Direito do Trabalho - Resumo completo
119 pág.

Direito do Trabalho - Resumo completo


DisciplinaDireito do Trabalho I36.412 materiais533.399 seguidores
Pré-visualização41 páginas
com o trabalho,mas sempre que possível volta ao trabalho. O auxilio doença é quando ele esta impossibilitado para o seu trabalho,se vincula a profissão que ela tem e o posto que ocupava,ele pode exercer outra profissão mesmo reabilitado. Quando o empregado vem a ser periciado pelo INSS por ser detectado incapaz ao trabalho, é considerado aposentadoria por invalidez.
	TODOS ESSES CASOS VISTOS ATÉ ENTÃO NÃO TEM RELAÇÃO COM ACIDENTE DE TRABALHO. 
	Este auxílio doença é o chamado auxilio doença previdenciário,essa expressão é consagrada.Assim como o auxilio doença previdenciário existe o auxilio doençaacidentário. O professor prefere valor em auxilio doença comum ao invés de previdenciário,e auxilio doença acidentário.
	Nossa lei previdenciária,a lei 8213/91 define acidente do trabalho,nos artigos 19,20 e 21.Existe o acidente típico.Exemplo:Caiu de andaime, um corte, uma amputação, uma fratura,atingido por material.Existe o acidente atípico Doença que decorre do trabalho.Exemplo:Perda de audição devido ao ruído do lugar que trabalha. Esse é um conceito amplo. Há ainda o acidente por equiparação que é o acidente no trajeto quando vou ao trabalho e quando volto,a lei diz que é o acidente por equiparação,outro exemplo é o ataque terrorista por equiparação,em que o empregado sofre um ataque terrorista e não pode mais trabalhar devido a esse ataque.
	O conceito de acidente tem a ver com culpar o empregador e não a previdência.A lógica previdenciária é de responder, porque existiu antes contribuição.
Acidente de trajeto é, por exemplo, quando encerro uma atividade e me dirijo ao trabalho.O acidente do trajeto se passa no momento em que encerrei o local numa atividade e vou em direção a outro trajeto.Quando se inicia uma atividade termina o trajeto.O auxilio doença acidentário tem um regime doença diferente do previdenciário.
	Se a incapacidade por motivo de saúde,dura ate 15 dias,o contrato fica interrompido,mas se incapacitar a pessoa completamente o contrato passa a estar suspenso depois do 16º dia,ainda não recuperado, sai de cena a proteção trabalhista e entra a proteção previdenciária. Não teria o auxilio doença acidentário,mas sim o auxilio previdenciário.Recebo o auxilio doença para que me recupere e volte ao trabalho. O auxilio doença suspende por prazo indeterminado,até que ele melhore.
	
Auxilio doença acidentário:
Exemplo:Sujeito incapaz para o trabalho,mas agora a incapacidade para o trabalho tem relação de com um acidente sofrido no trabalho.Adquiriu uma doença ou sofreu um acidente no ambiente de trabalho. Essa situação de saúde decorre do trabalho,foi por causa do trabalho que fiquei incapacitado. Nesse assunto são duas leis que tem uma aplicação próxima a lei 8213 de 91 e a CLT. Existem três tipos de acidente de trabalho: típico (causado pelo próprio trabalho), atípico (doenças) ou por equiparação (acidentes que são definidos como tal porque a lei indica: acidente do trajeto, terrorismo). 
	Os artigos 19,20 e 21 da lei 8213/91 definem o acidente de trabalho típico,é o evento que na língua portuguesa chamamos de acidente,é um evento traumático que causa lesão à pessoa. Mas além do acidente típico,existe o acidente atípico,que são doenças que adquiro em função do trabalho que faço.
Algumas doenças tem relação com o trabalho que faço,doença em função de excesso de digitação. E outras vezes tem relação com o ambiente onde executo o trabalho.Exemplo:Ruído proveniente do lugar que trabalho.
Doença profissional Esforço. Doença do trabalho Ambiente de trabalho.
Essa diferença é realizada pelos médicos que querem saber a causa.
Artigo 21 Ato terrorista Acidentes por equiparação,é uma ficção,outro exemplo mais famoso é o acidente no trajeto.
	Para o que interessa é na conseqüência disso,o sujeito por um acidente de trabalho ficar incapaz para o trabalho,vai que teve uma queda e ficou incapaz para o trabalho.Quando a pessoa sofre acidente no trabalho,uma coisa não muda,os 15 dias iniciais.Se a pessoa fica ate 15 diasmachucado,o contrato é interrompido.
	Mas se chego ao 16º dia,passo a receber auxilio doença por acidente de trabalho.Paga porque a pessoa esta incapaz, mas a recuperação é provável,nesse ponto os dois auxílios doenças são iguais,pagos pelo mesmo instituto social que é o INSS.E pagos porque a pessoa esta incapaz,mas a recuperação é provável.
Só tem diferença na origem.O auxilio doença por acidente do trabalho é diferente na origem e nos efeitos. Veremos como matéria última,a chamada estabilidade, às vezes o empregado quando estável no emprego é porque o empregador não pode dispensar ele,a não ser por justa causa.Um dos casos de estabilidade é o do artigo 118 da mesma lei 8213/91.Artigo 118 da lei 8213/91 Empregado que volta de auxilio doença acidentário é estável por 12 meses.Exemplo: Eu quebrei a perna em casa e fiquei 30 dias fora.Nos primeiros 15 dias,contrato interrompido,últimos 15 dias contrato suspenso,recebo auxilio doença comum,quando voltar,não volto com estabilidade, pois foi um auxilio doença comum.Ex²:Se eu quebrasse a perna trabalhando,seria acidente do trabalho,primeiros 15 dias contrato interrompido com o empregador pagando salário,ficaria fora com outros 15 com contrato suspenso e recebendo auxilio doença acidentário,mas na minha volta ficaria estável por 12 meses.
	Saber se o auxilio doença é comum ou acidentário,descubro a diferença na origem,mas se a identificação esta na origem,as conseqüências são distintas,auxilio doença acidentário, fico estável por 12 meses.
	*Esse caso tem polêmica,há uma divergência na doutrina.Quando definiu suspensão e interrupção,o professor disse que na linha que acha melhor se a pessoa não trabalha e não recebe é suspensão.Interrupção quando não trabalha e o salário é pago ou quando mesmo que não pago,contou como tempo de serviço.
	Não trabalhou,não faz jus a salário suspensão. Mas na doutrina no Brasil,tem quem faça distinção por outro conceito,para ser suspensão,o conceito é mais restrito,é não trabalhar,não receber salário e não contar como tempo de serviço.Interrupção Conceito maior: Não trabalhar e receber salário,e mesmo se não tiver recebido,contou como tempo de serviço.Vamos pensarna tese adotada pelo professor,o auxilio doença acidentário,o sujeito sofre um acidente atípico no trabalho,vai que no 16º dia,ainda não esta recuperado ainda, recebe auxilio doença acidentário,não trabalha não recebe do empregador,recebe do INSS,saiu de cena a proteção trabalhista e entra a previdenciária.
	O professor por ser fiel a tese que adota esta enquadrando esse caso como um caso de suspensão,porque o empregado não esta trabalhando devido a acidente de trabalho que oincapacitou momentaneamente,e o empregador do 16º dia para frente não paga salário,e ele é amparado pelo INSS através do auxilio doença.
Artigo 4º da CLTPara efeito trabalhista,tempo de serviço é o tempo que esta trabalhando,mas o que é tempo de serviço é o tempo que esta a disposição do trabalhador aguardando ordens do empregador.O conceito de tempo de serviço é o artigo 4º.É uma prova da subordinação,esta cumprindo tarefas para as quais designado, e esta aguardando ordens do empregador.
	No parágrafo únicodesse artigo considera-se como tempo de serviço,tempo que o empregado esta afastado por acidente de trabalho. É uma ficção, tratando como verdade aquilo que não deve ser tratado como tal. 
	Essa é a diferença de auxilio de doença por acidente de trabalho e auxilio doença comum,pois essa regra é somente do auxilio doença por acidente de trabalho. 
FGTS: fundo de garantia pelo tempo de serviço:Lei 8036/90 Dispensar empregado sem se quer dar motivo.O empregador se quiser pode dispensar,a cada mês trabalhado vamos receber salário,dos ganhos que tivermos,o equivalente a 8% o empregador depositará em uma conta em nome de cada empregado.O empregado deposita esse valor na conta do tempo de garantia do serviço,cada mês trabalhado,os 8 batem lá,é uma poupança forçada para o trabalhador. Quando o empregado perde o emprego,ele pode sacar essa quantia.
	Quando o contrato
Mariane
Mariane fez um comentário
alguem me envia por email quero imprimir
0 aprovações
Paulo Lucas
Paulo Lucas fez um comentário
ótimo...
0 aprovações
maria
maria fez um comentário
Obrigado por disponibilizar o seu material, estou sem material de apoio, está sendo de grande valia, um abraço.
0 aprovações
Daiana
Daiana fez um comentário
perfeito!
0 aprovações
Nicolle
Nicolle fez um comentário
otimo
0 aprovações
Carregar mais