A maior rede de estudos do Brasil

Competência para julgar policiais militares e civis

CASO I – Um policial civil (estadual) e um policial militar (estadual), em atividade conjunta das duas polícias, cometeram o delito de lesões corporais dolosas e de abuso de autoridade na cidade de Goiânia. Supondo esteja presente uma das situações de conexão previstas no art., 78 do CPP, qual será a justiça e órgão competente para o julgamento dos réus?


3 resposta(s)

User badge image

Nathalia

Há mais de um mês

Seguindo a regra geral, haveria a necessidade de reunião para julgamento simultâneo. Contudo, especificamente no caso de militar, não haverá essa reunião de processos, pois o art. 79, I, faz com que se opere uma cisão processual (Militar e Civil não se misturam).
Diante da cisão imposta pelo art. 79, I, o policial militar será julgado na Justiça Militar Estadual pelo delito de lesões corporais (crime militar, praticado por militar em atividade militar) e o policial civil, na Justiça Estadual pelos dois crimes praticados. Pelo crime de abuso de autoridade, o policial militar será julgado na Justiça Comum Estadual (pois não é crime militar) juntamente com o policial civil (união por força da conexão).


Seguindo a regra geral, haveria a necessidade de reunião para julgamento simultâneo. Contudo, especificamente no caso de militar, não haverá essa reunião de processos, pois o art. 79, I, faz com que se opere uma cisão processual (Militar e Civil não se misturam).
Diante da cisão imposta pelo art. 79, I, o policial militar será julgado na Justiça Militar Estadual pelo delito de lesões corporais (crime militar, praticado por militar em atividade militar) e o policial civil, na Justiça Estadual pelos dois crimes praticados. Pelo crime de abuso de autoridade, o policial militar será julgado na Justiça Comum Estadual (pois não é crime militar) juntamente com o policial civil (união por força da conexão).


User badge image

João Pedro

Há mais de um mês

Como se trata de crime doloso contra a vida a competência é do tribunal do júri. Se não for crime doloso contra a vida haverá cisão de processos, ou seja , o policial civil e o militar serão julgados em locais diferentes se caso não houver prejuízo para o processo.

Obs:
Militares das forças armadas que houver praticado crime doloso contra a vida (não estando a paisano) --- ( A competência é da Justiça Militar da União).

Crimes comuns que não sejam dolosos contra a vida praticados por militares estaduais em serviço (Justiça Militar).

Crimes comuns praticados por militares a paisano (competência da justiça comum).


User badge image

Alexsandro Miranda

Há mais de um mês

Art. 71 do CPP: competência pela prevenção  - crime continuado e permanente. 

-Hipótese do a rt. 71 do  CPP: Quando  forem vários os  crimes , praticados em diferentes cidades , mas que, pelas circunstâncias de tempo, lugar e modo de execução, constituam uma continuidade 

delitiva  (art. 71 do  Código Penal ). Ou quando for um crime permanente, praticado em território de duas ou mais jurisdições .


Será competente o juiz que tiver antecedido  os demais na prática de algum  ato decisório, co mo o recebimento da de núncia. Mas também será competente , em razão da prevenção, aquele que tiver praticado, na f ase pré-processual, algum ato decisório, como a homologação  da prisão em flagrante, a  decretação da prisão preventiva ou 

temporária, ou, ainda, tiver decidido sobre alguma medida assecuratória ou mesmo busca e apreensão.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes