H. Direito Brasileiro - Atividade 2 - Resolvida

@historia-do-direito-brasileiro ESTÁCIO

Pré-visualização

História do Direito Brasileiro

Caso da Aula 2

Leia a notícia a seguir (adaptada de texto disponível em: 
http://geodesia.ufsc.br/Geodesia-online/arquivo/cobrac_2002/048/048.htm e, depois,  responda as questões formuladas.
 
    “O Foral de Olinda, de 1537, o documento mais antigo relativo à cidade e o único Foral de Vila conhecido no Brasil, é uma carta de doação feita pelo primeiro donatário de Pernambuco, Duarte Coelho, aos povoadores e moradores. Este documento elevou o povoado de Olinda à Vila, estabelecendo seu patrimônio público, bem como um plano de ocupação territorial. Além da importância histórica, gera, ainda hoje, à Prefeitura Municipal, o direito de cobrança do foro anual, laudêmio e resgate de aforamento.
    Através do resgate histórico deste documento do século XVI, o Projeto Foral de Olinda possibilitou o aumento da arrecadação municipal, através da incorporação do cadastro de terrenos foreiros ao Sistema de Cadastro Imobiliário do município. Os trabalhos iniciaram-se em 1984, culminando com a emissão dos carnês de cobrança em 1994, 1996 e 1998, para, respectivamente, 34.000 imóveis localizados em Olinda, 15.000 em Recife e 18.000 parcelas no Cabo. Apesar de significativa a quantidade de foreiros, verifica-se que a arrecadação ainda é baixa.”

    Como se pode observar, o texto acima informa que o documento celebrado no Século XVI, ainda, nos dias atuais, gera arrecadação municipal. Sendo assim, visando a facilitar sua pesquisa, indicamos visita ao site:  http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/carta-foral/carta-foral.php para, logo após, explicar o que é uma Carta Foral e por que, ainda hoje, permite que ela continue a cobrar o tributo.

Resposta:
    A Carta Foral é uma carta de privilégio conferida a um determinado local, por um rei ou por um membro da igreja, que contém normas que disciplinam as relações de povoadores entre si e com a entidade ourtogante. Eram feitas em três cópias, tratavam, principalmente, dos impostos a serem pagos pelos colonos e funcionavam como fonte de receita.
    Atualmente a cobrança de tributos através da carta foral são permitidas por apresentar-se como uma carta de doação, onde não existem normas judiciais e penais, diretrizes fiscais ou limites da jurisdição.

Questão objetiva
    Será estudado, mais adiante, que, nos dias de hoje, vigora a ideia de que o poder é melhor exercido quando não está todo ele nas mãos de uma única pessoa. Essa teoria que irá se consagrar, principalmente, com um pensador francês chamado Montesquieu - que produziu sua principal obra, chamada O Espírito das Leis, no Séc. XVIII - até os dias de hoje é muito influente, inclusive no Brasil. Sobre a estruturação do poder na Colônia, é possível afirmar que:
a)   O Brasil adotou, desde o começo de sua fase colonial, a divisão de poderes que tinha por propósito dar ensejo ao surgimento de uma democracia;
b)   O Brasil adotou o modelo de total divisão de poderes, por terem seus colonizadores propósitos liberais e desenvolvimentistas em relação à Colônia;
c)   Não há uma clara especialização das funções dos órgãos públicos, o que não está em contradição  com o pensamento político vigente na época, principalmente no início do período colonial;
d)   Há uma clara especialização no exercício das funções públicas, sendo que para cada função era designada uma autoridade.