A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Sistema Imune Inato

Pré-visualização | Página 1 de 2

A imunidade inata, também chamada imunidade natural ou imunidade nativa, está sempre presente em
indivíduos saudáveis, preparada para bloquear a entrada de microrganismos e eliminar com rapidez os
microrganismos que conseguem invadir os tecidos do hospedeiro. Caracteriza-se pela rápida resposta à
agressão, independentemente de estímulo prévio, sendo a primeira linha de defesa do organismo. É
determinada geneticamente. Os dois principais tipos de reações do sistema imune inato são: inflamação e
defesa viral (combate ao vírus). Essa imunidade não não produz anticorpos (não tem memória), ou seja, se
houver contato diversas vezes com o mesmo microrganismo, o sistema imune inato reage da mesma forma. 
MECANISMOS DE DEFESA
SISTEMA IMUNE INATOSISTEMA IMUNE INATO
Elaborado por Giovanna Nery Sanches
São responsáveis por impedir que o microrganismo consiga atingir regiões mais internas e,
assim, impedir o desenvolvimento de doenças. Exemplo: barreiras epiteliais. 
Barreira Física
É caracterizada por enzimas presentes na saliva, lágrimas e secreções nasais. Exemplo:
antibióticos naturais presentes nos epitélios. 
Barreira Química
Na imunidade inata, a primeira linha de defesa é fornecida pelas barreiras epiteliais da pele e dos tecidos de
mucosa, bem como pelas células e antibióticos naturais presentes nos epitélios, os quais atuam bloqueando a
entrada dos microrganismos. Quando os microrganismos de fato rompem os epitélios e entram nos tecidos ou
na circulação, vários outros componentes do sistema imune inato conferem defesa contra esses invasores,
incluindo fagócitos e células linfoides inatas, além de várias proteínas plasmáticas, como o sistema
complemento. Além de conferir a defesa inicial contra as infecções, as respostas imunes inatas são necessárias
para iniciar as respostas imunes adaptativas contra agentes infecciosos.
Patógenos que invadem o organismo deparam com substâncias solúveis da resposta imune
inata, como anticorpos, citocina e mediadores químicos. 
Moléculas Solúveis
Os leucócitos, ou glóbulos brancos, são as células responsáveis por atuarem no sistema
imunológico. 
Células
Imunológicas
Exemplo: proteína C-reativa (ambém conhecida por PCR, é uma proteína produzida
pelo fígado que, geralmente, está aumentada quando existe algum tipo de processo
inflamatório ou infeccioso acontecendo no corpo, sendo um dos primeiros
indicadores a estar alterado no exame de sangue nessas situações. Este exame não
aponta exatamente qual a inflamação ou infecção que a pessoa possui, mas um
aumento nos seus valores indica que o corpo está combatendo algum agente
agressor.
As principais interfaces entre o corpo e o ambiente externo – a pele e os tratos
gastrintestinal, respiratório e geniturinário – são protegidos por camadas de células
epiteliais que propiciam barreiras físicas e químicas contra infecções. Os
microrganismos entram em contato com os hospedeiros vertebrados,
principalmente nestas interfaces, por contato físico externo, ingestão, inalação e
atividade sexual. Todas estas portas de entrada são revestidas por um epitélio
contínuo constituído por células firmemente aderidas, formando uma barreira
mecânica contra microrganismos.
LEUCÓCITOS
Os leucócitos, também conhecidos como glóbulos brancos, são células incolores, de forma esférica quando em
suspensão no sangue e têm a função de proteger o organismo, agindo contra infecções, doenças, alergias,
resfriados e em algumas ocasiões podem atacar os tecidos do próprio corpo, originando doenças autoimunes.
São produzidos pela medula óssea, assim como os eritrócitos (hemácias) e, por isso, são consideradas
denominadas "células não-linfoides" ou "células mieloides".
PRODUÇÃO E ARMAZENAMENTO
É aquele que produz os componentes celulares do sistema imunológico, ou seja, a medula
óssea e o timo.
Tecido Primário
Responsável por armazenar as células do sistema imune. 
Tecido
Secundário
O timo é considerado uma glândula situado na parte anterior e superior da cavidade torácica, no
mediastino, em frente ao coração e atrás do esterno. Sua principal função é a maturação funcional dos
linfócitos T no qual tiveram sua produção inicial na medula óssea. 
Encapsulados: baço e linfonodos
Não encapsulados: tonsilas palatinas (amigdalas), apêndice, placas de peyer (são
agregados de nódulos linfáticos que constituem um componente principal do tecido
linfático associado ao intestino - GALT) e outros tecidos em contato com o ambiente
externo. 
Os leucócitos são classificados em dois grupos grandes:
CLASSIFICAÇÃO
Neste grupo, são encontradas as células que possuem grânulos. Esse grânulos, por sua vez, 
 contêm enzimas e outras substâncias que podem destruir os agentes infecciosos.
Granulócitos
São células que não possuem grânulos.Agranulócitos
Neutrófilos, basófilos, eosinófilos, mastócitos. 
Monócitos e linfocitos.
Existem diversos leucócitos que trabalham na defesa do organismo: 
CÉLULAS LEUCOCITÁRIAS E SUAS FUNÇÕES
Células fagocitárias (ingerem microrganismos e os destroem), que formam
armadilhas neutrofílicas (net) e neutralizam o agente invasor através da
secreção de substâncias químicas presentes nos grânulos. São as células em
maior número e as primeiras células a chegar no sistema imune inato
(presente no sangue). São capazes de formar o pus. São células dominantes
da inflamação recente (aguda). Os neutrófilos vivem somente algumas
horas nos tecidos, por isso são os primeiros respondedores, mas não
conferem defesa prolongada.
Neutrófilos
Elaborado por Giovanna Nery Sanches
Os neutrófilos podem ser chamados de polimorfonuclear devido ao seu núcleo ser
morfologicamente diferente
Localização das células
leucocitárias
Sangue Tecido
Neutrófilos,
eosinófilos,
basófilos,
linfócitos,
monócitos e
outras células
Mastócitos,
macrófagos,
célula
dendrítica
São especialmente importantes na defesa contra as infecções parasitárias
e, ainda, atua contra as alergias (asma). 
Eosinófilos
Secretam mediadores químicos, como heparina (anticoagulante), histaminas
(vasodilatadora nas alergias) e prostaglandinas (inicia o processo inflamatório).
Os produtos dos mastócitos conferem defesa contra helmintos e outros
patógenos, bem como proteção contra venenos de serpentes e insetos, além
de serem responsáveis pelos sintomas de doenças alérgicas.
Mastócitos
Responsáveis pela produção de anticorpos.Linfócitos
As células dendríticas são um tipo de célula apresentadora de antígeno, ou
seja, são responsáveis por identificar e "quebrar" os antígenos, que são
proteínas presentes na superfícies dos agentes infecciosos, e, em seguida,
apresentar para as células de defesa responsáveis pelo o combate da
infecção (linfócitos). São consideradas uma ponte entre a imunidade inata e a
adaptativa. Em resumo são células apresentadoras de antígenos.
Células
Dendríticas
As células NK (Natural Killer) são células tem a função de reconhecer as células
estranhas ao organismo, células infectadas por vírus ou com algum tipo de
alteração que possa levar ao surgimento de um câncer, participando
ativamente do mecanismo de vigilância imunológica.
Células NK
Reconhecem a integridade das membranas por uma molécula denominada HLA (antígeno leucocitário
humano). Além disso, células doentes podem secretar citocinas (denominadas interleucinas – IL), que
ativam as células natural killer.
Elaborado por Giovanna Nery Sanches
Durante o combate a uma infecção em nosso corpo, os basófilos liberam
duas importantes substâncias: a heparina, que é um importante
anticoagulante, e a histamina, que atua como vasodilatadora nas alergias. Os
basófilos correspondem as alergias mais "comuns".
Basófilos
São menos abundantes na circulação sanguínea do que os neutrófilos.
Também fagocitam microrganismos presentes no sangue e nos tecidos.
Durante as reações inflamatórias, os monócitos entram nos tecidos
extravasculares e se diferenciam em células chamadas macrófagos que,
diferentemente dos neutrófilos, sobrevivem nesses sítios por longos períodos
(infecção "antiga", ou seja, crônica). Assim,

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.