A maior rede de estudos do Brasil

Explique o comportamento da frequência cardíaca (FC) e da pressão arterial (PA) durante um exercício resistido (musculação)?

Educação Física

Anhanguera


6 resposta(s)

User badge image

Ana Nazato

Há mais de um mês

Durante o exercício resistido, musculação, ocorre uma elevação da frequência cardíaca (FC) e da pressão arterial (PA). 

A FC reflete a quantidade de trabalho que o coração deve realizar para suprir o metabolismo corporal, devido às alterações promovidas pelo exercício. No início do exercício a FC aumenta em proporção direta ao aumento da intensidade, até estabilizar-se indicando que se aproxima do valor máximo e do ponto de exaustão.

A PA é composta pela pressão sistólica (PAS), a mais alta pressão nas artérias, e pela pressão diastólica (PAD), a menor pressão nas artérias. No exercício resistido ocorre um aumento tanto da PAS quanto da PAD, devido à constrição capilar pelos músculos ativos e ao aumento do débito cardíaco, causando uma elevação também na pressão arterial média.

Durante a fase concêntrica, as respostas de PA parecem ser maiores do que na fase excêntrica dos exercícios de força. As respostas hemodinâmicas variam conforme a intensidade do esforço. 

Em exercícios com cargas leves, acontece o aumento da FC e da pressão arterial sistólica (PAS), enquanto que, quando utilizadas cargas altas também há um aumento da pressão arterial diastólica (PAD), mostraram que sessões com cargas mais baixas, 40% da carga máxima, reduzem tanto a pressão arterial sistólica quanto a diastólica no período de recuperação, o que não ocorre com cargas mais elevadas, 80% da carga máxima, que reduz apenas a pressão arterial sistólica.

Durante o exercício resistido, musculação, ocorre uma elevação da frequência cardíaca (FC) e da pressão arterial (PA). 

A FC reflete a quantidade de trabalho que o coração deve realizar para suprir o metabolismo corporal, devido às alterações promovidas pelo exercício. No início do exercício a FC aumenta em proporção direta ao aumento da intensidade, até estabilizar-se indicando que se aproxima do valor máximo e do ponto de exaustão.

A PA é composta pela pressão sistólica (PAS), a mais alta pressão nas artérias, e pela pressão diastólica (PAD), a menor pressão nas artérias. No exercício resistido ocorre um aumento tanto da PAS quanto da PAD, devido à constrição capilar pelos músculos ativos e ao aumento do débito cardíaco, causando uma elevação também na pressão arterial média.

Durante a fase concêntrica, as respostas de PA parecem ser maiores do que na fase excêntrica dos exercícios de força. As respostas hemodinâmicas variam conforme a intensidade do esforço. 

Em exercícios com cargas leves, acontece o aumento da FC e da pressão arterial sistólica (PAS), enquanto que, quando utilizadas cargas altas também há um aumento da pressão arterial diastólica (PAD), mostraram que sessões com cargas mais baixas, 40% da carga máxima, reduzem tanto a pressão arterial sistólica quanto a diastólica no período de recuperação, o que não ocorre com cargas mais elevadas, 80% da carga máxima, que reduz apenas a pressão arterial sistólica.

User badge image

leandro pacheco

Há mais de um mês

Durante o exercício resistido ocorre uma elevação da FC e da PA. As respostas de pressão arterial parecem ser maiores durante a fase concêntrica, do que na fase excêntrica dos exercícios de força (FALKEL, FLECK e MURRAY, 1992). As respostas hemodinâmicas variam conforme a intensidade do esforço

User badge image

leandro pacheco

Há mais de um mês


pressão arterial sistólica (PAS) aumenta diretamente na proporção do aumento do débito cardíaco. A pressão arterial diastólica reflete a eficiência do mecanismo vasodilatador local dos músculos em atividade, que é tanto maior quanto maior for a densidade capilar loca

Essa pergunta já foi respondida!