A maior rede de estudos do Brasil

como elaborar um pre projeto?


1 resposta(s)

User badge image

Breno Carvalho

Há mais de um mês

1 – Introdução

A introdução nada mais é do que uma breve apresentação do tema e do problema. O estudante deve explicar como chegou a esse assunto e porque merece ser estudado. Lembre-se de não colocar a “temática solta” no início do pré-projeto. O ideal é criar um contexto que faça sentido.

Reserve um ou dois parágrafos para criar um breve histórico do seu pré-projeto. Isso significa que é necessário fazer uma análise histórica do tema, ou seja, sua evolução ao longo do tempo.

O problema, que tem papel importante no pré-projeto, é o questionamento que serve de base para formular o conteúdo do trabalho científico. Experimente colocar esse elemento na forma de uma indagação, ou seja, a pergunta que será respondida com a realização da pesquisa.

Nessa parte inicial, o pesquisador não apresenta sua posição sobre o tema, somente faz uma reprodução da realidade, do ponto de vista sócio-cultural, econômico, jurídico, histórico ou qualquer outro aspecto.

2 – Justificativa

O pré-projeto de pesquisa em graduação ou pós-graduação também exige uma justificativa. Nesse tópico, o estudante deve destacar a relevância do tema e contextualizá-lo dentro de uma realidade específica. Responda: Por que a investigação é necessária? Qual será o impacto desse estudo?

Discorra sobre alguns “porquês” e a sua justificativa ficará pronta em apenas alguns minutos. Nessa etapa, é fundamental ter habilidade para convencer os outros sobre os motivos para ler o estudo.

Para que os argumentos empregados não pareçam vazios, vale a pena conectar o tema da pesquisa a outros estudos e descobertas recentes na área. Quanto mais o assunto for ligado ao mundo externo, mais importante o seu trabalho se torna.

3 – Referencial teórico

Os pesquisadores de “primeira viagem” costumam sentir muita dificuldade nessa etapa. O referencial teórico, também chamado de revisão de literatura, é o momento para incluir os autores e as linhas de pensamento que servirão de base para o estudo proposto.

Lembre-se de incluir diferentes autores e abordagens no referencial teórico, pois assim será possível enriquecer o conteúdo da pesquisa e torna-la mais significativa.

Cuidado para não “copiar e colar” trechos de obras. Para falar sobre o referencial teórico é preciso construir um texto e encaixar as referências de uma forma que faça sentido.

Uma boa investigação científica não parte do zero, por isso é tão importante expor a fundamentação teórica. As fontes indicadas devem ser condizentes com o tema e o problema apresentados. Além disso, também é importante incluir literaturas atuais para a proposta de pesquisa não parecer obsoleta.

4 – Objetivos

objetivo é uma das etapas mais importantes do pré-projeto. Ele busca esclarecer o que se pretende com a pesquisa e apresenta as metas almejadas ao final do trabalho. Toda pesquisa científica parte de:

  • Objetivo geral: dimensão ampla das metas almejadas pela pesquisa;
  • Objetivos específicos: lista as etapas para alcançar objetivos gerais. O pesquisador geralmente escreve as propostas usando verbos no infinitivo, como relacionar, identificar, levantar, comparar, indicar, descrever, avaliar, verificar, traçar, determinar, descobrir, sistematizar e caracterizar.

Defina o objetivo de estudo, ou seja, o principal alvo da investigação proposta pelo projeto. Com base nessa afirmativa, crie os objetivos específicos, ou seja, as etapas que precisam ser cumpridas para realizar o principal objetivo.

5 – Metodologia

Ao chegar nesta etapa do pré-projeto, muitos estudantes ficam em dúvida sobre o que colocar. Em resumo, este espaço pede para descrever o tipo de pesquisa que será realizada, as fontes, os processos e as principais ferramentas.

Falar sobre metodologia nada mais é do que descrever os caminhos metodológicos e apresentar as técnicas que serão utilizadas ao longo da investigação. Tudo deve se alinhar aos objetivos propostos, à rapidez, eficácia e confiabilidade. 

Na pesquisa bibliográfica, a metodologia consiste em selecionar as leituras e fazer a análise do material, com uma visão seletiva, crítica, analítica ou descritiva.

Na pesquisa documental e também na de campo, a metodologia varia de acordo com o tipo de investigação. Numa pesquisa experimental, o estudante deve indicar o procedimento de testagem. Na descritiva, é necessário indicar como será feita a observação (por questionário, entrevista, análise documental, etc.).

Exemplo: um aluno do curso de Publicidade e Propaganda vai estudar o tema “Uso do Snapchat pelas marcas para atingir os jovens”. Para conseguir informações relevantes, ele aplicará um questionário com questões fechadas em uma amostra do público-alvo. Essa explicação de como ele conseguirá os dados para a sua pesquisa é um exemplo de metodologia.

Agora, se esse mesmo estudante pretende aplicar um questionário online com o Google Docs, ele terá que explicar o uso dessa ferramenta na coleta de dados.

O pesquisador pode listar outros procedimentos que serão usados para recolher dados, como gravação de conversas, entrevistas e vídeos de aulas. É interessante reservar um espaço para apresentar as hipóteses, ou seja, suposições que serão validadas ou desconsideradas após a realização da pesquisa.

6 – Bibliografia

No final do pré-projeto, reserve um espaço para incluir as referências bibliográficas que foram utilizadas para escrever o planejamento. Ao referenciar as fontes utilizadas, o pesquisador deve seguir as Normas da ABNT.

7 – Cronograma

O cronograma é um elemento pós-textual dentro do pré-projeto. Ele determina as datas e os prazos para executar as principais etapas da pesquisa, por isso garante a organização do aluno. Não é um item obrigatório, mas pode ser de grande ajuda.

No cronograma, é possível definir as etapas que acontecem simultaneamente e também aquelas que dependem da realização de fases anteriores. O tempo disponível para fazer o estudo pode ser dividido em diferentes etapas, como levantamento bibliográfico, fichamento de texto, coleta de fontes, análise, aplicação de questionário, tabulação de dados, organização do roteiro, redação do trabalho, apresentação, revisão e entrega final.

1 – Introdução

A introdução nada mais é do que uma breve apresentação do tema e do problema. O estudante deve explicar como chegou a esse assunto e porque merece ser estudado. Lembre-se de não colocar a “temática solta” no início do pré-projeto. O ideal é criar um contexto que faça sentido.

Reserve um ou dois parágrafos para criar um breve histórico do seu pré-projeto. Isso significa que é necessário fazer uma análise histórica do tema, ou seja, sua evolução ao longo do tempo.

O problema, que tem papel importante no pré-projeto, é o questionamento que serve de base para formular o conteúdo do trabalho científico. Experimente colocar esse elemento na forma de uma indagação, ou seja, a pergunta que será respondida com a realização da pesquisa.

Nessa parte inicial, o pesquisador não apresenta sua posição sobre o tema, somente faz uma reprodução da realidade, do ponto de vista sócio-cultural, econômico, jurídico, histórico ou qualquer outro aspecto.

2 – Justificativa

O pré-projeto de pesquisa em graduação ou pós-graduação também exige uma justificativa. Nesse tópico, o estudante deve destacar a relevância do tema e contextualizá-lo dentro de uma realidade específica. Responda: Por que a investigação é necessária? Qual será o impacto desse estudo?

Discorra sobre alguns “porquês” e a sua justificativa ficará pronta em apenas alguns minutos. Nessa etapa, é fundamental ter habilidade para convencer os outros sobre os motivos para ler o estudo.

Para que os argumentos empregados não pareçam vazios, vale a pena conectar o tema da pesquisa a outros estudos e descobertas recentes na área. Quanto mais o assunto for ligado ao mundo externo, mais importante o seu trabalho se torna.

3 – Referencial teórico

Os pesquisadores de “primeira viagem” costumam sentir muita dificuldade nessa etapa. O referencial teórico, também chamado de revisão de literatura, é o momento para incluir os autores e as linhas de pensamento que servirão de base para o estudo proposto.

Lembre-se de incluir diferentes autores e abordagens no referencial teórico, pois assim será possível enriquecer o conteúdo da pesquisa e torna-la mais significativa.

Cuidado para não “copiar e colar” trechos de obras. Para falar sobre o referencial teórico é preciso construir um texto e encaixar as referências de uma forma que faça sentido.

Uma boa investigação científica não parte do zero, por isso é tão importante expor a fundamentação teórica. As fontes indicadas devem ser condizentes com o tema e o problema apresentados. Além disso, também é importante incluir literaturas atuais para a proposta de pesquisa não parecer obsoleta.

4 – Objetivos

objetivo é uma das etapas mais importantes do pré-projeto. Ele busca esclarecer o que se pretende com a pesquisa e apresenta as metas almejadas ao final do trabalho. Toda pesquisa científica parte de:

  • Objetivo geral: dimensão ampla das metas almejadas pela pesquisa;
  • Objetivos específicos: lista as etapas para alcançar objetivos gerais. O pesquisador geralmente escreve as propostas usando verbos no infinitivo, como relacionar, identificar, levantar, comparar, indicar, descrever, avaliar, verificar, traçar, determinar, descobrir, sistematizar e caracterizar.

Defina o objetivo de estudo, ou seja, o principal alvo da investigação proposta pelo projeto. Com base nessa afirmativa, crie os objetivos específicos, ou seja, as etapas que precisam ser cumpridas para realizar o principal objetivo.

5 – Metodologia

Ao chegar nesta etapa do pré-projeto, muitos estudantes ficam em dúvida sobre o que colocar. Em resumo, este espaço pede para descrever o tipo de pesquisa que será realizada, as fontes, os processos e as principais ferramentas.

Falar sobre metodologia nada mais é do que descrever os caminhos metodológicos e apresentar as técnicas que serão utilizadas ao longo da investigação. Tudo deve se alinhar aos objetivos propostos, à rapidez, eficácia e confiabilidade. 

Na pesquisa bibliográfica, a metodologia consiste em selecionar as leituras e fazer a análise do material, com uma visão seletiva, crítica, analítica ou descritiva.

Na pesquisa documental e também na de campo, a metodologia varia de acordo com o tipo de investigação. Numa pesquisa experimental, o estudante deve indicar o procedimento de testagem. Na descritiva, é necessário indicar como será feita a observação (por questionário, entrevista, análise documental, etc.).

Exemplo: um aluno do curso de Publicidade e Propaganda vai estudar o tema “Uso do Snapchat pelas marcas para atingir os jovens”. Para conseguir informações relevantes, ele aplicará um questionário com questões fechadas em uma amostra do público-alvo. Essa explicação de como ele conseguirá os dados para a sua pesquisa é um exemplo de metodologia.

Agora, se esse mesmo estudante pretende aplicar um questionário online com o Google Docs, ele terá que explicar o uso dessa ferramenta na coleta de dados.

O pesquisador pode listar outros procedimentos que serão usados para recolher dados, como gravação de conversas, entrevistas e vídeos de aulas. É interessante reservar um espaço para apresentar as hipóteses, ou seja, suposições que serão validadas ou desconsideradas após a realização da pesquisa.

6 – Bibliografia

No final do pré-projeto, reserve um espaço para incluir as referências bibliográficas que foram utilizadas para escrever o planejamento. Ao referenciar as fontes utilizadas, o pesquisador deve seguir as Normas da ABNT.

7 – Cronograma

O cronograma é um elemento pós-textual dentro do pré-projeto. Ele determina as datas e os prazos para executar as principais etapas da pesquisa, por isso garante a organização do aluno. Não é um item obrigatório, mas pode ser de grande ajuda.

No cronograma, é possível definir as etapas que acontecem simultaneamente e também aquelas que dependem da realização de fases anteriores. O tempo disponível para fazer o estudo pode ser dividido em diferentes etapas, como levantamento bibliográfico, fichamento de texto, coleta de fontes, análise, aplicação de questionário, tabulação de dados, organização do roteiro, redação do trabalho, apresentação, revisão e entrega final.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes