RESUMO FALÊNCIA
6 pág.

RESUMO FALÊNCIA


DisciplinaFalência e Recuperação de Empresas158 materiais919 seguidores
Pré-visualização7 páginas
PRESSUPOSTOS DA FALENCIA - A crise da empresa pode manifestar-se de formas variadas. Ela é econômica quando as vendas de produtos e serviços não se realizam na quantidade necessária à manutenção do negocio. É financeira na quando falta à sociedade empresária dinheiro em caixa para honrar seus compromissos e finalmente é patrimonial se o ativo é inferior ao passivo, se as dividas superam os bens da sociedade empresaria. Em geral, cabe dizer que determinada sociedade empresaria está em crise quando presente as três formas pela qual se manifesta. A que das vendas acarreta falta de liquidez e em seguida, a insolvência. A garantia dos credores é o patrimônio do devedor. Quando porem, o patrimônio do devedor é representando por bens cujos valores somados são inferiores à totalidade das suas dividas, a regra da individualidade da execução torna-se injusta, porque execuções individuais não possibilitam discriminar os credores, de acordo com os graus de necessidade ou garantias contratadas; e não da também aos titulares de credito de igual natureza, as mesmas chances. Para evitar isso, o direito afasta a execução individual e prevê na hipótese, a instauração de uma execução concursal, isto é, do concurso de credores. Deve-se processar como concurso, ou seja, envolvendo todos os credores e abrangendo todos os bens, reunindo a totalidade de passivo e do ativo do devedor. A instauração de concurso na hipótese do devedor não ter meios suficientes para cumpri a totalidade de suas obrigações visa o principio básico de justiça denominado par condicio creditorum. O tratamento paritário dos credores pode ser visto como uma forma de o direito tutelar o crédito, possibilitando que melhor se desempenhe sua função na economia e na sociedade. Os agentes econômicos se sentem menos inseguros em conceder créditos por exemplo. A falência é assim, o processo judicial de execução concursal do patrimônio do devedor empresário. Visto que caso não seja sociedade empresaria o processo será se insolvência civil, regida pelo CPC, e não de falência. Ou seja, para ser instaurada a falência é necessária a concorrência de três pressupostos: (a) devedor ser sociedade empresária. (b) insolvência \u2013 impontualidade injustificada, execução frustrada ou prática de ato de falência. (c) sentença declaratória da falência. Devedor sujeito a falência: Está sujeitos a falência, os devedores que exercem a atividade econômica de forma empresarial. A lei exclui do direito falimentar alguns empresários. A exclusão é total ou absoluta, se a sociedade empresária nunca puder falir como por ex as empresas públicas, sociedade de economia mista. E é parcial ou reativa se não puder falir apenas em determinadas hipóteses previstas em lei, como por ex no caso de instituição financeira. Insolvência: Numa breve síntese do que vimos até o momento, pode-se assentar que o estado patrimonial do devedor que possui o ativo inferior ao passivo é denominado insolvência econômica, ou insolvabilidade. O devedor empresário nesse caso encontra-se sujeito a execução concursal de seu patrimônio chamado de falência. Para que a devedora, sociedade empresaria, se submeta a execução concursal falimentar, é rigorosamente indiferente a prova da inferioridade do ativo em relação ao passivo. Ou seja, não é necessário o requerente da quebra, demonstrar o estado patrimonial de insolvência do requerido (insolvencia econômica), para que se instaure a falência. Exige a lei a chamada insolvência jurídica, que se caracteriza pela impontualidade injustificada \u2013 art. 94, I, pela execução frustrada, art. 94,II ou pela prática de ato de falência, art. 94 III. Logo, para fins de decretação de falência, o pressuposto da insolvência não se caracteriza por um determinado estado patrimonial, mas pela ocorrência de um dos fatos previstos em lei ensejadores da quebra. Impontualidade injustificada: refere-se a obrigação liquida, ou seja, representada por titulo executivo, judicial ou extrajudicial protestado. Trata-se de critério forma da lei; só da ensejo a falência por esse fundamento, a impontualidade referente a obrigação liquida documentada num desses títulos (judicial oi extrajudicial) devidamente protestado. Ademais, alem de ser titulo protestado, outro requisito é o valor desse documento. Assim só pode ter o devedor a falência decretada se deixar de cumprir pontualmente obrigação de pelo menos, 40 salários mínimos. \u2013 administre a lei que os credores se unam em litisconsórcio ativo para juntos formarem esse valor. Caso o credor não consiga reunir todos esses requisitos, o que lhe sobra é a execução judicial. A lei estipula um rol de hipóteses de impontualidade justificada, ou seja, que não da ensejo a falência. \u2013 art. 96. A impontualidade é sempre provada com o protesto por falta de pagamento. De outro lado, naos e tratando de titulo sujeito a protesto cambial, como uma sentença judicial, a lei estipula uma espécie de protesto diferente, é o chamado protesto especial da falência. Em suma, para que se encontre caracterizado o comportamento descrito no art. 94 I da LF, e portanto, seja cabível a instauração da falência, é necessário que a sociedade empresaria devedora tenha sido impontual, sem relevante razão jurídica, no cumprimento da obrigação documentada em titulo executivo. A impontualidade deverá ser demonstrada necessariamente pelo protesto, cambial ou especial. Execução frustrada: A sociedade empresária devedora que, executada, não paga, não deposita nem nomeia bens a penhora no prazo legal, incorre em execução frustrada. Art. 94 II LF. Chama-se de tríplice omissão. Se está sendo promovida contra a sociedade empresaria uma execução individual, isso significa que ela não pagou no vencimento a obrigação liquida certa e exigível. Por outro lado, se não tomou nenhuma das medidas garantidoras de cumprir a obrigação, como por exemplo nomear bens a penhora, é um sinal de que talvez não disponha de meios sequer para em seguida formular perante o juízo competente o pedido de falência. Para essa hipótese de insolvência jurídica, o protesto do titulo em que se baseia a execução é desnecessário, vez que o titulo de credito não protestado pode ser levado a execução. Logo, mesmo não estando o titulo protestado poderá ajuizar o pedido de falência com base não rt. 94 II. Ainda, não se faz necessário o valor mínimo do titulo \u2013 esses requisitos foram estitupaldos pela lei em hipótese de se pedir a falência por impontualidade insjutificada. O artigo 94, II, Lei 11.101/05 aborda a hipótese de uma execução se tornar falência, o que ocorre diante de uma execução frustrada, isto é, quando não há localização de bens no patrimônio do devedor. Há quem interprete que também no artigo 94, II, Lei 11.101/05 se exige o valor superior a 40 salário mínimos para se impedir o requerimento de falência por quantias irrisórias. Neste caso, o título não precisa estar protestado. B3- Atos de falência: comportamentos normalmente praticados pela sociedade empresaria que se encontra em insolvência econômica, isto é com o ativo inferior ao passivo. SÃO ATOS DE FALENCIA: liquidação precipitada \u2013 liquida seu negocio de forma abrupta, isto é vende os bens ativos não circulantes indispensáveis a exploração da atividade sem reposição, deixando de observar às regras pertinentes a dissolução. Negocio simulado \u2013 retardar pagamento ou fraudar para garantir a execução. Esses fatos denunciam a insolvabilidade da executada e possibilitam a decretação de falência. Esse pedido não se faz nos autos da execução individual, na verdade esta deve ser suspensa ou mesmo extinta. O exeqüente deve solicitar uma certidão atestando a falta de pagamento, deposito ou nomeação de bens a penhora e então entrar com pedido de falência no juízo competente. Alienação irregular de estabelecimento \u2013 a sociedade vende o seu estabelecimento empresarial sem consentimento dos credores, ou não conservando patrimônio suficiente para responder pelo passivo. Transferência simulada do principal estabelecimento \u2013 a sociedade é em principio livre para transferir seu principal