A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
35 pág.
Cidadania no Transporte de Passageiros

Pré-visualização | Página 3 de 5

respeito mútuo e a cidadania.
É imprescindível que os profissionais do transporte de passageiros, de sua parte, saibam 
agir corretamente frente às diversas situações cotidianas, identificando e revertendo as 
más atitudes e as posturas negativas. A fim de que isso ocorra, é necessário relembrar, 
resgatar e colocar em uso os valores descritos a seguir.
Os 12 valores dos profissionais do transporte de passageiros:
a) Educação: corresponde ao cultivo de boas maneiras no trato com todas as 
pessoas.
b) Empatia: está relacionada à habilidade de se colocar no lugar do outro.
c) Receptividade: diz respeito à facilidade de manter a mente aberta e explicitar 
boa vontade no atendimento às pessoas.
d) Respeito: constitui a base de qualquer relacionamento entre os colegas, 
superiores, subordinados e clientes.
e) Bom senso: está associado à capacidade de entender uma situação e resolvê-
la da melhor forma possível.
f) Flexibilidade: corresponde à aptidão de lidar com pontos de vista distintos.
g) Paciência: está relacionada a saber não tomar decisões de forma precipitada.
h) Persistência: é a perseverança da utilização de todos os valores positivos no 
cotidiano.
i) Equilíbrio: corresponde a ter as rédeas do próprio comportamento.
j) Igualdade: está associada à percepção de que todos merecem ser tratados 
com cortesia, sem diferenciação.
18
l) Humildade: constitui a aptidão para reconhecimento dos próprios equívocos.
m) Simplicidade: consiste na habilidade de simplificar questões a serem resolvidas, 
bem como em se fazer entender por meio de linguagem de fácil compreensão.
4 Como Evitar Situações de Conflito no Transporte de 
Passageiros
Segundo Vasconcellos (2013) e Akio (2015), no trânsito a circulação ocorre em um 
espaço físico de conflitos que precisa ser distribuído entre os que desejam utilizá-lo. As 
regras desta negociação são determinadas, externamente, pelo CTB e, internamente, 
na própria rua, pelas decisões tomadas pelas pessoas.
Há de se compreender que os prestadores de serviços de transporte e os seus usuários, 
assim como as outras pessoas que se utilizam do trânsito, fazem-no de formas distintas, 
dependendo das necessidades e objetivos.
As pessoas podem mudar de comportamento em função dos diferentes papéis que 
exercem no trânsito – pedestres, condutores ou passageiros.
Com isso, para amenizar algumas situações de conflito no desempenho das atividades 
laborais, é importante que o profissional esteja atento a algumas táticas, tais como:
• Converse, não discuta: em casos de acidente, ou de necessidade de sair do 
carro para conversar com alguém sobre o ocorrido, sempre mantenha a calma 
e não se exalte, mesmo que você seja a vítima.
• Comunique-se claramente: preste atenção à sua entonação de voz e às 
expressões faciais, porque elas podem passar uma visão diferente da que você 
almeja.
• Utilize mensagens simples e objetivas: não permita más interpretações.
• Distinga os momentos propícios: para atuar com consciência e exatidão.
19
• Veja sempre o lado positivo das ocorrências: isso facilita entender a razão de 
comportamentos incorretos dos outros profissionais ou usuários do sistema 
de transporte.
• Evite brigas: quando extremamente necessário, intervenha apenas para 
acalmar os ânimos e volte o quanto antes ao diálogo e às suas tarefas.
• Utilize sempre o bom senso: pense muito bem antes de agir, pois o que fizer 
de errado poderá servir de argumento contra você.
• Empregue o veículo para o propósito correto: não o use para intimidar as 
pessoas, ou para arranque e parada brusca.
Mas, como você pode fazer a diferença?
Você pode se destacar pelo empenho em construir um ambiente de qualidade, 
aplicando os conhecimentos adquiridos. Ademais, esses conhecimentos permitem 
realizar uma autoavaliação e, a partir dela, uma mudança de comportamento – que 
pode ser superficial ou profunda – dependendo do tipo de profissional no qual você 
quer se tornar!
Com isso, você estará cada vez mais consciente de seu potencial e o mercado, por sua 
vez, sempre buscará os profissionais de melhor performance.
20
Resumindo 
 
O relacionamento interpessoal representa o esteio da sociedade 
contemporânea. E, muito mais do que isso, na atuação profissional junto ao 
sistema de transporte de passageiros e no trânsito, constitui a base para a 
construção e manutenção da boa relação com os usuários dos serviços. 
 
A prática de boas atitudes entre os prestadores de serviços de transporte 
e os seus usuários, bem como entre os usuários do trânsito, tem o poder de 
promover o respeito mútuo e a cidadania. 
 
Para amenizar algumas situações de conflito no desempenho das atividades 
laborais, é importante que você saiba ouvir, depois conversar e jamais 
discutir!
21
 a
1) Julgue verdadeiro ou falso. Os três importantes pilares 
para que o trânsito nacional possa se qualificar como seguro, 
humano e funcional são: educação, esforço legal e 
engenharia. 
 
Verdadeiro ( ) Falso ( ) 
 
2) Julgue verdadeiro ou falso. Pode-se dizer que o indivíduo 
ajustado ou o verdadeiro cidadão é aquele cujas características 
individuais somam-se, positivamente, com os anseios 
coletivos. 
 
Verdadeiro ( ) Falso ( )
Atividades
22
Referências
ABETRAN – Associação Brasileira de Educação de Trânsito. Portal oficial. Disponível 
em: <www.abetran.org.br>. Acesso em: 5 dez. 2015.
AKIO, M. Como Evitar Acidentes de Trânsito. São Paulo: Chiado Brasil, 2015.
ANTP – Associação Nacional de Transportes Públicos. Portal oficial. Disponível em: 
<www.antp.org.br>. Acesso em: 5 dez. 2015.
BRASIL. Lei n° 13.103, de 2 de março de 2015. Dispõe sobre o exercício da profissão de 
motorista, entre outros. Brasília, 2015. Disponível em: <www.planalto.gov.br>. Acesso 
em: 5 dez. 2015.
_______. Lei n° 12.619, de 30 de abril de 2012. Dispõe sobre o exercício da profissão de 
motorista, entre outros. Brasília, 2012. Disponível em: <www.planalto.gov.br>. Acesso 
em: 5 dez. 2015.
_______. Lei n° 9.503, de 23 de setembro de 1997. Institui o Código de Trânsito 
Brasileiro. Brasília, 1997. Disponível em: <www.planalto.gov.br>. Acesso em: 5 dez. 
2015.
CRISTO, F. Psicologia e trânsito: Reflexões para pais, educadores e (futuros) 
condutores. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2012.
DENATRAN. Manual de Direção Defensiva. Portal oficial. Disponível em: <www.
denatran.gov.br>. Acesso em: 5 dez. 2015.
HOFFMANN, M. H.; CRUZ, R. M.; ALCHIERI, J. C. Comportamento Humano no Trânsito. 
São Paulo: Casa do Psicólogo, 2003.
IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Portal oficial. Disponível em: 
<http://www.ibge.gov.br/home/>. Acesso em: 5 dez. 2015.
MARIUZA, C. A.; GARICA, L. F. Trânsito e Mobilidade Urbana: Psicologia, Educação e 
Cidadania. Porto Alegre: CRP, 2010.
NTU – Associação Nacional das Empresas de Transporte Urbano. Portal oficial. 
Disponível em: <www.ntu.org.br>. Acesso em: 5 dez. 2015.
23
TORBI, M. Reflexões sobre o Transporte Coletivo de Passageiros. São Paulo: EMT, 
2014.
VASCONCELLOS, E. A. Mobilidade Urbana: O que Você Precisa Saber. São Paulo: Cia 
das Letras, 2013.
24
UNIDADE 3 | TRÂNSITO E MEIO 
AMBIENTE
25
Unidade 3 | Trânsito e Meio Ambiente
1 Meio Ambiente e Ecologia
Meio ambiente envolve todas as coisas vivas e não vivas que 
ocorrem na Terra, ou em alguma região dela, que afetam os 
ecossistemas e a vida dos humanos (TORBI, 2014).
O meio ambiente pode apresentar diversos conceitos, que são identificados por seus 
componentes.
Na ecologia, por exemplo, o meio ambiente é o panorama 
animado ou inanimado em que se desenvolve a vida de um 
organismo, existindo diversos fatores externos que têm uma 
influência sobre ele. A ecologia tem como objeto de estudo as 
relações entre os organismos e o ambiente envolvente.
2 A Relação entre o Trânsito e o Meio Ambiente
Segundo a Associação Brasileira de Educação 
de Trânsito (ABETRAN, 2015), a preservação 
do meio ambiente é responsabilidade de 
todos, e a valorização das questões

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.