A maior rede de estudos do Brasil

quais são os mecanismos que regulam a atividade da piruvato quinase ?


2 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

Um dos pontos importantes nas vias metabólicas são seus pontos de controle. As vias poderão ser desligadas por qualquer organismo se lê não tiver uma necessidade imediata de seus produtos, guardando, desse modo, a energia. Na glicólise, três reações formam os pontos de controle da via: a reação de glicose para glicose- 6 –fosfato, catalisada pela hexoquinase; a produção de frutose- 1,6 bifosfato, catalisada pela fosfofrutoquinase; e a última reação da via, catalisada pela piruvato-quinase (Figura 3). Freqüentemente, observa-se que o controle de rotas metabólicas é exercido em pontos próximos ao início e ao final da via, envolvendo intermediários- chave; nesse caso temos a frutose 1,6-bifosfato.


Nas reações iniciais da glicólise, a hexose que entra (glicose ou frutose) é fosforilada duas vezes e então quebrada, produzindo duas moléculas de açúcar com 3 carbonos (gliceraldeído-3-fosfato).


Esta série de reações requer gasto de duas moléculas de ATP por glicose e inclui duas das três reações irreversíveis da rota glicolítica que são catalizadas por hexose quinase (incluindo glicose quinase e frutose quinase) e fosfofruto quinase. As reações da fosfofrutoquinase é um dos pontos de controle da glicólise tanto em plantas como em animais.


O ácido carboxílico fosfolrilado em carbono 1 do 1,3-bifosfoglicerato representa uma mistura de ácido-anidro que tem uma grande energia de hidrólise (-18,9 kJmol-1 ou -4,5kcal). Desta forma o 1,3-bifosfoglicerato é um forte doador de grupos fosfatos. No próximo passo da glicólise, que é catalizado, pela fofoglicerato quinase, o fosfato do carbono 1 é transferido para uma molécula de ADP, produzindo AATP e 3-fosfoglicerato. Para cada glicose que entra, 2 ATPs são gerados por esta reação- Um para cada molécula de 1,3-bifosfoglicerato.

Fonte:

http://docentes.esalq.usp.br/luagallo/metcarboidratos.html

Um dos pontos importantes nas vias metabólicas são seus pontos de controle. As vias poderão ser desligadas por qualquer organismo se lê não tiver uma necessidade imediata de seus produtos, guardando, desse modo, a energia. Na glicólise, três reações formam os pontos de controle da via: a reação de glicose para glicose- 6 –fosfato, catalisada pela hexoquinase; a produção de frutose- 1,6 bifosfato, catalisada pela fosfofrutoquinase; e a última reação da via, catalisada pela piruvato-quinase (Figura 3). Freqüentemente, observa-se que o controle de rotas metabólicas é exercido em pontos próximos ao início e ao final da via, envolvendo intermediários- chave; nesse caso temos a frutose 1,6-bifosfato.


Nas reações iniciais da glicólise, a hexose que entra (glicose ou frutose) é fosforilada duas vezes e então quebrada, produzindo duas moléculas de açúcar com 3 carbonos (gliceraldeído-3-fosfato).


Esta série de reações requer gasto de duas moléculas de ATP por glicose e inclui duas das três reações irreversíveis da rota glicolítica que são catalizadas por hexose quinase (incluindo glicose quinase e frutose quinase) e fosfofruto quinase. As reações da fosfofrutoquinase é um dos pontos de controle da glicólise tanto em plantas como em animais.


O ácido carboxílico fosfolrilado em carbono 1 do 1,3-bifosfoglicerato representa uma mistura de ácido-anidro que tem uma grande energia de hidrólise (-18,9 kJmol-1 ou -4,5kcal). Desta forma o 1,3-bifosfoglicerato é um forte doador de grupos fosfatos. No próximo passo da glicólise, que é catalizado, pela fofoglicerato quinase, o fosfato do carbono 1 é transferido para uma molécula de ADP, produzindo AATP e 3-fosfoglicerato. Para cada glicose que entra, 2 ATPs são gerados por esta reação- Um para cada molécula de 1,3-bifosfoglicerato.

Fonte:

http://docentes.esalq.usp.br/luagallo/metcarboidratos.html

User badge image

Geovana

Há mais de um mês

Os mecanismo que regulam a atividade do piruvato quina são: mecanismo de regulação alostérica e mecanismo de regulação por modificação covalente. 

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas