A maior rede de estudos do Brasil

qual é a obrigação de um pintor ao pintar um quadro, de meio, fungivel,infungível ou divisível?

DIREITOS DA OBRIGAÇÃO.

Direito Civil II

ESTÁCIO


6 resposta(s)

User badge image

Renan Almeida Moreira

Há mais de um mês

Trata-se de uma obrigação de fim (ele é contratado para obter um resultado, não para "tentar"). Possui caráter personalíssimo (é contratado em decorrência do seu talento).

Fungibilidade e divisibilidade são características inerentes aos bens, não às obrigações. Creio que você se confundiu ao elaborar a questão.

A obrigação não é infungível, mas o quadro pintado é infungível.

Trata-se de uma obrigação de fim (ele é contratado para obter um resultado, não para "tentar"). Possui caráter personalíssimo (é contratado em decorrência do seu talento).

Fungibilidade e divisibilidade são características inerentes aos bens, não às obrigações. Creio que você se confundiu ao elaborar a questão.

A obrigação não é infungível, mas o quadro pintado é infungível.

User badge image

Renan Almeida Moreira

Há mais de um mês

infungível - A obrigação é infungível apenas se eu manter vinculada a figura do pintor (como pressuponho que a Estácio deseja que consideremos).

Na verdade, eu já respondi isso anteriormente, mas utilizei o termo mais adequado para "obrigações". Como assim?  De fato a obrigação é infungível, mas este termo somente é adequado para caracterizar os bens. Em obrigações falamos em "caráter personalissimo". Somente aquele pintor pode fazer o quadro que deseja, eu o contrato porque confio no talento dele.

Discordo que seja uma obrigação de meio porque não o contrato simplesmente para se esforçar, mas sim para ter o resultado (o quadro que seja do meu agrado). Isso se torna mais claro pelo fato de que nada interfere na obra daquele artista... É ele somente e a tela que ele irá pintar. Diferente da obrigação do médico ou advogado que tem sempre obrigação de meio, pois o resultado não depende apenas deles, mas de figuras variáveis que podem surgir no caminho:

Ex: médico faz uma cirurgia buscando salvar uma vida. Após a cirurgia o paciente tem complicações e morre. O médico fez tudo dentro da ordem técnica, mas simplesmente a morte ocorreu. Cabia a ele fazer o possível para que o paciente não morresse, mas o paciente morreu, apesar de todo o procedimento ter sido adotado corretamente.

O Advogado é outro exemplo. Ele tem que se esmerar no que faz, mas não tem como garantir que o resultado será favorável ao seu cliente. Ele pode recorrer, agravar e muitas outras coisas e ainda assim ir escutando "improcedências" ao longo da cadeia processual. Esse é o motivo pelo qual a obrigação é de meio. Confia-se no trabalho do individuo, mas sabe-se que o resultado não depende APENAS dele.

User badge image

Chanderson Rodrigues

Há mais de um mês

Renan bom dia

Acontece que essa questão não foi elaboração minha pois esta no caderno de exercícios da pópria estacio. Se fosse pra escolher uma das alternativas ditas qual vc escolheria? Creio que seja de meio, porque na situação não existe como a obrigação ser divísivel, fungível e infungível.

No aguardo

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes