A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
TRIBUTÁRIO

Pré-visualização | Página 1 de 2

— TRIBUTÁRIO —
INTRODUÇÃO AO DIREITO FINANCEIRO:
NECESSIDADES PÚBLICAS:
UNIDADE 1:
- Necessidades Públicas: são necessidades gerais e coletivas, todavia nem
toda necessidade geral e coletiva é pública.
- Necessidades Públicas precisam da intervenção do Estado, ou seja,
necessidades coletivas que devem ser tuteladas pelo Estado através do
exercício de suas funções.
- Os governantes decidem o que é uma necessidade pública
- Órgãos políticos escolhem quais são os interesses coletivos.
>>> NECESSIDADES PÚBLICAS, POR FORÇA DE UMA DECISÃO POLÍTICA,
SÃO NECESSIDADES GERAIS E COLETIVA QUE DEVEM SER SATISFEITA
PELO PODER PÚBLICO
>>> NO MOMENTO EM QUE É DETERMINADO QUE ESSAS DECISÕES DEVEM
SER ATENDIDAS PELO ESTADO, NÃO SE FALA MAIS DE NECESSIDADES
GERAIS E COLETIVAS, MAS SIM NECESSIDADES PÚBLICAS.
- Essas necessidades devem ser estabelecidas pelo Direito Positivo -
Constituição ou legislação infraconstitucional.
- Constituição -> sua satisfação torna-se obrigação do Estado, que não
depende da previsão do legislador ordinário.
- Se carente de previsão constitucional específica e suficiente, sua satisfação
dependerá de alto nível de discricionariedade do legislador ordinário de cada
momento histórico.
- Quando não há recursos orçamentários para satisfazer todas as
necessidades sociais, cabe ao Estado priorizar a satisfação de uma parcela
dessas necessidades.
- Deve a Constituição estabelecer quais interesses sociais que cabe ao
Estado satisfazer, posteriormente a legislação infraconstitucional a ampliar ou
aperfeiçoar essas escolhas.
- Ex de Necessidades públicas: Saúde, segurança, energia, água…
- Cabe ao Estado, promover meios adequados para operacionalizar o
cumprimento desses objetivos, logo, ele precisa de recursos financeiros e precisa
desenvolver atividades voltadas para a obtenção, gestão e aplicação desses
recursos.
ATIVIDADE FINANCEIRA DO ESTADO:
- Atividade estatal que tem como objetivo gerir, obter e despender recursos
suficientes para a satisfação das necessidades públicas.
- É um instrumento político, econômico e jurídico que visa a captação de
recursos financeiros (receita pública) para o Estado, a sua administração
(gestão e controle) e sua aplicação (despesas públicas) nas necessidades
públicas - interesse coletivo.
- Pode ser feita pela exploração do próprio patrimônio estatal ou através das
prestações coercitivamente efetuadas por particulares (Tributos)
- Deve ser obtida somente por dinheiro
- A atv finan. não se esgota em si mesma, ela é desenvolvida em razão das
demais atividades estatais, para gerir recursos econômicos que possibilitem o
desenvolvimento dessas outras atividades financeiras do Estado.
CARACTERÍSTICA DA ATIVIDADE FINANCEIRA:
1. Desenvolvimento da atividade financeira por uma pessoa jurídica de
direito público:
- Para que seja caracterizada a atividade financeira do Estado, é
necessária a participação de um ente público em seu
desenvolvimento.
2. Conteúdo econômico: ATIVIDADE FINANCEIRA
- o conteúdo econômico se manifesta em razão da atividade
financeira ser desenvolvida em torno de recursos desta
natureza
3. Conteúdo Monetário: DINHEIRO
- o objeto econômico da atividade financeira é o dinheiro, daí o
conteúdo monetário ser característica fundamental da atividade
financeira
4. Instrumentalidade da atividade financeira:
- O Estado exerce uma atividade financeira, que visa a obtenção,
administração e o emprego dos meios patrimoniais que lhe
possibilitam o desempenho daquela atividade referente ao seu
fim.
>>> A atividade financeira não serve somente para custear a satisfação das
necessidades públicas, mas também desempenha um papel fundamental na
regulação da vida econômica e social do país através das intervenções que
provocam modificações nas estruturas econômicas e sociais existentes.
- O Estado usa o emprego da tributação como instrumento de custeio de
direitos sociais e diminuição da desigualdade social.
- Exemplos: SEBRAE - grandes empresas e médias pagam um tributo, cuja a
receita é destinada ao financiamento de programas voltados ao
desenvolvimento de micro e pequenas empresas
NORMA: Constituição Federal: art. 170, IX e 179.
TRIBUTO:
- Obrigações em DINHEIRO
- Tributo é a prestação em dinheiro exigida compulsoriamente, pelos entes
políticos ou por pessoas jurídicas de direito público, de pessoas físicas ou
jurídicas, com ou sem promessa de devolução.
- Com o objetivo de ganhar recursos para o financiamento geral do Estado
- Total caráter compulsório, justamente porque não decorre da vontade do
contribuinte, mas apenas da lei.
- BASE PARA PAGAMENTO DE TRIBUTO:
- Simples manifestação de riqueza do contribuinte;
- serviços específicos e divisíveis prestados pelos entes políticos;
- exercício efetivo do poder de polícia;
- realizações de obras públicas que impliquem na riqueza para os proprietários
de imóveis;
- necessidade de buscar meios para custear determinadas atividades
vinculadas a finalidades específicas previstas no texto constitucional
- Tributa-se porque há a necessidade de recurso para manter as atividades a
cargo do poder público ou interesse públicos, ainda que desenvolvidas por
outros entes.
- Obtenham receita de através de:
1. Imposto: arts. 145, I, 153, 154, 155 e 156
2. Taxas: Arts: arts. 145, II, e 150, V
3. Contribuição de melhoria: art. 145, III
4. Empréstimos compulsórios: art. 148
5. Contribuições especiais: art. 149 e 195
TRIBUTO X RECEITA:
-Não se confunde tributos com receita, pois receita, também compulsórias, são
multas por práticas de ato ilícito, com o objetivo de punir e não de poder fiscal.
___________________________________________________________________
SERVIÇOS PÚBLICOS:
- A atividade financeira do Estado serve para custear a satisfação das
necessidades públicas e é através dos serviços públicos que o Estado
materializa esta satisfação.
- Serviços Públicos é um conjunto de pessoas e bens, sob responsabilidade do
Estado ou de uma pessoa de direito público, pelo qual o Estado cumpre os
seus fins e atribuições visando à satisfação das necessidades públicas.
- É toda atividade administrativa ou de prestação direta ou indireta de serviços
à população, exercida por um órgão ou entidade da administração pública ou
pela iniciativa privada.
— A prestação indireta desses serviços se dá por meio de três dispositivos
legais: pela concessão, permissão ou autorização do poder público.
FAZENDA PÚBLICA:
- É a parcela do Estado responsável pela realização da atividade financeira do
Estado.
- Responsáveis pelas finanças do Estado, administradora de bens, dos
valores, das rendas e despesas públicas.
- Fundos: Tesouro Nacional
- Área da administração que trata das finanças públicas.
- Complexo de recursos e obrigações financeiras do Estado.
- Recursos que compreendem os direitos financeiros criados pela legislação e
consignados pelo Estado.
- obrigações financeiras, assumidas de acordo com a permissão da lei ou
prévia autorização do orçamento.
>> FAZENDA PÚBLICA NACIONAL:
- MINISTÉRIO DA FAZENDA/MINISTÉRIO DA ECONOMIA:
- Responsável: Ministro da fazenda ou ministro da economia
- Secretaria da Receita Federal: Órgão responsável pela arrecadação e
fiscalização da maior parte dos tributos de competência da União Federal.
- Sua maior fonte de receita.
- FAZENDA PÚBLICA ESTADUAL:
- Secretário de fazenda: compete nos limites das suas contribuições cometidas
pela Constituição e leis estaduais.
- FAZENDA PÚBLICA MUNICIPAL:
- Prefeito ou secretário de Finanças.
PRINCÍPIOS DO DIREITO FINANCEIRO:
- JUSTIÇA FINANCEIRA: São base desse princípios:
1. Capacidade contributiva: contribui-se para o Estado na proporção de sua
riqueza;
2. Custo benefício: adequação entre a receita e as despesas públicas;
3. Economicidade: minimização de custos e gastos públicos;
4. Desenvolvimento econômico: a atividade financeira não pode inviabilizar o
desenvolvimento econômico do país.
5. Non olet: (dinheiro não tem cheiro): o tributo

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.