A maior rede de estudos do Brasil

O que é Poder Constituinte Difuso e Poder Constituinte Supranacional?

Minha professora de Direito Constitucional pediu pra gente pesquisar sobre o conceito de cada um desses poderes e eu gostaria de ler o que vocês sabem sobre isso :)

Direito Constitucional I

PIO XII - DIR


3 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

DLRV Advogados Verified user icon

Há mais de um mês

O Poder Constituinte Supranacional é o poder que cria uma Constituição formada por Estados, que cedem uma parcela de sua soberania para que uma Constituição comunitária seja criada. Tal constituição deve ser respeitada pelas Constituições dos Estados cedentes.

Segundo a doutrina, o titular deste Poder não é o povo, mas o cidadão universal.

Tal poder tem capacidade para submeter as diversas constituições nacionais ao seu poder supremo, distinguindo-se do ordenamento jurídico positivo interno assim como do direito internacional.

O poder constituinte supranacional, sendo parâmetro de legitimidade das Constituições nacionais, deve ser capaz de submetê-las a seus efeitos.

O Poder Constituinte Difuso está relacionado ao fenômeno denominado de mutação constitucional. 

Por meio da mutação constitucional, são dadas novas interpretações aos dispositivos da Constituição, mas sem alterações na literalidade de seus textos. Constituem, portanto, alterações informais, decorrentes de fatos e transformações políticas, econômicas e sociais.

A função desse poder é, dessa forma, preencher “vazios” constitucionais por meio da interpretação. É um poder de fato, exercido de forma indireta por representantes reunidos em órgãos constituídos, como os Tribunais. Não é, porém, um poder ilimitado, pois lhe é vedado ferir determinados direitos e princípios estruturantes.

 

O Poder Constituinte Supranacional é o poder que cria uma Constituição formada por Estados, que cedem uma parcela de sua soberania para que uma Constituição comunitária seja criada. Tal constituição deve ser respeitada pelas Constituições dos Estados cedentes.

Segundo a doutrina, o titular deste Poder não é o povo, mas o cidadão universal.

Tal poder tem capacidade para submeter as diversas constituições nacionais ao seu poder supremo, distinguindo-se do ordenamento jurídico positivo interno assim como do direito internacional.

O poder constituinte supranacional, sendo parâmetro de legitimidade das Constituições nacionais, deve ser capaz de submetê-las a seus efeitos.

O Poder Constituinte Difuso está relacionado ao fenômeno denominado de mutação constitucional. 

Por meio da mutação constitucional, são dadas novas interpretações aos dispositivos da Constituição, mas sem alterações na literalidade de seus textos. Constituem, portanto, alterações informais, decorrentes de fatos e transformações políticas, econômicas e sociais.

A função desse poder é, dessa forma, preencher “vazios” constitucionais por meio da interpretação. É um poder de fato, exercido de forma indireta por representantes reunidos em órgãos constituídos, como os Tribunais. Não é, porém, um poder ilimitado, pois lhe é vedado ferir determinados direitos e princípios estruturantes.

 

User badge image

Evandro Verissimo Mariano

Há mais de um mês

Poder Constituinte Difuso

É constituído pelas mudanças na Constituição Federal. Mutações feitas sem alterar o texto constitucional. Pode mudar o conteúdo, alcance, sentido das normas constitucionais, porém de modo não formal. A razão de ser denominado difuso é de não ser explícito, escrito no texto da Lei Magna, o qual tem sua origem a partir do fato social, político e econômico. Poderá ser explicado melhor, a seguir, através de uma citação. Paulo e Alexandrino (2011, p 89): Nas precisas palavras do Professor Uadi Lammêgo Bulos, “enquanto o poder originário é a potência, que faz a Constituição, e o poder derivado, a competência, que a reformula, o poder difuso é a força invisível que a altera, mas sem mudar-lhe uma vírgula sequer”. Então, o poder constituinte difuso é o poder de realizar mudanças no conteúdo, alcance, sentido das normas constitucionais, sem haver alteração do texto constitucional, pois isto é função do poder constituinte derivado reformador, desde que sejam respeitadas as limitações impostas pelo poder constituinte originário durante seu exercício.

Poder Constituinte Supranacional

O poder constituinte supranacional tem a função de fazer e reformular as Constituições transnacionais, supranacionais ou globais. Com validade na cidadania universal, multiplicidade de ordenamentos jurídicos, dentre outras, tem a intenção de realizar uma maior interação entre os povos, indo de encontro ao conceito de soberania, ultrapassando as fronteiras e unindo cada vez mais as diversas culturas internacionais, através da elaboração de Constituições que as englobem progressivamente. Vicente Paulo e Marcelo Alexandrino (2011) dão o exemplo da Europa, em que os Estados soberanos membros da União Europeia visualizam cada vez mais a possibilidade da adoção de uma Constituição transnacional democrática, através da concretização do poder constituinte supranacional.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas