A maior rede de estudos do Brasil

Termoquímica - Um mol de níquel inicialmente a 300K e uma atmosfera de pressão é levado a dois processos separados (...)

Um mol de níquel inicialmente a 300K e uma atmosfera de pressão é levado a dois processos separados:

- Uma mudança isobárica até 1000K

- Uma compressão isotérmica até 1000atm.

Compare a mudança na entalpia do níquel para estes dois processos. As variáveis experimentais do níquel são: Cp=16,99+2,95x10-2T (J/mol.K); V(300K, 1atm)=6,57cm3/mol; a=40x10-6 K-1; b=1,5x10-6 atm-1

(R: DHp=25316J/mol; DHT=667,3J/mol)


4 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

Para calcular a variação de entalpia no processo isobárico (pressão constante), vamos utilizar a seguinte fórmula:


Como a temperatura inicial é e a final, , temos:


Para a variação da entalpia na compressão isotérmica, utilizaremos a seguinte fórmula:


Substituindo os valores, teremos:


Portanto, as variações de entalpia nos processos isobárico e isotérmico são 25.315,5 J/mol e -17,23 kJ/mol, respectivamente.

Para calcular a variação de entalpia no processo isobárico (pressão constante), vamos utilizar a seguinte fórmula:


Como a temperatura inicial é e a final, , temos:


Para a variação da entalpia na compressão isotérmica, utilizaremos a seguinte fórmula:


Substituindo os valores, teremos:


Portanto, as variações de entalpia nos processos isobárico e isotérmico são 25.315,5 J/mol e -17,23 kJ/mol, respectivamente.

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

Para calcular a variação de entalpia no processo isobárico (pressão constante), vamos utilizar a seguinte fórmula:


Como a temperatura inicial é e a final, , temos:


Para a variação da entalpia na compressão isotérmica, utilizaremos a seguinte fórmula:


Substituindo os valores, teremos:


Portanto, as variações de entalpia nos processos isobárico e isotérmico são 25.315,5 J/mol e -17,23 kJ/mol, respectivamente.

User badge image

Caio Tacão

Há mais de um mês

- Uma mudança Isobárica até 1000K

Usaremos o metodo integrativo em que temos:

dH=Cp.dT    -    INTEGRA-SE DOS DOIS LADOS...

∫dH=∫Cp.dT   -   INTEGRAL DEFINIDA DE 300 A 1000K

ΔH= ∫16,99+2,95.10^-2TdT

ΔH= 16,99T+(2,95.10^-2.T^2)/2 | de 300 a 1000   -   Substitui esses valores onde se tem o T

ΔH= 16,99.(1000)+(2,95.10^-2.(1000)^2)/2-(16,99.(300)+(2,95.10^-2.(300)^2)/2

ΔH=16990+(29500)/2 - (5097+(2655)/2)

ΔH=16990+14750 - (5097+1327,5)

ΔH=31740-6424,5      - LOGO:

ΔH=25315,5              - ARREDONDANDO A ULTIMA CASA DECIMAL

ΔH≅25316J/mol.

 

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

Para calcular a variação de entalpia no processo isobárico (pressão constante), vamos utilizar a seguinte fórmula:


Como a temperatura inicial é e a final, , temos:


Para a variação da entalpia na compressão isotérmica, utilizaremos a seguinte fórmula:


Substituindo os valores, teremos:


Portanto, as variações de entalpia nos processos isobárico e isotérmico são 25.315,5 J/mol e -17,23 kJ/mol, respectivamente.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas