Buscar

RESUMO Neuro

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 3, do total de 14 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 6, do total de 14 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 9, do total de 14 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Prévia do material em texto

Neuroanatomia funcional 
Giovana Campos 
Tecido Nervoso 
Anatomia do neurônio: 
-Corpo celular: é o centro metabólico (centro 
trófico) do neurônio, responsável pela síntese de 
proteína, funciona como local de recepção de 
estímulos. 
-Dendritos: são especializados em receber 
estímulos, prolongamentos do neurônio que 
garantem a recepção dos estímulos, levando o 
impulso nervoso em direção ao corpo celular. 
-Axônio: são prolongamentos únicos 
especializado na condução de impulsos, que 
transmitem informações do neurônio para outras 
células (nervosas, musculares, glandulares). 
 
Tipos de neurônios 
-Unipolar: apenas um prolongamento 
-Bipolar: dois prolongamentos 
-Multipolar: diversas terminações 
-Pseudounipolar: falso unipolar 
 
Funções 
-Motores (eferentes): controlam órgãos efetores, 
como glândulas e fibras musculares. 
-Sensoriais (aferentes): recebem estímulos do 
organismo ou do ambiente. 
-Interneurônios:estabelecem conexões entre 
outros neurônios, formando circuitos complexos. 
Neuroglia 
Células do sistema nervoso central. 
-Astrocitos: fazem conexão dos neurônios com os 
capilares e a pia-máter (dois tipos 
protoplasmáticos e fibrosos). 
-Oligodendrócitos: formam a bainha de mielina, 
tem poucos prolongamentos. 
-Micróglia: fazem a fagocitose de lesões ou de 
infecções. 
-Ependimarias: revestem os ventrículos 
cerebrais, produzem, auxiliam e protegem (LCL). 
Células do sistema nervoso periférico: 
-Células de Schwann: formam a bainha de 
mielina do SNP. 
-Células satélites: regulam as concentrações do 
meio extracelular, protegem e sustentam, 
promovem um isolamento elétrico em torno do 
neurônio e constituem uma via para trocas 
metabólicas. 
 
Fibras nervosas 
-Uma fibra nervosa compreende um axônio e 
suas bainhas envoltórios, sendo a bainha de 
mielina o principal envoltório, podem ser ou não 
mielinizadas. 
-Um grupo de fibras nervosas formam os feixes 
ou tratos do SNC e os nervos do SNP. 
 
 
Neuroanatomia funcional 
Giovana Campos 
-As fibras nervosas organizam-se em feixes. 
–Cada feixe, por sua vez, é envolvido por uma 
bainha conjuntiva denominada perineuro. Vários 
feixes agrupados paralelamente formam um 
nervo. O nervo também é envolvido por uma 
bainha de tecido conjuntivo, chamada epineuro. 
Tipos de fibras: 
-A: maior diâmetro, mielinizadas. 
-B: médio diâmetro, mielinizadas. 
-C: menos diâmetro, não mielinizadas. 
 
 
Nervos 
-Não contêm os corpos celulares dos neurônios; 
esses corpos celulares localizam-se no sistema 
nervoso central ou nos gânglios nervosos, que 
podem ser observados próximos à medula 
espinhal. 
-Quando partem do encéfalo, são chamados de 
cranianos; quando partem da medula espinhal, 
denominam raquidianos. 
-Permitem a comunicação dos centros nervosos 
com os órgãos receptores (sensoriais) ou, ainda, 
com os órgãos efetores (músculos e glândulas). 
 
-Podem ser: 
-Sensitivos ou aferentes: quando transmitem os 
impulsos nervosos dos órgãos receptores até o 
sistema nervoso central; 
-Motores ou eferentes: quando transmitem os 
impulsos nervosos do sistema nervoso central 
para os órgãos efetores; 
-Misto: quando possuem tanto fibras sensitivas 
quanto fibras motoras. São os mais comuns no 
organismo. 
Gânglios 
- São acúmulos de neurônios localizados fora do 
SN. 
- São órgãos esféricos, protegidos por cápsulas 
de tecido conjuntivo e associados a nervos. 
- Conforme a direção do impulso nervoso, os 
gânglios podem ser sensoriais (aferentes) ou 
gânglios do sistema nervoso autônomo 
(eferentes). 
Divisões do sistema nervoso 
Anatômica: 
-SN central: encéfalo (cérebro e cerebelo) e 
medula espina (mesencéfalo, ponte e bulbo) 
-SN periférico: nervos (espinais e cranianos), 
gânglios e terminações nervosas. 
Funcional: 
-Sistema somático: aferente e eferente, 
motricidade voluntaria e consciente. 
-Sistema visceral: aferente e eferente, no 
eferente divide-se em autônomo (simpático e 
parassimpático) 
Embriológica: 
-Prosencéfalo: telencéfalo (hemisférios cerebrais) 
e diencéfalo (diencéfalo, nervo óptico e retina) 
-Mesencéfalo: mesencéfalo 
-Rombencéfalo: metencéfalo (cerebelo e ponte) e 
mielencéfalo (bulbo e medula). 
Sistema nervoso central: 
-Constituído por: cérebro, cerebelo e medula 
espinal. 
-O cérebro, o cerebelo e a medula espinhal 
mostram regiões brancas (substância branca) e 
regiões acizentadas (substância cinzenta) 
Bainha de mielina: facilita a passagem do 
potencial de ação, se não há bainha de 
mielina o potencial se propaga mais devagar, 
como no caso de quando sentimos dor. 
 
 
 
Neuroanatomia funcional 
Giovana Campos 
-Substância branca são axônio mielinizados, 
oligodendrócitos produtores de mielina, não 
contem corpos de neurônios. 
-Substância cinzenta: formada de corpos de 
neurônios, dendritos, a porção inicial não 
mielinizada dos axônios e células da glia. Na 
substância cinzenta têm lugar as sinapses do 
sistema nervoso central 
 
-É protegido por três envoltórios formados por 
tecido conjuntivo denso, denominados, como 
meninges. 
- Piamáter: localizada mais intimamente ao 
sistema nervoso, é impossível de ser totalmente 
removida sem remover consigo o próprio tecido 
nervoso, essa camada é altamente 
vascularizada. 
 
-Aracnóide: situada entre a Piamáter e 
Duramáter, é provida de trabéculas que permite a 
circulação do líquido cefalorraquidiano. 
 
-Duramáter: trata-se do envoltório mais externo e 
mais forte, constituída de tecido conjuntivo 
denso, continuo com o periósteo dos ossos da 
caixa craniana. A duramáter que envolve a 
medula espinhal é separada do periósteo das 
vértebras, formando-se entre os dois, o espaço 
peridural. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Sistema nervoso periférico: 
-Nervos, gânglios e terminações nervosas. Os 
nervos são feixes de fibras nervosas envolvidas 
por tecido conjuntivo. 
 
 
 
 
Neuroanatomia funcional 
Giovana Campos 
-Os nervos permitem a comunicação dos centros 
nervosos com os órgãos receptores (sensoriais) 
ou, ainda, com os órgãos efetores (músculos e 
glândulas). 
Sistema nervoso autônomo: 
-Está relacionada ao controle da vida vegetativa, 
ou seja, controla funções como a respiração, 
circulação do sangue, controle de temperatura e 
digestão, mas não se restringe a isso. É também 
o principal responsável pelo controle automático 
do corpo frente às modificações do ambiente. 
-Se divide em: 
-Sistema nervoso simpático (toracolombar). 
-Sistema nervoso parassimpático (craniossacral). 
- Normalmente as fibras nervosas dos sistemas 
simpáticos e parassimpáticos secretam dois 
neurotransmissores 
principais: noradrenalina e acetilcolina. 
 
-As fibras que secretam noradrenalina ativam 
receptores adrenérgicos, e as que secretam 
acetilcolina ativam receptores colinérgicos. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Sistema nervoso simpático: 
-Capta os estímulos/informações nervosas 
detectados nos órgãos ou no meio externo e, 
então, encaminha elas ao sistema 
nervoso central, podendo ser a nível de medula 
e encéfalo. 
- Os axônios dos neurônios simpáticos pré-
ganglionares constituem curtos nervos que saem 
da medula espinal pela raiz ventral, assim como 
os axônios dos motoneurônios espinais, e 
formam um pequeno feixe o ramo comunicante 
branco em direção aos gânglios simpáticos. 
- Os axônios dos neurônios pós-ganglionares são 
nervos longos que deixam os gânglios em um 
feixe denominado ramo comunicante cinzento, e 
se incorporam aos nervos mistos, se dirigindo 
aos seus territórios de inervação. 
-Portanto os nervos mistos podem ser encontrar 
fibras aferentes associadas a receptores 
sensoriais, fibras eferentes associadas a 
motoneurônios, mas também fibras eferentes 
simpáticas. 
 
 
 
 
 
Neuroanatomia funcional 
Giovana Campos 
Sistema nervoso parassimpático 
- Os neurônios parassimpáticos estão localizados 
em núcleos dos nervos cranianos no tronco 
cerebrale na medula sacral. 
- Para os nervos cranianos existem vários 
núcleos que contém as células pré-ganglionares. 
- Já as céulas pós-ganglionares estão localizadas 
em alguns gânglios como o pterigopalatino e 
submandibular. 
- O nervo vago inerva o coração, os pulmões, 
fígado, pâncreas e parte do trato gastrointestinal, 
do esôfago até a flexura esplênica do cólon, que 
a partir daí será inervada juntamente com a 
bexiga e os órgãos reprodutores pelos neurônios 
pré-ganglionares que percorrem os nervos 
pélvicos para os neurônios pós-ganglionares nos 
gânglios pélvicos. 
-O núcleo motor dorsal é, principalmente, 
secretomotor (ativa as glândulas), seu estímulo 
elétrico leva à secreção gástrica ácida além da 
secreção de insulina e glucagon pelo pâncreas. 
Já o núcleo ambíguo contém dois grupos: grupo 
dorsal (branquiomotor), que ativa os músculos 
estriados do palato mole, faringe, laringe e 
esôfago e o grupo ventrolateral, responsável pela 
diminuição da frequência cardíaca 
-Fibras aferentes viscerais: maioria dessas 
fibras leva informações que se originam dos 
receptores sensoriais das vísceras, entretanto, 
quase nunca esses impulsos chegam à 
consciência, pelo contrário, elas compõem o 
ramo aferente dos chamados “arcos reflexos”. 
Essas fibras geralmente liberam 
neurotransmissores de ação rápida como 
angiotensina II, substância P, colecistocinina, 
somastostatina e glutamato. 
-Nociceptores que cursam pelos nervos 
simpáticos, como os nervos esplâncnicos e levam 
a informação de dor visceral, causada pela 
distensão visceral excessiva, contração contra 
 
 
 
obstrução ou isquemia. Essas fibras chegam à 
medula por meio da cadeia simpática e além de 
ativar interneurônios locais para compor o arco 
reflexo, também ativam células de projeção como 
as do trato espinotalâmico levando o estímulo de 
dor para o cérebro. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Neuroanatomia funcional 
Giovana Campos 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Neuroanatomia funcional 
Giovana Campos 
Medula espinal 
-Transmite informações entre o cérebro e o 
corpo. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
-Intumescências: áreas que fazem conexão com 
a medula as grossas raízes nervosas que formam 
o plexo braquial e o lombossacral, destinados a 
inervação dos membros inferiores e superiores. 
-Na medula a substância cinzenta se localiza 
dentro da branca e apresenta uma forma de 
borboleta. 
-Cada lado apresenta três colunas anterior, 
posterior e lateral. 
-No centro encontra-se o canal central, resquício 
do tubo neural do embrião. 
-A substância branca é formada por fibras, sendo 
a maior parte delas mielinizadas, sendo que 
descem pela medula agrupadas em funículos. 
-Os filamentos radiculares se unem para formar 
as raízes ventrais e dorsais, essas duas raízes se 
unem para formar os nervos espinais. 
-Existem 31 pares de nervos espinais. 
 
 
 
 
 
1. Corno anterior 
2. Corno posterior 
3. Substância cinzenta intermédia 
4. Funículo anterior 
5. Funículo lateral 
6. Funículo posterior 
8. Fissura mediana anterior 
9. Sulco mediano posterior 
10. Canal central da medula 
11. Raiz anterior (ventral) do nervo espinal 
12. Raiz posterior (dorsal) do nervo espinal 
13. Gânglio sensitivo do nervo espina 
A substância cinzenta da medula é dividida em 
cornos ou colunas. 
 
8 segmentos cervicais, 12 segmentos torácicos, 5 
segmentos lombares, 5 segmentos sacrais, 1 
segmento coccígeo. 
 
 
 
 
Neuroanatomia funcional 
Giovana Campos 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
-Envolvida por meninges. 
-Dura-máter: mais externa, formada por fibras de 
colágeno. 
-Aracnoide: entre a dura e pia-máter, diversas 
trabéculas que se unem. 
-Pia-máter: é a meninge mais delicada e mais 
interna, ela adere firmemente ao tecido nervoso 
da superfície da medula. 
 
 
 
Tronco encefálico 
-Parte mais caudal do encéfalo. 
-Composto por: mesencéfalo, ponte e bulbo. 
-Bulbo: parte mais inferior do tronco cerebral e é 
continuo com a medula. 
-Sulcos e cruzamentos das pirâmides. 
-Abriga os núcleos de 10 dos 12 pares de nervos 
cranianos. 
 
 
1. Telencéfalo | 2. Mesencéfalo | 3. Ponte | 
4. Bulbo | 5. Cerebelo 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Neuroanatomia funcional 
Giovana Campos 
- O quarto ventrículo tem ligação direta com o 
tronco encefálico. 
-Colículos superiores: recebem informações da 
via visual. 
-Colículos inferiores: fazem parte da via auditiva. 
-Pedúnculos estabelecem conexões entre o 
cerebelo e o tronco encefálico. 
-Túberculos dos núcleos: grácil, 
cuneiforme e trigeminal. 
-Principal fonte de irrigação: artérias 
vertebrais e basilar 
-Todos os nervos exceto o olfatório e 
optico emergem do tronco encefálico. 
-Degussação das pirâmides: 
cruzamento das fibras do trato 
corticoespinal ou piramidal. 
-Olivas: por onde emergem os nervos 
cranianos. 
-Nervo toclear: único nervo que 
emerge da parte posterior do tronco 
encefálico. 
Bulbo 
-É a porção mais caudal do tronco encefálico. 
-Os quatro nervos cranianos inferiores também 
emergem da superfície anterior do bulbo. 
-Nervo hipoglosso, nervo vago, nervo 
glossofaríngeo e nervo acessório. 
-Pirâmides bulbar: formado por um feixe compacto 
de fibras nervosas que liga as áreas motoras do 
cérebro aos neurônios motores da medula espinal 
(trato piramidal ou corticoespinal). 
-Degussação: forma o trato corticoespinal lateral 
da medula. 
 
 
 
-Oliva: formado por uma grande massa de 
susbtância cinzenta. 
-Sulco lateral anterior: emergem as radículas do 
nervo hipoglosso. 
-Sulco lateral posterior: emergem as radículas que 
se unem para formar os nervos glossofaríngeo 
evago. 
 
 
-Nervo acessório: encontram-se caudalmente às 
radículas do nervo vago. 
-Fascículo grácil e cuneiforme: constituídos por 
fibras nervosas ascendete. 
-Tratos do bulbo: 
Motor: trato corticoespinal (piramidal) 
Sensitivos: fascículo cuneiforme, fascículo 
gracial, lemnisco medial, trato espinal do nervo 
trigêmeo, trato espinotalâmico, trato 
espinocerebelar, pedúnculo cerebelar inferior e 
fascículo longitudinal medial. Vias ascendentes 
 
 
 
Neuroanatomia funcional 
Giovana Campos 
 
 
 
 
 
 
 
-O bulbo também é atravessado pelo fascículo 
longitudinal medial (FLM), que conecta os núcleos 
dos nervos oculomotor, troclear e abducente e 
garante que os movimentos dos olhos sejam bem 
coordenados em relação ao estímulo visual. 
-Trato piramidal: trato motor voluntário, vai do 
córtex até a medula, onde faz sinapse com os 
corpos de neurônios motores inferiores inervando 
todo o sistema esquelético. 
-Lemnisco medial: faz sinapses com as fibras dos 
núcleos cuneiforme e grácil, que transmitem as 
informações somatossensoriais do corpo, passa 
do tálamo para o córtex somatossensorial 
primário. 
-Fascículo longitudinal medial: passa dorsalmente 
ao lemnisco medial. 
-Pedúnculo cerebelar inferior: substância branca 
que contém os tratos que conectam a medula 
espinal com o tronco encefálico e o cerebelo, 
carregam fibras somatossensoriais 
proprioceptivas, bem como fibras eferentes do 
cerebelo que regulam a postura e o equilíbrio do 
corpo 
-Trato espinal do nervo trigêmeo: transporta as 
informações sensitivas da face para o núcleo 
espinal do nervo trigêmeo 
-Trato espinocerebelar: carrega informações 
proprioceptivas do músculo esquelético para o 
cerebelo. 
 
 
-Trato espinotalâmico: transmite informações 
sobre dor, temperatura do lado contralateral do 
corpo até o tálamo, ao passar pelo tálamo as 
fibras continuam em direção ao córtex 
somatossensorial primário. 
 
 
 
 
Núcleos dos nervos cranianos 
-Núcleo ambíguo: núcleo motor que dá origem às 
fibras eferentes visceraisespeciais dos nervos 
glossofaríngeo, vago e acessório, para a musculatura 
estriada da laringe e da faringe. 
-Núcleo do nervo hipoglosso: nervo motor para a 
musculatura estriada da língua 
-Núcleo dorsal do nervo vago: núcleo motor 
parassimpático formado por neurônios pré-
ganglionares do nervo vago 
-Núcleos vestibulares inferior e medial: núcleos 
sensitivos que recebem fibras da porção vestibular do 
nervo vestibulococlear 
-Núcleo do trato solitário: núcleo sensitivo que 
recebe fibras aferentes viscerais gerais e especiais 
(relacionadas à gustação) dos nervos facial, 
glossofaríngeo e vago. 
-Núcleo do trato espinal do nervo trigêmeo: núcleo 
sensitivo que recebe fibras aferentes somáticas gerais 
com informações táteis da cabeça e do pavilhão 
auditivo 
-Núcleo salivatório inferior: núcleo motor que dá 
origem às fibras pré-ganglionares do nervo 
glossofaríngeo que inervam a parótida. 
 
 
 
 
 
Fascículo: é um conjunto de fibras 
nervosas pode conter um ou mais trato. 
Trato: feixe de fibras nervosas. 
Núcleo é um aglomerado de corpos 
celulares neuronais dentro do sistema 
nervoso central. Por exemplo, o núcleo 
dorsal do nervo vago contém os neurônios 
que controlam as funções motoras 
viscerais dos órgãos torácicos e 
abdominais 
Vários núcleos (substância cinzenta) são 
encontrados principalmente na parte dorsal 
do bulbo, enquanto os tratos (substância 
branca) passam principalmente pela parte 
ventral 
https://www.kenhub.com/pt/library/anatomia/olho
https://www.kenhub.com/pt/library/anatomia/olho
Neuroanatomia funcional 
Giovana Campos 
Núcleos do próprio bulbo 
-Núcleo gracial e cuneiforme: dão origem as 
fibras que cruzam para formar o lemnisco medial, 
constituem a primeira sinapse das vias sensórias 
pro córtex somatossensorial primário. 
-Núcleo olivar inferior: substância cinzenta 
referente a formação macroscópica das olivas, 
recebe fibras do córtex cerebral, da medula e do 
núcleo rubro (situado no mesencéfalo), liga-se ao 
cerebelo por meio das fibras olivocerebelares, 
envolvidas com a aprendizagem motora. 
-Núcleos olivares medial e dorsal: basicamente a 
mesma estrutura e função do núcleo olivar 
 
 
Centro respiratório 
-Grupo de núcleos localizados na ponte e no 
bulbo, composto por três partes: grupo 
respiratório dorsal, ventral e o centro 
pneumotáxico. 
 
 
-Grupo respiratório dorsal: responsável pela 
inspiração, papel mais fundamental da 
respiração, a maioria de seus neurônios 
encontra-se no trato solitário que recebe 
informações dos quimiorreceptores periféricos 
sobre a saturação de O2 no sangue. Ao receber 
essa informação, o grupo respiratório dorsal 
estimula o nervo frênico a contrair o diafragma, 
assim como os nervos espinais torácicos a contrair 
os músculos intercostais. 
-Grupo respiratório ventral: parte rostral do núcleo 
ambíguo e um pequeno núcleo satélite 
denominado núcleo retroambíguo, que se 
encontra caudalmente ao primeiro. Esses 
neurônios ficam inativos durante a respiração 
normal e não forçada. Porém, quando há 
necessidade de aumento da ventilação pulmonar, 
o grupo respiratório dorsal 
estimula o grupo ventral, que por 
sua vez estimula os músculos 
respiratórios acessórios. 
-Grupo Pneumotáxico: é 
encontrado dentro do núcleo 
parabraquial da ponte rostral e 
está conectado ao grupo de 
neurônios respiratórios dorsais. A 
principal função do centro 
pneumotáxico é “desligar” o sinal 
inspiratório do grupo respiratório 
dorsal, ditando assim o ciclo 
respiratório e a duração da 
inspiração. Dependendo das 
condições fisiológicas, o centro 
pneumotáxico permite uma 
inspiração de 0,5 a 5 segundos. 
 
 
 
 
 
 
 
 
https://www.kenhub.com/pt/library/anatomia/musculos-intercostais
https://www.kenhub.com/pt/library/anatomia/musculos-intercostais
Neuroanatomia funcional 
Giovana Campos 
Centro Vasomotor 
- Está localizado no centro vasomotor do bulbo. 
Sua função é coletar informações sobre a pressão 
arterial dos barorreceptores do corpo aórtico e 
iniciar uma resposta autonômica. 
-Estimular o sistema nervoso parassimpático 
através do nervo vago e influenciar a frequência 
cardíaca. 
-Iniciar a resposta vasoconstritora do sistema 
nervoso simpático através da medula espinal para 
controlar o diâmetro de todas as artérias, arteríolas, 
veias e vênulas do corpo. 
-Sendo composto por núcleos reticulares, 
divididos em três grupos: 
-Área vasoconstritora: fica na parte anterolateral 
do bulbo rostral e se conecta com os neurônios da 
medula espinal, que mais tarde contribuem para os 
nervos simpáticos periféricos que causam 
vasoconstrição sistêmica. A vasoconstrição é mais 
potente nos rins, pele, baço e intestinos, e muito 
menos potente no cérebro e nos músculos 
esqueléticos 
-Área vasodilatadora: fica na parte anterolateral do 
bulbo caudal. Os núcleos reticulares dessa área se 
conectam com a área vasoconstritora e inibem sua 
função quando necessário, causando vasodilatação 
sistêmica. Além disso, essa área estimula o nervo 
vago, que influencia diretamente a frequência 
cardíaca, diminuindo-a 
-Área sensitiva: fica dentro do núcleo do trato 
solitário e recebe estímulos barorreceptores do corpo 
aórtico via nervo glossofaríngeo. Os sinais desse 
núcleo são então enviados para a área 
vasoconstritora e vasodilatadora a fim de controlar sua 
atividade 
 
 
 
 
 
 
 
Ponte 
-Situada ventralmente ao cerebelo, repousa 
sobre a parte basilar do osso occipital e o dorso 
da sela túrcica. 
-O sulco basilar, que aloja a artéria basilar. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
https://www.kenhub.com/pt/library/anatomia/rins
https://www.kenhub.com/pt/library/anatomia/rins
https://www.kenhub.com/pt/library/anatomia/baco
https://www.kenhub.com/pt/library/anatomia/baco
https://www.kenhub.com/pt/library/anatomia/sistema-digestorio-digestivo
https://www.kenhub.com/pt/library/anatomia/sistema-digestorio-digestivo
https://blog.jaleko.com.br/cerebelo-anatomia-funcao-semiologia-e-as-sindromes-cerebelares/
https://blog.jaleko.com.br/cerebelo-anatomia-funcao-semiologia-e-as-sindromes-cerebelares/
https://blog.jaleko.com.br/cerebelo-anatomia-funcao-semiologia-e-as-sindromes-cerebelares/
https://blog.jaleko.com.br/cerebelo-anatomia-funcao-semiologia-e-as-sindromes-cerebelares/
Neuroanatomia funcional 
Giovana Campos 
Diencéfalo 
1-Talámo 
2-Hipotalamo 
3-Epitalamo 
4-Subtálamo 
 
1. Telencéfalo | 2. Tálamo | 3. Mesencéfalo 
4. Ponte | 5. Bulbo | 6. Medula espinal 
Tálamo 
-O tálamo é a principal porta de conexão das 
estruturas do sistema nervoso central com o 
córtex telencefálico (cerebral). 
-Todas as sensibilidades precisam passar pelo 
tálamo antes de serem processadas pelo 
cérebro, com exceção da sensibilidade olfativa. 
-Além das sensibilidades, há núcleos talâmicos 
relacionados com processamentos cognitivos 
(como a memória), motores, ativação cerebral e 
comportamento emocional. 
 
 
-Grupo lateral, medial, mediano 
• Corpo geniculado lateral e medial (núcleo 
geniculado lateral e medial) 
• Pulvinar do tálamo 
-A lâmina medular interna divide o grupo anterior, 
grupo medial e grupo lateral. 
-Grupo anterior: Integra o circuito de Papez, 
processamento da memória. Recebe informações 
dos corpos mamilares do hipotálamo e as enviam 
para o córtex do giro do cíngulo. 
-Grupo mediano: aderência intertalâmica possui 
conexões com o hipotálamo, relacionadas com 
funções viscerais. 
-Grupo medial: contém o núcleo medial dorsal 
que possui conexões com a amígdala cerebral e 
córtex pré-frontal, relacionado ao processamento 
do medo. Também há núcleos intralaminares, no 
interior da lâmina medular interna, com destaque 
para o núcleo centro-mediano, que integra o 
sistema de ativação cerebral: sistema ativador 
reticular ascendente (SARA) e também processa 
sensibilidades com envolvimento emocional 
 
 
 
 
 
 
 
Neuroanatomia funcionalGiovana Campos 
 
Hipotolámo 
-Constituído primordialmente por núcleos de 
substância cinzenta. 
-Age como um centro integrador da homeostase, 
regulando uma ampla gama de processos 
fisiológicos que incluem a termorregulação, a 
osmorregulação e a regulação das emoções. 
-Está ligado ao sistema nervoso autônomo 
-Conjunto com a glândula hipófise para modular a 
atividade endócrina de acordo com as 
necessidades fisiológicas do organismo. 
-Regulação do sistema nervoso autônomo 
-Regulação do sistema endócrino 
-Regulação da osmolaridade e quantidade de 
água no organismo 
-Regulação da temperatura corporal 
-Regulação do ritmo circadiano 
-Regulação do apetite 
-Regulação das emoções 
O hipotálamo estabelece conexões com o sistema 
límbico através de três vias principais 
-Fórnix: liga o hipocampo aos núcleos mamilares 
do hipotálamo. 
-Estria terminal: liga o corpo amigdaloide ao 
hipotálamo; 
-Feixe prosencefálico medial: liga a área septal ao 
hipotálamo. 
Epitálamo 
-Relacionada com a glândula pineal na produção 
de melatonina. 
-Conexão com o sistema límbico. 
Subtálamo 
-Conexões entre o córtex cerebral e os núcleos da 
base. 
 
 
 
-Parte transitória do diencéfalo e mesencéfalo. 
 
 
 
https://www.kenhub.com/pt/library/anatomia/hipofise
https://www.kenhub.com/pt/library/anatomia/hipofise

Outros materiais