A maior rede de estudos do Brasil

o kps do oxalato de mercurio hgc2o4 é igual a 1,0.10-3. Calcule a solubilidade do composto em g/l


1 resposta(s)

User badge image

Ana Julia Dias

Há mais de um mês

cálculo do Kps (produto de solubilidade) está relacionado com dois equilíbrios químicos que ocorrem quando um eletrólito (um sal, uma base ou um ácido) pouco solúvel forma com a água uma solução saturada com corpo de fundo. Os dois equilíbrios são:

  • Equilíbrio de dissolução

XaYb(aq) → XaYb(ppt)

Nesse equilíbrio, a velocidade em que o eletrólito dissolve-se na água é igual à velocidade em que ele se precipita. A constante de equilíbrio (Kc) é:

Kc =    1    
      XaYb(aq)

XaYb(aq) → aX+(aq) + bY-(aq)

Como o eletrólito dissolve-se na água, automaticamente ele se dissocia, liberando cátion e ânion. Nesse caso, a constante de equilíbrio (Kc) é:

Kc = [X+]a . [Y-]b
       [XaYb(aq)]

A molaridade do eletrólito na solução é sempre constante, por isso podemos incluí-la no Kc:

Kc. XaYb(aq) = X+a . Y-b

Ao incluir a molaridade do eletrólito no Kc, ele passa a ser denominado de Kps, e as molaridades (solubilidade ou coeficiente de solubilidade) dos íons são elevadas aos seus respectivos expoentes:

Kps = [X+a] . [Y-b]

Assim, como o Kps está relacionado com os íons liberados pelo eletrólito, para desenvolver o cálculo dessa constante, é importante saber que a molaridade do cátion e do ânion sempre obedece a uma relação em mols com a molaridade do eletrólito de origem, ou seja:

CaCl2 → Ca+2 + 2 Cl-1

Observando a equação de dissociação do eletrólito, temos que 1 mol do CaCl2 está para 1 mol do Ca+2 e 2 mols do Cl-1. Assim, se a concentração do CaCl2 for x, a do Ca+2 será x e a do Cl-1 será 2x.

cálculo do Kps (produto de solubilidade) está relacionado com dois equilíbrios químicos que ocorrem quando um eletrólito (um sal, uma base ou um ácido) pouco solúvel forma com a água uma solução saturada com corpo de fundo. Os dois equilíbrios são:

  • Equilíbrio de dissolução

XaYb(aq) → XaYb(ppt)

Nesse equilíbrio, a velocidade em que o eletrólito dissolve-se na água é igual à velocidade em que ele se precipita. A constante de equilíbrio (Kc) é:

Kc =    1    
      XaYb(aq)

XaYb(aq) → aX+(aq) + bY-(aq)

Como o eletrólito dissolve-se na água, automaticamente ele se dissocia, liberando cátion e ânion. Nesse caso, a constante de equilíbrio (Kc) é:

Kc = [X+]a . [Y-]b
       [XaYb(aq)]

A molaridade do eletrólito na solução é sempre constante, por isso podemos incluí-la no Kc:

Kc. XaYb(aq) = X+a . Y-b

Ao incluir a molaridade do eletrólito no Kc, ele passa a ser denominado de Kps, e as molaridades (solubilidade ou coeficiente de solubilidade) dos íons são elevadas aos seus respectivos expoentes:

Kps = [X+a] . [Y-b]

Assim, como o Kps está relacionado com os íons liberados pelo eletrólito, para desenvolver o cálculo dessa constante, é importante saber que a molaridade do cátion e do ânion sempre obedece a uma relação em mols com a molaridade do eletrólito de origem, ou seja:

CaCl2 → Ca+2 + 2 Cl-1

Observando a equação de dissociação do eletrólito, temos que 1 mol do CaCl2 está para 1 mol do Ca+2 e 2 mols do Cl-1. Assim, se a concentração do CaCl2 for x, a do Ca+2 será x e a do Cl-1 será 2x.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes