A maior rede de estudos do Brasil

no crime de descaminho há insignificância jurídica?


2 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

Estudante Verified user icon

Há mais de um mês

Não existe, em regra, um valor legal para ser aplicado o princípio da insignificância. 

O princípio da bagatela ou da insignificância menciona que quando o bem jurídico lesionado for ínfimo para o direito penal haverá a atipicidade material da conduta do agente, mesmo que haja tipicidade formal, isto é, mesmo que a conduta do agente se enquadre em algum tipo penal (tipicidade formal) o fato cometido não tem relevância para o direito penal (tipicidade material).

O Supremo Tribunal Federal menciona que para haver a aplicação do princípio da insignificância o agente criminoso deverá preencher os seguintes requisitos:

1 - a mínima ofensividade da conduta do agente;

2 - a nenhuma periculosidade social da ação;

3 -  o reduzidíssimo grau de reprovabilidade do comportamento;

4 - a inexpressividade da lesão jurídica provocada.

É bom lembrar que com a súmula 599 do Superior Tribunal de Justiça não se aplica esse princípio aos crimes contra a administração pública. 

É bom lembrar que a jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça considera insignificante a conduta do indivíduo que pratica o crime de descaminho sonegando tributos no valor de até 20 mil reais.

Não existe, em regra, um valor legal para ser aplicado o princípio da insignificância. 

O princípio da bagatela ou da insignificância menciona que quando o bem jurídico lesionado for ínfimo para o direito penal haverá a atipicidade material da conduta do agente, mesmo que haja tipicidade formal, isto é, mesmo que a conduta do agente se enquadre em algum tipo penal (tipicidade formal) o fato cometido não tem relevância para o direito penal (tipicidade material).

O Supremo Tribunal Federal menciona que para haver a aplicação do princípio da insignificância o agente criminoso deverá preencher os seguintes requisitos:

1 - a mínima ofensividade da conduta do agente;

2 - a nenhuma periculosidade social da ação;

3 -  o reduzidíssimo grau de reprovabilidade do comportamento;

4 - a inexpressividade da lesão jurídica provocada.

É bom lembrar que com a súmula 599 do Superior Tribunal de Justiça não se aplica esse princípio aos crimes contra a administração pública. 

É bom lembrar que a jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça considera insignificante a conduta do indivíduo que pratica o crime de descaminho sonegando tributos no valor de até 20 mil reais.

User badge image

Pedro

Há mais de um mês

Não há, No livro de Cleber Masson ele assim se posiciona

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas