A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
28 pág.
RELACIONAMENTO E COMUNICAÇÃO EM ENFERMAGEM

Pré-visualização | Página 1 de 5

RELACIONAMENTO
E COMUNICAÇÃO
EM ENFERMAGEM
P
O
R
T
F
Ó
L
I
O
POR CENTO
INTRODUÇÃO
A D M Í D I A | R E L A T Ó R I O A N U A L 0 4
Iniciaremos o nosso portfólio com uma resenha instrucional, onde o mesmo
foi solicitado pela docente Cosete Silva Rodrigues, no dia 21/10/2021 tendo
em vista, a proposta de mensurar a nossa compreensão a respeito da matéria
Relacionamento e Comunicação em Enfermagem. Dessa forma, as discentes
Lysiele de Oliveira Gonçalves Souza e Julyana dos Santos Nascimento
projetaram realizar o portfólio da seguinte forma: resumir as aulas
palestradas pela docente; resumir o crédito digital; finalizando com um
conclusão a respeito da proposta apresentada. Haja vista a comunicação e o
relacionamento é a capacidade de interagir, conviver e contatar pessoas por
meio de relações empáticas, tendo importância frente à produtividade e
qualidade do trabalho prestado entre a equipe de enfermagem.
 
Novembro 2021
Salvador, Ba.
Centro Universitário Estácio da Bahia -
Estácio Bahia
AULA 01 – DIA 16/08/2021
TEMA ABORDADO: APRESENTAÇÃO DA
DISCIPLINA + RELACIONAMENTO E
COMUNICAÇÃO.
COMPREENSÃO SOBRE O TEMA:
Na 1ª aula foi apresentado como seria o
decorrer do semestre, abordando o novo
modelo de educação (AURA). Logo, iniciando a
ementa e objetivo da disciplina relacionamento
e comunicação em enfermagem.
Percebe-se que, o comunicar é de extrema
importância para sabermos atender e entender
o paciente, sendo por linguagem verbal ou não
verbal. Dessa maneira, o “expressar-se” é
importante para adquirirmos a confiança do
paciente, e o mesmo abra-se para o processo
de desenvolvimento do relacionamento
terapêutico. Portanto, a comunicação é um meio
terapêutico no qual pode-se atender o paciente
onde expressamos algo ao paciente ou até
mesmo a equipe de trabalho, para
proporcionarmos uma assistência de qualidade.
 
Tendo em vista, uma melhor comunicação
no ambiente de trabalho facilita a
compreensão e resolutividade do processo
de desenvolvimento do relacionamento
terapêutico, de maneira mais objetiva e
rápida. Quanto maior compreensão e
clareza sobre os problemas a equipe de
enfermagem terá amplas dinâmicas de
resolução. É importante que ao longo do
processo o enfermeiro consiga desenvolver
dinâmicas de grupo, não só saber
relacionar-se para com o paciente. Para
podermos compreender a dinâmica do
relacionamento para com o outro, e a
equipe esteja coesa e preparada para as
situações adversas, isso, desenvolvemos
dinâmicas habilidosas para sabermos nos
comunicar para com a equipe e pra com o
paciente. 
 
O relacionamento intrapessoal diz respeito à
comunicação interna do indivíduo, o relacionamento
interpessoal corresponde à maneira com que nos
relacionamos com o próximo, sejam membros da
família, amigos, paciente e colegas de trabalho.
A comunicação está associada à linguagem e
interação, de forma que representa a
transmissão de mensagens entre um emissor
e um receptor. É uma ferramenta que
estabelecemos relacionamentos, aprendendo
e compreendendo o olhar do outro. Devemos
identificar a cultura do paciente, saber se o
paciente compreende o que esteja falando, se
está confortável, onde estabelece-se uma
relação de confiança, uma vez que através da
comunicação partilhamos informações e
adquirimos conhecimentos. A comunicação é
parte do tratamento do paciente e ficar
conversando com ele muitas vezes é o
próprio remédio.
AULA 02 – DIA 23/08/2021
 
TEMA ABORDADO: ELEMENTOS DA
COMUNICAÇÃO
.
COMPREENSÃO SOBRE O TEMA:
 
De acordo com “Silva (2002)” a
comunicação adequada é aquela que tenta
diminuir conflitos, mal-entendidos e atinge
objetivos definidos, para a solução de
problemas detectados na interação dos
pacientes” buscando orientá-lo para
tranquilizá-lo. Contudo, compreendemos
que, comunicação é um fator extremamente
importante para a Enfermagem. A
comunicação é um instrumento básico do
cuidado em enfermagem e essa ferramenta
está presente em todas as ações realizadas
com o paciente, seja para orientar, informar,
apoiar, confortar ou atender suas
necessidades básicas, desde o início da
entrada do paciente na enfermaria. 
Para que uma comunicação aconteça, são
necessários seis elementos: o emissor, o
receptor, a mensagem, o canal, o contexto e o
código. Sem eles, não existe comunicação.
Além disso, a função do enfermeiro não é
somente executar técnicas / procedimentos, é
ter em vista um melhor cuidado para com o
paciente, que utilize da habilidade do se
comunicar. É pela comunicação estabelecida
com o paciente, que podemos compreendê-lo
holisticamente, no seu modo de pensar, sentir e
agir. Logo, não é só o administrar
medicamentos ou realizar procedimentos pois,
o paciente é um ser biopsicossocial e não
devemos menosprezar a importância de uma
conversa, como já se foi abordado antes o
relacionamento terapêutico faz parte do
tratamento para com o paciente. 
AULA 02 – DIA 23/08/2021
 
TEMA ABORDADO: ELEMENTOS DA
COMUNICAÇÃO
.
COMPREENSÃO SOBRE O TEMA:
 
Dessa forma, a finalidade da comunicação
terapêutica é identificar e atender as
necessidades de saúde do paciente e
contribuir para melhorar a prática de
enfermagem, ao criar oportunidades de
aprendizagem e despertar nos pacientes
sentimentos de confiança, permitindo que
eles se sintam satisfeitos e seguros.
Comunicação terapêutica é a maneira correta
de aplicar a interação entre profissional da
saúde e paciente. Ela tem como meta tornar
o diálogo mais eficiente, de forma que o
paciente se sinta amparado e, ao mesmo
tempo, receba e entenda as orientações
A aula 03 dá continuidade à aula 02,
abordando os impactos e condições pré-
existentes na comunicação, na
comunicação interpessoal o emissor e o
receptor trazem consigo algumas
condições pré-existentes para a troca.
Estas condições podem influenciar tanto
a mensagem transmitida como o modo
como é interpretada. Entende-se por
comunicação verbal, serve para transmitir
informações entre indivíduos, tendo estas
informações um caráter informativo. Já a
comunicação não-verbal é caracterizada
pelo uso de gestos, da mímica, do olhar,
da voz e dos sinais paralinguísticos, da
organização espacial e da localização.
AULA 03 – DIA 30/08/2021
 
TEMA ABORDADO: CONTINUAÇÃO DA AULA 
ELEMENTOS DA COMUNICAÇÃO.
 
COMPREENSÃO SOBRE O TEMA:
:
 
Dessa forma, podemos utilizar de
algumas técnicas da comunicação dentre
elas: o silencio (o enfermeiro passa a
escutar mais o paciente); a aceitação
(onde compreendemos e aceitamos as
necessidades para com o paciente); o
reconhecimento (o enfermeiro percebe os
avanços do paciente e o estimula o
fazendo perceber que estamos vendo
todos os avanços no desenvolvimento
dele); o oferecer-se a si (é permitir ao
paciente reconhecer-se e aceitar-se
mesmo o enfermeiro estando ali
presente, mostrando o auto cuidado); a
abertura (dar a iniciativa ao paciente);
reforçar pistas (o enfermeiro encoraja o
paciente, dando estímulos). Essas, são
umas das adversas técnicas que o
enfermeiro pode utilizar como dinâmica e
desenvolvimento do processo
terapêutico.
O enfermeiro deve-se atentar ao modo de comunicação não verbal pois, ela qualifica interações
humanas por gestos, decodificações de sentimentos, onde capta-se de certa maneira o que
aquele indivíduo que nos falar. Esses sinais não-verbais podem ser utilizados para
complementar, substituir ou contradizer a comunicação verbal e também para demonstrar
sentimentos. Em caso de conflito entre a mensagem verbal e a comunicação não-verbal, a
mensagem não-verbal prevalecerá. Logo os aspectos relevantes para esta análise, encontram-
se o uso do espaço (proxêmica), o movimento nesse espaço (cinésica), a utilização do toque
(taxêmica), e a paralinguagem (modificação das características sonoras da voz). Com isso, a
comunicação não verbal confirmou sua importância no processo de comunicação, de modo a
torná-lo claro e efetivo e conseguir alcançar seu objetivo. Isso facilita a interação

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.