A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
51 pág.
Apostila Teoria e Pratica da Redacao Juridica 2012 (2)

Pré-visualização | Página 5 de 18

de cumprimento de medidas sócio-educativas ou protetivas de adolescentes no Município do Rio de Janeiro.
 PUBLIQUE-SE E INTIME-SE A DIREÇÃO DA EUROPA FILMES, DISTRIBUIDORA DO FILME “TRAFFIC” E CIENTIFIQUE-SE O DEPARTAMENTO DE CLASSIFICAÇAO INDICATIVA DO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA PARA CIÊNCIA E PROVIDÊNCIAS QUE ENTENDE CABÍVEIS.
Rio de Janeiro, 30 de março de 2001.
SIRO DARLAN DE OLIVEIRA
JUIZ DA 1ª. VARA DA INFÂNCIA E DA JUVENTUDE 
RIO DE JANEIRO-RJ
EMENTA, FUNDAMENTAÇÃO E CONCLUSÃO, A PARTIR DA LEITURA DA PETIÇÃO SOBRE O FILME TRAFFIC
EMENTA
Pedido de liberação de filme para maiores de 16 anos – Temática relativa ao uso de drogas – Necessidade de conscientização dos jovens – Tema pertinente à faixa etária – Ficção próxima da realidade do Rio de Janeiro – Abordagem educativa – Parecer favorável à alteração da classificação etária do filme.
FUNDAMENTAÇÃO
1º parágrafo) Apresentação de reflexão política, filosófia ou sociológica sobre o tema em questão, sem referência direta ao caso
	O Rio de Janeiro vive hoje uma crise devido ao poder adquirido pelo tráfico de drogas. Há interferências na vida social, definindo quando os estabelecimentos podem funcionar, decidindo quem pode atuar nas comunidades sitiadas pelos traficantes, infiltrando-se nas polícias e nos três poderes. Com isso, a droga circula livremente em nossa cidade, da classe baixa à alta. Os jovens, por sua grande vulnerabilidade, tornam-se alvo de toda sorte de aliciamento, como consumidores potenciais que são. 
2º parágrafo) Apresentação do Argumento de Oposição à Tese 1 e defesa do Argumento Pró-tese 1
	Muitos consideram que o filme Traffic apresenta tema inoportuno para jovens com a personalidade em formação. Entretanto, a temática retratada não poderia ser mais adequada. Os adolescentes envolvem-se com as drogas, lícitas ou ilícitas, cada vez mais cedo. Torna-se, então, fundamental conscientizá-los dos malefícios do álcool, do fumo e dos entorpecentes, para que, assim, possam se proteger da sedução que o mundo das drogas oferece. Segundo Paulo Freire, “ninguém luta contra as forças que não compreende.” Desta forma, resta mais do que relevante a exibição do filme para os adolescentes, a fim de que eles conheçam a realidade.
3º parágrafo) Apresentação do Argumento de Oposição à Tese 2 e defesa do Argumento Pró-tese 2
	Ainda que Traffic seja considerado violento para a faixa etária em questão, a violência a que assistimos é necessária, pois é real, é aquela que envolve o narcotráfico e as pessoas que, de alguma forma, com ele se relacionam, como vendedores ou usuários. Reside nessa abordagem o caráter pedagógico da obra. As cenas fortes são educativas, justamente porque o filme não romantiza o uso de entorpecentes, pelo contrário, apresenta-o de forma negativa e destrutiva. O drama que o filme expressa tem a importante função de alertar e mostrar que o mundo das drogas não tem nada de colorido.
4º parágrafo) Defesa do Argumento Pró-tese 3
	Segundo fontes do Ministério Público, cerca de 70% dos jovens apreendidos no Rio de Janeiro tiveram infrações relacionadas a drogas, por tráfico ou consumo. Ora, esse dado apenas explicita o que é de conhecimento público: as drogas são hoje o maior problema dos jovens. Portanto, todas as maneiras de conscientização devem ser experimentadas, sobretudo aquelas de fácil acesso aos adolescentes, como filmes, músicas, informações pela internet, programas de televisão. Muitas vezes, um filme tem o poder de penetração e convencimento mais eficaz que um livro, uma aula, uma palestra, uma conversa, por constituir-se de uma linguagem mais próxima dos jovens.
5º parágrafo) Apresentação do Argumento de Autoridade e defesa do Argumento Pró-tese 4
	O Estatuto da Criança e do Adolescente, no artigo 149, estabelece que compete ao Juiz da Infância e da Juventude a autorização para entrada de crianças e adolescentes em espetáculos públicos. No caso em tela, considerando tratar-se de obra de grande relevância social, caberia ao Poder Judiciário, na defesa do interesse dos menores da cidade do Rio de Janeiro, autorizar a liberação do filme para os maiores de 16 anos. Encontra, pois, o Poder Judiciário todas as justificativas para acatar o pleito do Ministério Público.
CONCLUSÃO
	Com base no exposto, opina-se pela mudança da classificação indicativa de Traffic, liberando a entrada dos jovens maiores de 16 anos nas salas de exibição.
		É o parecer.
Rio de Janeiro, 13 de fevereiro de 2006.
 João da Silva
CASOS E EXERCÍCIOS
Caso 1)
Domingo, 9 de março de 2003. 2a. edição O Globo 
ESTUDANTE CONFESSA TER MATADO O PAI
São Paulo – A estudante Lígia Lírio dos Santos, de 20 anos, foi presa na madrugada de ontem após confessar o assassinato do pai, o pedreiro Lírio Joaquim da Silva, de 48 anos. Ela contou à polícia que o pai se tornava agressivo quando bebia e a ameaçava de morte.
Disse ainda que, cansada das agressões pediu ajuda ao namorado. Ricardo Costa da Silva, 18 amos, com quem se relacionava há oito meses, para “ se livrar “ do pai.
 A estudante, que se mostrou calma durante todo depoimento, disse que o relacionamento familiar sempre foi ruim e que a mãe está presa por tráfico de drogas.
Policiais acharam que casal levava produto de roubo.
 O crime ocorreu por volta das 3h da manhã de ontem, quando o pedreiro, depois de passar a noite em um bar, voltava para casa, no bairro de Cangaíba, na Zona Leste de São Paulo. Ao entrar, foi surpreendido pela filha e o namorado. Enquanto o rapaz segurava o pedreiro, Lígia o atingiu com cerca de 30 facadas.
 O corpo foi amarrado com pedaços de corda de varal. Embrulhado em lençóis, cobertor, tapete e saco plástico preto e porto em um carrinho do tipo utilizado para transportar bagagem. A idéia, segundo a estudante, era jogar o corpo num córrego próximo. Antes de deixar a casa, os criminosos ainda trocaram de roupa.
 Na rua, a dupla foi abordada por policiais da 3ª Companhia do 8º Batalhão da Polícia Militar , que desconfiaram de que o casal estivesse transportando mercadoria roubada.
 Percebendo a aproximação da PM, Ricardo fugiu, mas Lígia foi presa e levada para o 10º Distrito Policial na Penha, e em seguida para a Dacar 4 (Divisão de Assuntos Carcerários) em Pinheiros. Ela foi indiciada por homicídio e está sujeita a pena entre 12 e 30 anos de cadeia. 
Até o fim da tarde o rapaz continuava desaparecido.
 Durante todo o dia de ontem, os policiais procuraram pelo namorado da estudante, em casa de amigos e parentes, mas até o final da tarde ele não tinha sido encontrado. De acordo com a polícia, Lígia colaborou com as investigações apontando lugares onde o namorado pudesse estar escondido. 
 Segundo Isabel Barreto, amiga da família de Ricardo, os pais dele, Carlos Pereira da Silva e Rita de Cássia Costa, estão muito abalados com o crime, já que o filho sempre se mostrou amável e responsável. 
 - Ricardo visitava regularmente uma psicóloga mas nunca mostrou problemas sérios de caráter. Ele sempre foi um bom menino e esse assassinato nos pegou de surpresa - disse Isabel.
EXERCÍCIOS
1)Elabore a sua tese;
2)Produza 3 argumentos que sustentem a sua tese;
3)Elabore uma fundamentação explorando os seus argumentos. 
Caso 2)
EXERCÍCIOS
Com base nas informações presentes nos considerandos abaixo, redija a ementa do parecer
 Considerando que a vítima perdeu sua vida de forma brutal a caminho do trabalho, realizando, pois, o mais elementar direito de cidadania, qual seja, o de ir e vir, direito esse tutelado pela norma constitucional soberana, e cuja defesa é função principal da autoridade policial;