A maior rede de estudos do Brasil

O principio da investidura é a mesma coisa que o principio do juiz natural?

Principio processuais.


4 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

Júnior Oliveira Verified user icon

Há mais de um mês

Os princípios da investituda e do juiz natural não se confundem, sendo ambos princípios da jurisdição.

Pelo princípio da investidura, entende-se que a jurisdição é poder do Estado que somente poderá ser exercido por aquele que tenha sido legítima e regularmente investido na autoridade de magistrado, seja por concurso público, seja nos casos de nomeação direta em assento de tribunal; 

Por sua vez, temos que o princípio do juiz natural é previsto nortigo 5º, inciso XXXVII, da CFRB/1988, garantindo que ninguém pode ser privado de ser submetido a julgamento por juiz independente e imparcial, previamente indicado conforme as normas constitucionais e legais, não sendo possível a existência de tribunais de exceção;

Os princípios da investituda e do juiz natural não se confundem, sendo ambos princípios da jurisdição.

Pelo princípio da investidura, entende-se que a jurisdição é poder do Estado que somente poderá ser exercido por aquele que tenha sido legítima e regularmente investido na autoridade de magistrado, seja por concurso público, seja nos casos de nomeação direta em assento de tribunal; 

Por sua vez, temos que o princípio do juiz natural é previsto nortigo 5º, inciso XXXVII, da CFRB/1988, garantindo que ninguém pode ser privado de ser submetido a julgamento por juiz independente e imparcial, previamente indicado conforme as normas constitucionais e legais, não sendo possível a existência de tribunais de exceção;

User badge image

Vinicius

Há mais de um mês

Os dois princípios são diferentes. Ambos se relacionam com a Jurisdição, sendo que o Princípio da Investidura significa que SOMENTE o juiz empossado na função jurisdicional, isto é, magistrado togado, pode exercer a função do Estado de solucianr litígios entre as pessoas.

Já o Princípio do Juiz Natural é uma exigência de que o magistrado tenha competência, seja ela territorial ou em razão da matéria, de poder solucinar o conflito entre as partes, como bem afirma o Art. 5º, LIII, da CF: "Ninguém será processado nem sentenciado senão pela autoridade competente"

User badge image

Lyra

Há mais de um mês

nao.... uma pessoa que decide um processo sem ter investidura prolata sentenca inexistente...ao passo que juiz incompetente para a causa prolata decisoes existentes, mas invalida

User badge image

Marcos

Há mais de um mês

Então aquele que recebe a investidura(para exercer o cargo de jurisdição) de fato é considerado o juiz natural?

O primeiro principio engloba o segundo?

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas