário, gratificação natalina etc), caso em que deve ser transmitido até o dia 20 do mês de dezembro 
do ano a que se refere, ou antes do envio do correspondente evento S-1299. Em razão de necessidade 
de cumprimento da obrigação relativa à entrega da DCTFWeb, e considerando que o envio das 
informações ao eSocial é condição para aquela entrega, caso na data término do prazo de envio do 
evento não haja expediente bancário, deve-se antecipar esse envio para o dia útil imediatamente 
anterior. 
Pré-requisitos: envio do evento S-1000 e S-1020 para o OGMO. 
Informações adicionais: 
1. Empresa optante pelo Simples Nacional 
1.1. As empresas optantes pelo Simples Nacional, que exercerem atividades concomitantes, têm o 
recolhimento previdenciário patronal proporcional à parcela da receita bruta auferida nas atividades 
145 
 
enquadradas no Anexo IV da Lei Complementar nº 123/2006, em relação à receita bruta total 
recebida pela empresa; 
1.2. No campo fator utilizado no mês {fatorMes}, o cálculo mensal da contribuição patronal dos 
trabalhadores envolvidos na execução das atividades enquadradas no Anexo IV, em conjunto com as 
dos Anexos I a III e V da Lei Complementar nº 123/2006, é obtido pela fração cujo numerador é a 
receita bruta auferida

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.