A maior rede de estudos do Brasil

Por que a fusão da água é espontaneamente, se para ocorrer à fusão tem que haver a quebra das ligações intermoleculares?


5 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

Para responder essa pergunta precisamos colocar em prática nossos conhecimentos da disciplina de Bioquímica.


É possível responder esta pergunta usando a Energia Livre de Gibbs, que determina se uma reação é espontânea ou não. A Energia Livre de Gibbs é dada por:

Onde ΔG é a Energia livre de Gibbs em condições reais, ΔG0 é a Energia Livre de Gibbs padrão (tabelada experimentalmente), R é a constante de Boltzman, T é a temperatura, Cp é a concentração do produto formado e Cr a concentração do reagente.

Mas, a temperatura padrão de fusão da água é 0 °C, de forma de ΔG0 = 0. Então, a 0 °C, a fusão da água não é espontânea, nem não-espontânea. Ainda, não faz sentido falar de fusão da água em condições que não a 0 °C, pois a qualquer outra temperatura, Cr será 0, uma vez que o reagente se transforma completamente em produto, no caso de mudança de fase e divisão por 0 não é definida matematicamente.


Portanto, a fusão da água não é considerada espontânea, nem não-espontânea. Ela está sempre no equilíbrio, ΔG = 0.

Para responder essa pergunta precisamos colocar em prática nossos conhecimentos da disciplina de Bioquímica.


É possível responder esta pergunta usando a Energia Livre de Gibbs, que determina se uma reação é espontânea ou não. A Energia Livre de Gibbs é dada por:

Onde ΔG é a Energia livre de Gibbs em condições reais, ΔG0 é a Energia Livre de Gibbs padrão (tabelada experimentalmente), R é a constante de Boltzman, T é a temperatura, Cp é a concentração do produto formado e Cr a concentração do reagente.

Mas, a temperatura padrão de fusão da água é 0 °C, de forma de ΔG0 = 0. Então, a 0 °C, a fusão da água não é espontânea, nem não-espontânea. Ainda, não faz sentido falar de fusão da água em condições que não a 0 °C, pois a qualquer outra temperatura, Cr será 0, uma vez que o reagente se transforma completamente em produto, no caso de mudança de fase e divisão por 0 não é definida matematicamente.


Portanto, a fusão da água não é considerada espontânea, nem não-espontânea. Ela está sempre no equilíbrio, ΔG = 0.

User badge image

Andre

Há mais de um mês

Para responder essa pergunta precisamos colocar em prática nossos conhecimentos da disciplina de Bioquímica.


É possível responder esta pergunta usando a Energia Livre de Gibbs, que determina se uma reação é espontânea ou não. A Energia Livre de Gibbs é dada por:

Onde ΔG é a Energia livre de Gibbs em condições reais, ΔG0 é a Energia Livre de Gibbs padrão (tabelada experimentalmente), R é a constante de Boltzman, T é a temperatura, Cp é a concentração do produto formado e Cr a concentração do reagente.

Mas, a temperatura padrão de fusão da água é 0 °C, de forma de ΔG0 = 0. Então, a 0 °C, a fusão da água não é espontânea, nem não-espontânea. Ainda, não faz sentido falar de fusão da água em condições que não a 0 °C, pois a qualquer outra temperatura, Cr será 0, uma vez que o reagente se transforma completamente em produto, no caso de mudança de fase e divisão por 0 não é definida matematicamente.


Portanto, a fusão da água não é considerada espontânea, nem não-espontânea. Ela está sempre no equilíbrio, ΔG = 0.

User badge image

Andressa

Há mais de um mês

Sabe-se que muitas reações espontâneas ocorrem com liberação de energia. Essa evidência fez com que, inicialmente, se pensasse que somente os processos exotérmicos são espontâneos. Realmente a maioria das transformações espontâneas é exotérmica, mas também existem várias outras que ocorrem com absorção de calor, como é o caso da fusão do gelo em temperatura ambiente, por exemplo. A partir daí, foi constatado que a espontaneidade das reações está relacionada a mais um fator: a entropia (S), ou seja, o grau de desordem do sistema. A matéria e a energia tendem naturalmente a se tornar mais desordenadas. O resfriamento do pedaço de metal, por exemplo, ocorre porque a energia contida nos seus átomos vibra de maneira muito intensa e tende a se propagar pelo ambiente. Já o inverso dessa transformação é praticamente impossível de acontecer, pois é muito improvável que aquela mesma energia se recolha do ambiente e se concentre novamente no pedaço de metal. Logo, quando o bloco é resfriado, dizemos que a entropia do sistema aumentou. A entropia de um sistema isolado sempre aumenta no decorrer de um processo espontâneo.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas