A maior rede de estudos do Brasil

O agravo de instrumento na justiça do trabalho somente tem função de destrancar recurso?

No processo civil sabemos que este pode ser utilzado nos casos previstos em lei, que já sabemos, mas em relação a justiça do trabalho, quando este recurso é cabível, qual sua função.


4 resposta(s)

User badge image

Cyntia Galhões

Há mais de um mês

Com previsão no art. 897, b, da CLT, o agravo de instrumento no direito do trabalho tem incidência limitada.

Na justiça comum, na forma como disposto no art. 522 do CPC, o agravo de instrumento é cabível sempre contra qualquer decisão interlocutória. Entende-se por interlocutória a decisão que não é definitiva nem terminativa. Decisão interlocutória é aquela em que o juiz, no curso do processo, resolve questão incidente, sem resolver o mérito ou extinguir o processo (CPC, art. 162, §2º).

Como se sabe, contra as decisões interlocutórias, na Justiça do Trabalho, não cabe nenhum recurso imediato. Trata-se do princípio da irrecorribilidade das decisões interlocutórias, como se vê na leitura dos arts. 799, § 2º e 893, § 1º, ambos da CLT, e na súmula 214 do TST. Incabível, portanto, a utilização do recurso de agravo contra decisão interlocutória proferida no processo trabalhista.

Na Justiça do Trabalho, o agravo de instrumento tem finalidade específica, expressamente prevista no art. 897, b, da CLT. Assim, ele somente terá cabimento contra decisão que denega a interposição de recurso, ou seja, contra o despacho que nega seguimento, porque ausente algum dos pressupostos de admissibilidade, ao recurso interposto pelo vencido. Como se diz na prática, o agravo de instrumento só serve para "destrancar" recurso.




Com previsão no art. 897, b, da CLT, o agravo de instrumento no direito do trabalho tem incidência limitada.

Na justiça comum, na forma como disposto no art. 522 do CPC, o agravo de instrumento é cabível sempre contra qualquer decisão interlocutória. Entende-se por interlocutória a decisão que não é definitiva nem terminativa. Decisão interlocutória é aquela em que o juiz, no curso do processo, resolve questão incidente, sem resolver o mérito ou extinguir o processo (CPC, art. 162, §2º).

Como se sabe, contra as decisões interlocutórias, na Justiça do Trabalho, não cabe nenhum recurso imediato. Trata-se do princípio da irrecorribilidade das decisões interlocutórias, como se vê na leitura dos arts. 799, § 2º e 893, § 1º, ambos da CLT, e na súmula 214 do TST. Incabível, portanto, a utilização do recurso de agravo contra decisão interlocutória proferida no processo trabalhista.

Na Justiça do Trabalho, o agravo de instrumento tem finalidade específica, expressamente prevista no art. 897, b, da CLT. Assim, ele somente terá cabimento contra decisão que denega a interposição de recurso, ou seja, contra o despacho que nega seguimento, porque ausente algum dos pressupostos de admissibilidade, ao recurso interposto pelo vencido. Como se diz na prática, o agravo de instrumento só serve para "destrancar" recurso.




User badge image

rafael sc

Há mais de um mês

Cabe apenas para destrancar recurso. Diversamente do processo civil, as decisões interlocutórias não são recorríveis de imediato no processo do trabalho (art. 793, § 1ª, CLT). A regra comporta uma exceção feita à decisão interlocutória com caráter terminativo. Dai, porque põe fim ao processo, por exemplo, com base no 267, do CPC, quando o reclamante, intimado, não toma providência que lhe cabe, extinguindo a causa sem julgamento do mérito. Aí cabe RECURSO ORDINÁRIO ao TRT. Caso a esse recurso seja negado processamento, aí cabe AGRAVO DE INSTRUMENTO.

Inexiste, também, a figura do agravo retido no processo do trabalho. Se houver alguma decisão em audiência, por exemplo, indeferindo alguma pergunta da parte à testemunha, incumbe ao prejudicado consignar seus protestos, e só. O inconformismo deverá ser renovado quando da interpostição de RECURSO. Segundo Valentin Carrion, embora sem previsão legal, os protestos consignados no termo de audiência evitam que o relator do recurso considere ter havido preclusão quanto a eventual cerceamento de defesa.

 

User badge image

Paduan Seta Advocacia

Há mais de um mês

O Agravo de Instrumento é cabível, na Justiça do Trabalho, no caso de um recurso ser denegado, conforme previsto no artigo 897. Não há, na CLT, outra hipótese de cabimento desse recurso.

Art. 897 - Cabe agravo, no prazo de 8 (oito) dias:

(...)

b) de instrumento, dos despachos que denegarem a interposição de recursos.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes