A maior rede de estudos do Brasil

Por que o NADH precisa ser reoxidado na via glicolítica?


1 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

A glicose é um metabólito fundamental no metabolismo humano, e passaremos um bom tempo nos vários caminhos que estão relacionados com a utilização, armazenamento e regeneração da glicose. O primeiro passo na degradação da glicose é a glicólise, que decompõe a glicose em piruvato. O principal objetivo da glicólise é a geração de energia (ATP). Uma quantidade modesta de ATP é produzida diretamente na glicólise, mas muito mais ATP é formado a jusante da glicólise através da oxidação completa do piruvato.

Um caminho alternativo para a ruptura completa da glicose é a derivação da hexose monofosfato, que produz NADPH em vez de ATP. Tanto o ATP como o NADPH são necessários em todas as células e, consequentemente, tanto a glicólise quanto a derivação da hexose monofosfato são onipresentes.

O glicogênio é uma forma de armazenamento polimérico de glicose, semelhante ao amido, encontrado nas plantas. O glicogênio é mais abundante no fígado e no músculo estriado. Os substratos mais importantes dessa via são os aminoácidos, que são obtidos de uma dieta rica em proteínas - por exemplo, quando nos deliciámos exclusivamente com carne - ou, durante a fome, da quebra da proteína celular, principalmente no músculo esquelético. A gliconeogênese ocorre no fígado e nos rins.

A glicose é um metabólito fundamental no metabolismo humano, e passaremos um bom tempo nos vários caminhos que estão relacionados com a utilização, armazenamento e regeneração da glicose. O primeiro passo na degradação da glicose é a glicólise, que decompõe a glicose em piruvato. O principal objetivo da glicólise é a geração de energia (ATP). Uma quantidade modesta de ATP é produzida diretamente na glicólise, mas muito mais ATP é formado a jusante da glicólise através da oxidação completa do piruvato.

Um caminho alternativo para a ruptura completa da glicose é a derivação da hexose monofosfato, que produz NADPH em vez de ATP. Tanto o ATP como o NADPH são necessários em todas as células e, consequentemente, tanto a glicólise quanto a derivação da hexose monofosfato são onipresentes.

O glicogênio é uma forma de armazenamento polimérico de glicose, semelhante ao amido, encontrado nas plantas. O glicogênio é mais abundante no fígado e no músculo estriado. Os substratos mais importantes dessa via são os aminoácidos, que são obtidos de uma dieta rica em proteínas - por exemplo, quando nos deliciámos exclusivamente com carne - ou, durante a fome, da quebra da proteína celular, principalmente no músculo esquelético. A gliconeogênese ocorre no fígado e nos rins.

User badge image

Rebeca Ferreira

Há mais de um mês

Como a produção de NADH exigem muito gasto energético, elas precisam ser "recicladas" para entrarem no processo novamente, voltando a forma de NAD+. 

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas