A maior rede de estudos do Brasil

Alguém que saiba solucionar caso clínico de fisioterapia? Me ajudem


5 resposta(s)

User badge image

Diane Di

Há mais de um mês

CASO CLÍNICOPaciente P. R. M., 7 meses, primigesto, parto vaginal, prematuro (34 semanas),apresentando o diagnóstico médico de Atraso do Desenvolvimento Motor. Durante a gravidez a mãe foi medicada a partir dos 6 meses, pois já apresentavacontrações uterinas. A mãe nega tabagismo ou intercorrências durante a gestação.No pós-parto houve complicação devido a anestesia, necessitando ficar internadadurante três dias no hospital, e mais 15 dias em casa repousando. A amamentação ocorreu apenas até os 2 meses de idade, alimentando-se desdeentão através de leite industrializado (NAN). A criança já esteve internada aonascimento por 1 mês para ganho de peso, aos 2 m eses e novamente aos 4 mesesdevidos pneumonia. Não faz uso de medicamentos. EM AVALI AÇÃO:Realizou-se a anamnese através de questionamentos à mãe da paciente, queinformou a queixa principal: não realiza trocas posturais e não permanece sentada. Foi relatado que a criança permanece a maior parte do tempo deitada e inicioucontrole de cervical aos 6 meses. Apresenta motricidade espontânea reduzida de MMSS, onde iniciou levar as mãosna linha média. Não apresenta alterações cutâneas ou cicatrizes. A ADM das articulações e e xtensibilidade m uscular encontram- se normais, quantoao tônus, observou-se hipotonia leve. Durante o teste de força muscular observou-se grau 3 para os MMSS e MMII (omúsculo é capaz de manter a posição do t este contra a gravidade). No teste desensibilidade superficial (dolorosa) não apresentou alterações. Ao posicionar a paciente na pos ição supino, observou-se que a mesma permanececom um pouco de RE dos MMII e em abdução, os MMSS permanecem livres paramovimentação. Em prono, paciente controla cervical, mas não consegue realizar extensão detronco. Quando posicionada em decúbito lateral, realiza movimentos voluntár ios comos MMSS. Observou-se que a paciente não troca de decúbito, e não tem dissociaçãode cinturas. Após puxar a criança pelos MMSS da posição supino para sentada, observou-secontrole cervical. Ao ser colocada na posição de sedestação, observou-se ausência decontrole de tronco, com equ ilíbrio apenas de cervical, sendo que permanece com e REe abdução dos MMII, sem apoio dos MMSS. Após a passagem da posição sentada para em pé, permanece em semi-flexão decoxo-femural e joelhos, não aceita suporte de peso. A criança não rasteja.
CASO CLÍNICOPaciente P. R. M., 7 meses, primigesto, parto vaginal, prematuro (34 semanas),apresentando o diagnóstico médico de Atraso do Desenvolvimento Motor. Durante a gravidez a mãe foi medicada a partir dos 6 meses, pois já apresentavacontrações uterinas. A mãe nega tabagismo ou intercorrências durante a gestação.No pós-parto houve complicação devido a anestesia, necessitando ficar internadadurante três dias no hospital, e mais 15 dias em casa repousando. A amamentação ocorreu apenas até os 2 meses de idade, alimentando-se desdeentão através de leite industrializado (NAN). A criança já esteve internada aonascimento por 1 mês para ganho de peso, aos 2 m eses e novamente aos 4 mesesdevidos pneumonia. Não faz uso de medicamentos. EM AVALI AÇÃO:Realizou-se a anamnese através de questionamentos à mãe da paciente, queinformou a queixa principal: não realiza trocas posturais e não permanece sentada. Foi relatado que a criança permanece a maior parte do tempo deitada e inicioucontrole de cervical aos 6 meses. Apresenta motricidade espontânea reduzida de MMSS, onde iniciou levar as mãosna linha média. Não apresenta alterações cutâneas ou cicatrizes. A ADM das articulações e e xtensibilidade m uscular encontram- se normais, quantoao tônus, observou-se hipotonia leve. Durante o teste de força muscular observou-se grau 3 para os MMSS e MMII (omúsculo é capaz de manter a posição do t este contra a gravidade). No teste desensibilidade superficial (dolorosa) não apresentou alterações. Ao posicionar a paciente na pos ição supino, observou-se que a mesma permanececom um pouco de RE dos MMII e em abdução, os MMSS permanecem livres paramovimentação. Em prono, paciente controla cervical, mas não consegue realizar extensão detronco. Quando posicionada em decúbito lateral, realiza movimentos voluntár ios comos MMSS. Observou-se que a paciente não troca de decúbito, e não tem dissociaçãode cinturas. Após puxar a criança pelos MMSS da posição supino para sentada, observou-secontrole cervical. Ao ser colocada na posição de sedestação, observou-se ausência decontrole de tronco, com equ ilíbrio apenas de cervical, sendo que permanece com e REe abdução dos MMII, sem apoio dos MMSS. Após a passagem da posição sentada para em pé, permanece em semi-flexão decoxo-femural e joelhos, não aceita suporte de peso. A criança não rasteja.
User badge image

Diane Di

Há mais de um mês

Questões:
1. Faça o cálculo da IDADE CORRIGIDA do paciente.
2- Identifique quais marcos motores estão alterados.
3- Justifique o atraso no desenvolvimento neuropsicomotor apresentado pe lapaciente.
4- Aponte quais achados clínicos e descreva o diagnóstico fisioterapêutico.
5- Descreva um plano de t ratamento com estimulação precoce para a paciente,descrevendo objetivos e condutas.
6- Escolha e descreva uma técnica f isioterapêutica, apontando quais os seus benefícios para a paciente em questão.
7- Faça orientação aos familiares

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes