A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
18 pág.
ÀGUA NO BRASIL GRUPO

Pré-visualização | Página 1 de 4

SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO
PEDAGOGIA
cosme bispo dos santos
dione prestes moreira
eclesia de freitas pacó
leontina dias de souza santos
MARIA HELENA DE SOUZA
interdisciplinarIDADE DO ENSINO FUNDAMENTAL
EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL PROJETO 
ÀGUA NO BRASIL:
ABUNDÂNCIA, DESPERDÍCIO E ESCASSEZ
Porto Velho - RO
2015
cosme bispo dos santos
dione prestes moreira
eclesia de freitas pacó
leontina dias de souza santos
MARIA HELENA DE SOUZA
 interdisciplinarIDADE DO ENSINO FUNDAMENTAL
Trabalho Apresentado Ao Curso (PEDAGOGIA)da UNOPAR – Universidade Norte do Paraná, para a Disciplina 
ENSINO DA HISTÓRIA, ENSINO DA GEOGRAFIA, ENSINO DA MATEMÁTICA,ENSINO DE CIÊNCIAS NATURAIS E SAÚDE INFANTIL
Prof. CYNTIA SIMIONI FRANÇA, ÉRICA RAMOS MOIMAZ, ELIANE TEIXEIRA FRANÇA, FÁBIO LUÍS DA SILVA, RODOLFO EDUARDO VERTUAN.
Trabalho apresentado ao Curso de Pedagogia da UNOPAR - Universidade Norte do Paraná, para as disciplinas de Organização e didádica nos anos iniciais do ensino fundemantal, Ensino da História.Ensino da Geografia.Ensino da Matemática.Ensino de Ciências Naturais e Saúde Infantil.
Profs. Cyntia Simioni França, Érica Ramos Moimaz, Eliane Teixeira França,Fábio Luís da Silva,Rodolfo Eduardo Vertuan. 
Tutora eletrônica: Rosane de Assis Rodrigues.
 Tutor(a) de sala: Rejane Maria Schaefer Porto
Porto Velho – RO
 2015
Introdução
 A água é asubstância constituinte predominante da superfície da Terra e também primordial à vida. Sua molécula é composta por dois átomos de hidrogênio e um de oxigênio (H2O) e pode ser encontrada em três estados físicos: sólido (nas geleiras), líquido (nos oceanos, rios e lençóis freáticos), e gasoso (vapor d’água na atmosfera). Mas, atualmente, encontra-se em muitos lugares em estado qualitativo deplorável.Uma das maiores fontes de preocupação para cientistas e ambientalistas, é a disponibilidade de água potável para as futuras gerações. Camdessus et al. (2005 apud Pires 2009) estimam que ocorram 8 milhões de mortes ao ano por falta quantitativa e/ou qualitativa de água. A poluição compromete a qualidade da água tanto nos lençóis subterrâneos quanto em outras fontes, além de prejudicar também os ecossistemas marinhos. 
 A quantidade de água existente no planeta, sem considerar o vapor d’água, está concentrada nos oceanos e mares – aproximadamente 97%. Apenas 3% correspondem à água doce encontrada em rios, lagos, pântanos e, no estado sólido, em geleiras e icebergs. Dessa pequena quantidade, apenas 1% pertence aos rios, que são a principal fonte de consumo de animais, incluindo o homem, e o Brasil, possui 13,7% dessa água, sendo que a maior parte está nos rios da Amazônia. (Laurence, 2005) 
 A água é de fundamental importância para a vida de todas as espécies. Aproximadamente 80% de nosso organismo é composto por água. Boa parte dos pesquisadores concorda que a ingestão de água tratada é um dos mais importantes fatores para a conservação da saúde, elaauxilia na prevenção das doenças e proteção do organismo contra o envelhecimento.Porém, está havendo um grande desperdício desse recurso natural, além de seu uso ser destinado principalmente às atividades econômicas. Segundo Francisco (2012), “atualmente, 69% da água potável são destinadosà agricultura, 22% para as indústrias e apenas 9% usado para o consumo humano”. A poluição hídrica é outro fator agravante, os rios são poluídos por esgotos domésticos, efluentes industriais, resíduos hospitalares, agrotóxicos, eoutros elementos que alteram as propriedades da água. 
 A escassez de água atinge aproximadamente 40% da população mundial e cerca de22 países sofrem com sua falta. Osespecialistas temem que a falta de água possa ser motivo de guerras no próximo século. A revista britânica 'British Medical Journal' diz que, se, até 2032, não forem tomadas medidas urgentes, mais da metade da população mundial será atingida pela falta de água, com sérias consequências para a saúde.Portanto, precisamos pensar em nossas vidas, em nosso futuro, utilizando a água de forma racional, com economia e evitando desperdícios de qualquer tipo. Somente um consumo consciente pode evitar racionamentos futuros. 
 A ocorrência de águas superficiais deve-se a fatores como a estrutura geológica, o relevo, o clima e a vegetação, dentre outros. Esse importante recurso natural tido como solvente universal e por possuir outras propriedades específicas é utilizada para os mais variados fins, desde transporte, dessedentação de animais, irrigação, pesca, despejo e diluição de efluentes e esgotos, até o abastecimento humano, que requer melhor qualidade em seu uso. Porém, não tem recebido a devida consideração por parte dos que a utilizam. Suas fontes, cursos e mananciais, tanto superficiais quanto subterrâneos têm sofrido grandes impactos em função do desenvolvimento das atividades humanas.A qualidade das águas superficiais diz respeito à sua capacidade de sustentar os ecossistemas aquáticos e os usos humanos, como nadar e pescar.E de acordo com Barin (2009), armazenar água da chuva para limpar o quintal e regar as plantas é prática comum em época de rodízio no fornecimento de água. 
 Nas últimas décadas, tem-se recorrido cada vez mais aos recursos hídricos subterrâneos. A água subterrânea é aquela acondicionada e transmitida através dos solos, rochas permeáveis e fraturas de rochas impermeáveis. Essas rochas desempenham importante papel no ciclo hidrológico, visto que recebem e armazenam águas das chuvas através da percolação e abastecem os corpos hídricos superficiais, nas chamadas nascentes ou surgências.(Pires, 2009). 
 A água que infiltra nas rochas permeáveis forma bolsões, lençóis freáticos que são também chamados aquíferos.Eles têm água pura, sem poluentes ou contaminantes e pode ser utilizada para consumo, pois não necessita de tratamento.Esses aquíferos são explorados comercialmente como fontes de água mineral e até mesmo para abastecimento de prédios e residências.Porém, em regiões muito povoadas eles podem já estar sofrendo o efeito da contaminação decorrente da intensidade de deposição de resíduos e dejetos.
 O consumo de água per capita no Brasil multiplicou-se ao longo do século XX. Mesmo assim existem milhões de cidadãos sem acesso a água de qualidade, nem rede de esgotos. É necessário um investimento significativo neste setor, senão, em pouco tempo teremos o caos social derivado pela falta d'água. Já, nos outros países onde há falta de reservas de água o problema poderá ser realmente, gravíssimo no futuro próximo.
 
Desenvolvimento
ÀGUA NO BRASIL:
ABUNDÂNCIA, DESPERDÍCIO E ESCASSEZ
CONSUMO 
 
 As atividades humanas são as principais responsáveis pela degradação e redução da água. Para se ter uma ideia da quantidade de água utilizada na produção industrial, confira os dados abaixo: 
Produto / Quantidade de água utilizada para a produção 
	Microchip (2 g) 
	32 litros 
	Xícara de café (125 g) 
	140 litros 
	Folha de papel A4 (80 g/m2) 
	10 litros 
	Camiseta de algodão (250 g) 
	2.000 litros 
	Par de sapatos de couro 
	8.000 litros 
	1 kg de batata 
	160 litros 
	1 kg de arroz 
	1.500 litros 
	1 Kg de pão 
	150 litros 
	1 litro de leite 
	1.000 litros 
Fonte: Água 2. Francisco (2012). 
 De acordo com a Organização das Nações Unidas, cada pessoa necessita de 3,3 m³/mês (três metros e trinta centímetros cúbicos por mês) cerca de 110 litros de água por dia para atender as necessidades de consumo e higiene. No entanto, no Brasil, o consumo por pessoa pode chegar a mais de 200 litros/dia. Estudos sobre consumo e custos da água indicam que gastar mais de 120 litros de água por dia é desperdiçar recursos financeiros