A maior rede de estudos do Brasil

É cabível preclusão ao Juiz?

É cabível a preclusão ao juiz que perdeu prazo para prolatar uma sentença?

Deveras, na minha opinião não é cabível a preclusão nesse caso posto que, se houver sanção ao mesmo a causa ficaria sem solução.

Mas queria respostas diversas para selecionar a melhor e reforçar minha compreensão. Obrigado.


7 resposta(s)

User badge image

Ronald Lopes

Há mais de um mês

http://www.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/busca?q=PRECLUS%C3%83O+DO+PRAZO+PARA+O+RECURSO+CAB%C3%8DVEL

http://www.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/busca?q=PRECLUS%C3%83O+DO+PRAZO+PARA+O+RECURSO+CAB%C3%8DVEL

User badge image

Guilherme Burzynski Dienes

Há mais de um mês

Preclusão se aplica apenas às partes, por ser a perda do direito de realizar um ato processual, pela inércia ou desídia. Se isso fosse aplicado aos juízes, haveria violação direta de vários princípios começando pelo princípio da inafastabilidade da jurisdição (art. 5º, XXXV, CF) e passando pelo princípio do juiz natural (art. 5º, LIII, CF). A lei confere já a penalidade à inércia do juiz (art. 193-199, CPC) e não é a preclusão.

Caso haja uma demora longa de um juiz em prolatar uma sentença, há a possibilidade de representação para o Presidente do Tribunal de Justiça Tribunal de Justiça (198, CPC).

User badge image

Túlio Parreiras

Há mais de um mês

Entretanto, embora controvertido mas reconhecido pela jurisprudência, existe a chamada preclusão pro judicato, para a qual a ocorrência da preclusão em face de uma das partes do processo judicial gera também uma consequência jurídica para o Juízo, consistente na impossibilidade de alterar sua decisão. Assim, do mesmo modo como às partes é vedado, após a ocorrência da preclusão, objetivar a mudança do conteúdo decisório ou a prática de determinados atos processuais, também é defeso ao Juiz retratar-se tardiamente ou modificar a substância do que fora decidido. Isso ocorre porque os efeitos da preclusão também atingem os poderes do Juiz, o qual, em regra, não pode decidir novamente questões já resolvidas. Saliente-se que em se tratando de questões de ordem pública, a preclusão não se opera, podendo ser decididas novamente a qualquer tempo e grau ordinário de jurisdição, prescindindo de provocação.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes