A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Anatomia - controle motor

Pré-visualização | Página 1 de 1

CONTROLE MOTOR 
 
O indivíduo apresenta duas intumescências, ou seja, duas dilatações com 
concentração neuronal. A intumescência lombossacral com o plexo lombossacral e a 
cervical com o plexo braquial. 
A nível de L2 a medula espinal termina, por isso, o segmento vertebral não 
corresponde ao segmento medular. A coluna desenvolveu em comprimento mais que 
a medula em seu interior, assim, para determinar o segmento correspondente, entre 
C2 e T10, deve-se adicionar 2 ao processo espinhoso. Por exemplo, na vertebra c2, 
tem-se o nível medular c4. 
A medula possui uma substância branca periférica representada pelos funículos: 
anterior, posterior e lateral. Enquanto o H medular, central, representa a substância 
cinzenta por onde não passam axônios. 
O sulco intermédio posterior divide em fascículo grácil e cuneiforme e o sulco antero 
lateral que é por onde saem as fibras motoras. 
 
FORMAÇÃO DAS RAIZES 
O neurônio motor que esta em porção anterior, sai pelo sulco lateral anterior e formam 
radículas anteriores que se condensam e formam a raiz. 
Na região posterior, tem-se o sulco póstero lateral por aonde chegam neurônios que 
saíram do gânglio sensitivo e formam radículas, que posteriormente formam a raiz 
posterior. 
A raiz anterior é motora e a raiz posterior é sensitiva. Quando as duas se fundem, 
forma-se uma região mais trófica – com maior volume; esta é a região do tronco do 
nervoespinal, sendo que em lesões a partir dele, o individuo perde transporte de 
nervos sensitivos e motores. 
Se a lesão acontecer em raiz anterior, o déficit é motor e não sensitivo. Se a lesão for a 
partir do nervo espinal, perde-se a sensibilidade e a mobilidade. 
Por meio dos forames intervertebrais saem os nervos espinais formados e seguem em 
direção à estrutura que precisa ser inervada. 
 
 
 Origem real: 
localização dos corpos de 
neurônios no nervo 
Origem aparente: 
por onde ocorre o transito 
dos axônios. 
Raiz anterior: Neurônios saindo do corno 
anterior. 
Sulco ântero-lateral 
Raiz posterior: Neurônios do gânglio Sulco póstero-lateral 
 
TRONCO ENCEFALICO 
O tronco encefálico é constituído por núcleos nervosos, tratos, fascículos e lemniscos. 
Os três últimos são conjuntos de axônios no sistema nervoso central, sendo que não 
existem lemniscos relacionados a sistema motor. 
BULBO 
O bulbo está localizado superiormente à medula espinal e inferiormente à margem 
inferior da ponte, mais especificamente, limitado pelo sulco bulbopontino. 
Vista anterior 
Possui duas elevações: pirâmides e olivas. 
Ao lado da fissura mediana anterior, estão as pirâmides – uma estrutura bulbar 
alongada, que se constitui por feixes compactos de 
fibras nervosas descendentes que conduzem, aos 
neurônios motores da medula espinal, impulsos 
motores voluntários originados no córtex. A 
decussacao das pirâmides é o local onde ocorre o 
cruzamento de maior parte das fibras do trato 
corticoespinal – um trato motor. 
Lateralmente às pirâmides, estão as olivas. No interior 
da oliva estão núcleos nervosos. Entre eles, o núcleo 
olivar inferior, que recebe fibras do córtex cerebral, 
da medula e do núcleo rubro, além de estabelecer 
conexões com o cerebelo através de fibras olivo-
cerebelares que cruzam o plano mediano e penetram no cerebelo pelo pedúnculo 
cerebelar inferior. Essas conexões olivo-cerebelares são envolvidas na aprendizagem 
motora. 
Vista posterior 
Ao lado do sulco mediano posterior está o fascículo grácil, medialmente, e o fascículo 
cuneiforme, lateralmente. Na região superior dos fascículos estão os tubérculos grácil e 
cuneiforme, aonde chegam as fibras que ascenderam dos fascículos e formaram os 
núcleos grácil e cuneiforme. 
Os fascículos são constituídos por fibras nervosas que conduzem impulsos relacionados 
à propriocepção consciente ou sentido de posição e de movimento, tato 
discriminativo ou epicrítico, sensibilidade vibratória e esterognosia. As informações do 
fascículo grácil são provenientes da metade inferior do tronco e dos membros 
inferiores. Já as do fascículo cuneiforme são provenientes da região superior do tronco 
e dos membros superiores. 
PONTE 
É o segmento do tronco que fica intermediando mesencéfalo e bulbo. 
Pode-se notar a presença de um sulco basilar, por onde transita artéria basilar 
responsável pela irrigação do encéfalo. O pedúnculo cerebelar médio mantem 
comunicação do cerebelo com a ponte. 
MESENCEFALO 
É a porção mais cranial do tronco, cortado por um tubo – o aqueduto do 
mesencéfalo. O aqueduto divide o mesencéfalo em duas partes – uma anterior e 
outra posterior. A região anterior é chamada pedúnculo cerebral e a posterior é o teto 
do mesencéfalo 
Na vista posterior estão os corpos quadrigêmeos, cujos colículos superiores são 
responsáveis pela via visual; e os colículos inferiores pela via auditiva; 
Possui um núcleo nervoso denominado substancia negra que é composto por 
substância cinzenta. Um característica importante dessa região é que seus neurônios 
usam como neurotransmissor a dopamina. Possui esse nome, pois os corpos de 
neurônios contidos são ricos em melanina, conferindo uma coloração mais intensa. 
Está localizado entre o tegmento do mesencéfalo e a base do pedúnculo. 
ASSOALHO DO IV VENTRICULO 
Possui a região denominada loco ceruleus, sendo ela responsável pelo sono. E locus 
postrema, a área responsável pelo vomito.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.