A maior rede de estudos do Brasil

Conceituações de “doença”, “medicalização”, “clínica”, “hospital”, “internação” e “laboratorialização” segundo Foucault, alguém tem algo à respeito?

Precisando dessas definições e conceituações para desenvolver a parte de antropozzzzzz... logia no PI.


2 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

Carol Rezende Verified user icon

Há mais de um mês

Dois são os sentidos apresentados na obra de Foucault sobre medicalização.  O primeiro se refere a um fenômeno ocorrido entre o século XVII e o século XIX: a sanitarizaçao das cidades europeias no intuito da erradicação de doenças e epidemias. Entendendo as doenças como resultado da falta de salubridade e higiene social. O segundo, é a medicalização indefinida no final do século XIX até os dias de hoje, que lida com o controle de riscos e novas tecnologias na área da saúde.
 A clínica surgiu na passagem da medicina clássica para a medicina moderna, quando a anatomia patológica ampliou o conceito de saúde para ausência de doenças. Antes do surgimento dos hospitais no século XVIII, a medicina era mais individualista. A ideia de hospital como lugar terapêutico é bastante recente. Ele era entendido, a princípio, como máquina de curar, mas a cura não se efetivava como prometia. Ao invés disso, servia de abrigo as pessoas mais pobres que estavam morrendo.
Foucault identificou em hospitais práticas disciplinares do mesmo tipo das evidenciadas em contexto militar. No final do século XIX e início do século XX, a internação surge como estratégia de governamentalizaçao da vida: a biopolítica. Essa prática   transforma a população em alvo e instrumento numa relação de poder do estado. Atualmente, a medicalização, vem dando lugar a um outro tipo de noção de saúde, diagnóstico e tratamento, com o uso da tecnologia na laboratorizaçao e no rastreamento de doenças na sociedade.

 

Dois são os sentidos apresentados na obra de Foucault sobre medicalização.  O primeiro se refere a um fenômeno ocorrido entre o século XVII e o século XIX: a sanitarizaçao das cidades europeias no intuito da erradicação de doenças e epidemias. Entendendo as doenças como resultado da falta de salubridade e higiene social. O segundo, é a medicalização indefinida no final do século XIX até os dias de hoje, que lida com o controle de riscos e novas tecnologias na área da saúde.
 A clínica surgiu na passagem da medicina clássica para a medicina moderna, quando a anatomia patológica ampliou o conceito de saúde para ausência de doenças. Antes do surgimento dos hospitais no século XVIII, a medicina era mais individualista. A ideia de hospital como lugar terapêutico é bastante recente. Ele era entendido, a princípio, como máquina de curar, mas a cura não se efetivava como prometia. Ao invés disso, servia de abrigo as pessoas mais pobres que estavam morrendo.
Foucault identificou em hospitais práticas disciplinares do mesmo tipo das evidenciadas em contexto militar. No final do século XIX e início do século XX, a internação surge como estratégia de governamentalizaçao da vida: a biopolítica. Essa prática   transforma a população em alvo e instrumento numa relação de poder do estado. Atualmente, a medicalização, vem dando lugar a um outro tipo de noção de saúde, diagnóstico e tratamento, com o uso da tecnologia na laboratorizaçao e no rastreamento de doenças na sociedade.

 

User badge image

Rafaella

Há mais de um mês

Tem na minha pasta de Filosofia: "A verdade e as Formas Jurídicas", ele fala sobre a institucionalização de uma sociedade do panóptico. Tem também na "Microfísica do poder"!

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas