A maior rede de estudos do Brasil

A eficácia de uma lei independente de sua vigência?

explique


2 resposta(s)

User badge image

Reis, Zilvan Lima

Há mais de um mês

- Validade da norma: significa sua identificação como compatível ao sistema jurídico que integra. O descumprimento das regras de validade importará ao reconhecimento da inconstitucionalidade ou ilegalidade da norma estabelecida, considerando-a não pertinente ao sistema. A validade pode ser:

a) Formal: observância das normas referentes a seu processo de criação.

b) Material: se houve observância da matéria passível de normatização por parte das entidades federativas.

- Vigência: refere-se ao período de validade da norma, ou seja, ao lapso temporal que vai do momento em que ela passa a ter força vinculante até a data em que é revogada ou que se esgota o prazo prescrito para sua duração (leis temporárias).

Início da vigência:

- Uma norma está em vigência quando ela produz efeitos no caso

concreto, quando ela tem caráter COERCITIVO.

- O processo de criação da lei passa por TRÊS FASES:

1. Elaboração;

2. Promulgação;

3. Publicação.

- Embora o nascimento da lei se dê com a sua elaboração, só

começará a vigorar COM A SUA PUBLICAÇÃO no Diário Oficial.

- Com a publicação, tem-se o INÍCIO DE SUA VIGÊNCIA, oportunidade em que se torna OBRIGATÓRIA.

- Com o fim do processo de sua produção (elaboração, promulgação e publicação) a norma é considerada VÁLIDA.

- A vigência se inicia com a PUBLICAÇÃO e se estende até sua REVOGAÇÃO, ou até que cumpra prazo estabelecido para sua validade.

- Uma norma poderá alcançar a sua vigência junto com a sua publicação – nada impede isso.

- Ou ainda, a própria norma poderá estabelecer o momento em que terá início a sua produção de efeitos.

vigência.

- Em outros termos, neste denominado prazo de vacância, ela já é conhecida, mas não pode ainda ser aplicada.

- Assim, se a lei estabelece a obrigação de determinada conduta, as pessoas já podem ter conhecimento de seu conteúdo, mas ainda NÃO estão OBRIGADAS a se comportarem em consonância com os seuspreceitos.

- Quem atua em desconformidade com o prescrito em lei existente que ainda não entrou em vigor não pode sofrer nenhuma sanção.

 

- Eficácia: qualidade da norma que se refere à possibilidade de produção concreta de efeitos. A eficácia pode ser:

a) Social: produção concreta de efeitos, porque presentes as condições fáticas exigíveis para seu cumprimento.

b) Técnica: produção de efeitos, porque presentes as condições técnico-normativas exigíveis para sua aplicação.

A eficácia, no sentido técnico, tem a ver com a aplicabilidade das normas no sentido de uma aptidão mais ou menos extensa para produzir efeitos. Para aferir o grau da eficácia, no sentido técnico, é preciso verificar quais as funções da eficácia no plano de realização normativa (funções eficaciais):

a) Função de bloqueio: é o caso das normas que visam a impedir ou cercear a ocorrência de comportamentos contrários a seu preceito. Ex.: normas punitivas e proibitivas.

b) Função de programa: é o caso de normas que visam à realização de um objetivo do legislador. Observam um interesse público relevante.

c) Função de resguardo: é o caso de normas que visam a assegurar uma conduta desejada. Ex.: direito autorais.

- Vigor (força da norma): diz respeito à força vinculante da norma, à impossibilidade de os sujeitos subtraírem-se ao seu império. É possível a norma ser válida, mas ainda não vigente (caso da vacatio legis).

- Validade da norma: significa sua identificação como compatível ao sistema jurídico que integra. O descumprimento das regras de validade importará ao reconhecimento da inconstitucionalidade ou ilegalidade da norma estabelecida, considerando-a não pertinente ao sistema. A validade pode ser:

a) Formal: observância das normas referentes a seu processo de criação.

b) Material: se houve observância da matéria passível de normatização por parte das entidades federativas.

- Vigência: refere-se ao período de validade da norma, ou seja, ao lapso temporal que vai do momento em que ela passa a ter força vinculante até a data em que é revogada ou que se esgota o prazo prescrito para sua duração (leis temporárias).

Início da vigência:

- Uma norma está em vigência quando ela produz efeitos no caso

concreto, quando ela tem caráter COERCITIVO.

- O processo de criação da lei passa por TRÊS FASES:

1. Elaboração;

2. Promulgação;

3. Publicação.

- Embora o nascimento da lei se dê com a sua elaboração, só

começará a vigorar COM A SUA PUBLICAÇÃO no Diário Oficial.

- Com a publicação, tem-se o INÍCIO DE SUA VIGÊNCIA, oportunidade em que se torna OBRIGATÓRIA.

- Com o fim do processo de sua produção (elaboração, promulgação e publicação) a norma é considerada VÁLIDA.

- A vigência se inicia com a PUBLICAÇÃO e se estende até sua REVOGAÇÃO, ou até que cumpra prazo estabelecido para sua validade.

- Uma norma poderá alcançar a sua vigência junto com a sua publicação – nada impede isso.

- Ou ainda, a própria norma poderá estabelecer o momento em que terá início a sua produção de efeitos.

vigência.

- Em outros termos, neste denominado prazo de vacância, ela já é conhecida, mas não pode ainda ser aplicada.

- Assim, se a lei estabelece a obrigação de determinada conduta, as pessoas já podem ter conhecimento de seu conteúdo, mas ainda NÃO estão OBRIGADAS a se comportarem em consonância com os seuspreceitos.

- Quem atua em desconformidade com o prescrito em lei existente que ainda não entrou em vigor não pode sofrer nenhuma sanção.

 

- Eficácia: qualidade da norma que se refere à possibilidade de produção concreta de efeitos. A eficácia pode ser:

a) Social: produção concreta de efeitos, porque presentes as condições fáticas exigíveis para seu cumprimento.

b) Técnica: produção de efeitos, porque presentes as condições técnico-normativas exigíveis para sua aplicação.

A eficácia, no sentido técnico, tem a ver com a aplicabilidade das normas no sentido de uma aptidão mais ou menos extensa para produzir efeitos. Para aferir o grau da eficácia, no sentido técnico, é preciso verificar quais as funções da eficácia no plano de realização normativa (funções eficaciais):

a) Função de bloqueio: é o caso das normas que visam a impedir ou cercear a ocorrência de comportamentos contrários a seu preceito. Ex.: normas punitivas e proibitivas.

b) Função de programa: é o caso de normas que visam à realização de um objetivo do legislador. Observam um interesse público relevante.

c) Função de resguardo: é o caso de normas que visam a assegurar uma conduta desejada. Ex.: direito autorais.

- Vigor (força da norma): diz respeito à força vinculante da norma, à impossibilidade de os sujeitos subtraírem-se ao seu império. É possível a norma ser válida, mas ainda não vigente (caso da vacatio legis).

User badge image

Luiz Fernando

Há mais de um mês

Via de regra, as leis terão eficácia após decorrido o período estabelecido na própria lei promulgada, ou seja, toda lei entra em vigência com a sua publicação, salvo quando previsto período da vacatio legis.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes