Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
80 pág.
Estatuto da OAB

Pré-visualização | Página 14 de 17

deve ser concluído no prazo
máximo de noventa dias.
A jurisdição disciplinar, de natureza administrativa, é independente das esferas criminal e civil e,
portanto, não exclui a comum. Inclusive, quando o fato constituir crime ou contravenção, às
autoridades competentes devem ser comunicadas, de modo que poderá ocorrer a dupla punição do
advogado.
Os tramites aplicáveis aos processos perante a OAB devem observar as normas trazidas pelo
Estatuto da OAB, pelo Código de Ética e pelo Regulamento Geral.
Todavia, salvo disposição em contrário, aplicam-se, subsidiariamente, ao processo disciplinar as regras
da legislação processual penal comum e, aos demais processos, as regras gerais do procedimento
administrativo comum e da legislação processual civil, nessa ordem.
Todos os prazos nos processos em geral da OAB são de quinze dias, sejam eles necessários à
manifestação de advogados, estagiários e terceiros, inclusive para interposição de recursos. A
contagem dos prazos quando se tratar de comunicação por ofício reservado ou de notificação
pessoal, ocorrerá a partir do dia útil imediato ao da notificação do recebimento, já nos casos de
publicação na imprensa oficial do ato ou da decisão, o prazo inicia-se no primeiro dia útil seguinte.
Processo na OAB: Processo Disciplinar e Recursos. Tribunal de Ética e Disciplina
O processo disciplinar tramita em sigilo até o seu término, só tendo acesso às suas informações as
partes, seus defensores e a autoridade judiciária competente.
O processo disciplinar poderá ser instaurado de ofício, em função do conhecimento do fato, quando
obtido por meio de fonte idônea ou em virtude de comunicação da autoridade competente ou
mediante representação de qualquer autoridade ou pessoa interessada. A denúncia anônima não é
considerada idônea.
A representação poderá ser formulada por escrito ou verbalmente, devendo, no último caso, ser
reduzida a termo, e deverá ser dirigida ao Presidente do Conselho Seccional ou ao Presidente da
Subseção, sendo que nas Seccionais cujos Regimentos Internos atribuírem competência ao Tribunal de
Ética e Disciplina para instaurar o processo ético disciplinar, a representação também poderá ser
dirigida ao seu Presidente ou será a este encaminhada pelos Presidentes legitimados para recebê-la.
A representação deverá conter: a identificação do representante, com a sua qualificação civil e
endereço; a narração dos fatos que a motivam, de forma que permita verificar a existência, em tese,
de infração disciplinar; os documentos que eventualmente a instruam e a indicação de outras provas a
ser produzidas, bem como, se for o caso, o rol de testemunhas, até o máximo de cinco; a assinatura
do representante ou a certificação de quem a tomou por termo, na impossibilidade de obtê-la.
Processo na OAB: Processo Disciplinar e Recursos. Tribunal de Ética e Disciplina
A representação contra membros do Conselho Federal e Presidentes de Conselhos Seccionais é
processada e julgada pelo Conselho Federal. A representação contra membros da diretoria do
Conselho Federal, Membros Honorários Vitalícios e detentores da Medalha Rui Barbosa será
processada e julgada pelo Pleno do Conselho Federal. Já a representação contra dirigente de
Subseção é processada e julgada pelo Conselho Seccional.
Após o recebimento da representação, o Presidente do Conselho Seccional ou o da Subseção deverá
designar relator, mediante a realização de sorteio para presidir a instrução do processo e oferecer
parecer preliminar a ser submetido ao Tribunal de Ética e Disciplina. O regimento interno do Conselho
Seccional pode autorizar que os atos de instrução processual sejam delegados ao Tribunal de Ética e
Disciplina. Nesse caso, seu Presidente, também mediante a realização de sorteio, irá designar relator.
Distribuído o processo, o relator emitirá parecer de admissibilidade, no prazo de 30 (trinta) dias,
propondo a instauração de processo disciplinar ou o arquivamento liminar da representação. Os
Conselhos Seccionais poderão instituir Comissões de Admissibilidade no âmbito dos Tribunais de Ética
e Disciplina.
Cabe ao Presidente do Conselho ou ao do Tribunal de Ética e Disciplina, se for o caso, proferir
despacho declarando instaurado o processo disciplinar ou determinando o arquivamento da
representação, nos termos do parecer do relator ou segundo os fundamentos que adotar.
Admitida a representação e declarado instaurado o processo disciplinar, compete ao relator
determinar a notificação dos interessados para prestar esclarecimentos ou a do representado para
apresentar defesa prévia no prazo de 15 (quinze) dias, em qualquer caso.
Processo na OAB: Processo Disciplinar e Recursos. Tribunal de Ética e Disciplina
A defesa prévia deve ser acompanhada dos documentos e do rol de testemunhas, até o limite de 5
(cinco). O representante e o representado incumbir-se-ão do comparecimento de suas testemunhas,
salvo se, ao apresentarem o respectivo rol, requererem, por motivo justificado, sejam elas notificadas
a comparecer à audiência de instrução do processo.
Após, o relator poderá proferir despacho saneador, designando, se for o caso, audiência para oitiva do
representante, do representado e das testemunhas, mas também poderá se manifestar pelo
indeferimento liminar da representação, com remessa ao Presidente do Conselho Seccional para
decisão e determinação do arquivamento. Concluída a instrução, o relator profere parecer preliminar.
Em seguida, abre-se prazo comum de 15 (quinze) dias para apresentação de razões finais e encaminha
os autos devidamente instruídos ao Tribunal de Ética e Disciplina.
O Presidente do Tribunal de Ética e Disciplina designa, por sorteio, relator para proferir voto. Se o
processo já estiver tramitando perante o Tribunal de Ética e Disciplina ou perante o Conselho
competente, o relator não será o mesmo designado na fase de instrução. Após a distribuição, o
processo será incluído em pauta na primeira sessão de julgamentos.
Na sessão de julgamento, após o voto do relator, é facultada a sustentação oral pelo tempo de 15
(quinze) minutos, primeiro pelo representante e, em seguida, pelo representado.
Processo na OAB: Processo Disciplinar e Recursos. Tribunal de Ética e Disciplina
Do julgamento do processo disciplinar, lavrar-se-á acórdão, do qual constarão, quando procedente a
representação, o enquadramento legal da infração, a sanção aplicada, o quórum de instalação e o de
deliberação, a indicação de haver sido esta adotada com base no voto do relator ou em voto divergente,
bem como as circunstâncias agravantes ou atenuantes consideradas e as razões determinantes de
eventual conversão da censura aplicada em advertência sem registro nos assentamentos do inscrito.
A conduta dos interessados no processo disciplinar que se revele temerária ou caracterize a intenção de
alterar a verdade dos fatos, assim como a interposição de recursos protelatórios, sujeitam os
responsáveis à sanção.
O RECURSO é a manifestação dentro do processo disciplinar pela qual a parte vencida, quem se julgue
prejudicado ou, ainda, o Presidente do Conselho provoca o julgamento de órgão ou instância superior,
para obter a anulação ou reforma (total ou parcial) da decisão. Todos os recursos têm efeito suspensivo,
exceto quando tratarem de eleições dos órgãos, de suspensão preventiva decidida pelo Tribunal de Ética
e Disciplina, e de cancelamento da inscrição obtida com falsa prova e são dirigidos ao órgão julgador
superior competente, embora interpostos perante a autoridade ou órgão que proferiu a decisão
recorrida.
Cabe recurso ao Conselho Federal de todas as decisões definitivas proferidas pelo Conselho Seccional,
quando não tenham sido unânimes ou, sendo unânimes, contrariem esta lei, decisão do Conselho Federal
ou de outro Conselho Seccional e, ainda, o regulamento geral, o Código de Ética e Disciplina e os
Provimentos.
Além dos interessados, o Presidente do Conselho Seccional é legitimado a interpor esse recurso.
Processo na OAB: Processo Disciplinar e Recursos. Tribunal de Ética e Disciplina
Cabe recurso
Página1...1011121314151617