A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
104 pág.
APOSTILA GÁS NATURAL 1

Pré-visualização | Página 10 de 18

da formação da pressão a 
montante da formação de hidratos, queda na pressão a jusante desta e, por consequência, 
a diminuição da vazão. O monitoramento dessas variáveis, através de leitura de 
indicadores de pressão e de vazão , contribui para a identificação antecipada de 
eventuais problemas. 
Utilização de Pigs 
Para cada problema há sempre algumas soluções na cadeia produtiva de petróleo e gás 
natural. Os Pigs também são importantes na limpeza e manutenção dos dutos. O termo 
PIG vem do inglês, que significa porco, assim denominado por ser empregado na 
limpeza dos dutos. 
Podem ser de 2 tipos: 
PIGS limpadores 
PIGS separadores 
 
 PIGS limpadores 
Podemos simplificar a utilização dos pigs limpadores a 2 casos: 
1º) Necessidade de reduzir perda de carga 
2º) Necessidade de assegurar a qualidade do produto 
Nesse sentido, é possível ver que nas operações de limpeza de gasodutos, com a 
utilização do Pig os resíduos são removidos por estes. 
 
Métodos de dissociação de hidratos 
As ações devem ser sempre preventivas para minimizar os riscos da 
formação de hidratos, porém, quando ela se torna um fato, algumas medidas 
precisam ser tomadas urgentemente, que haja a dissociação, algumas delas 
são: 
 
 A descompressão, 
 
 
 Aquecimento 
 
 Injeção de inibidores de hidrato 
 
 
A partir desse raciocino vale destacar que o processo de aquecimento é considerado o 
mais eficiente, e por isso, também o mais utilizado em unidades de processamento de 
gás natural UPGN, além de ser utilizados também em atividades voltadas para a 
produção onshore ( em terra ). Há que se deixar claro, todavia, que em plataformas 
marítimas, essa técnica não é bem vinda, por conta da dificuldade da identificação do 
local exato do tamponamento do hidrato, não obstante, a inexistência de determinadas 
ferramentas técnicas comerciais para aquecimento localizados em linhas no fundo do 
mar, com águas consideradas ultraprofundas. 
Da forma como atualmente é concebida, a técnica de descompressão ainda é muito 
utilizada para dissociar o hidrato formado nos gasodutos, mesmo não sendo uma pratica 
vista como usual em unidades de processamento de gás natural. 
Inibidores da formação de hidratos 
O processamento apenas do gás seco.com seu ponto de orvalho, especificado em relação 
á água para as condições operacionais do sistema,a inda é o modo mais seguro para que 
seja evitado a formação de hidratos. Dessa forma, é possível evitar a presença da água 
no estado liquido nas mais diversas condições de pressão de temperatura do sistema. 
Contudo, diversas vezes ocorrem certos desequilíbrios em determinados momentos na 
unidade que provocam um aumento no teor de água do gás, e isso, possibilita a 
formação de hidrato. Neste caso específico, a temperatura mínima da linha pode ser 
abaixo da temperatura da formação de hidratos havendo a necessidade de injeção de 
inibidores preventivamente. 
 
Assim, o que se pode deduzir, é que vários produtos podem ser adicionados com a 
finalidade de baixar a temperatura de congelamento e formação de hidratos. Por 
questões práticas, um álcool, ou um glicol é injetado com tipo de inibidor: 
 Metanol, 
 Etanol, 
 Trietilenoglicol (TEG) 
 Dietilenoglicol (DEG); 
 Monoetilenoglicol (MEG). 
 
Ponto de injeção 
 
Com respeito ao inibidor de hidratos, ele tem como principal função de se combinar 
com a água livre reduzindo a temperatura que o hidrato se forma. É necessário que seja 
injetado na corrente gasosa antes que seja atingida a temperatura de formação de 
hidrato. Neste caso o ponto de injeção deve possibilitar maior dispersão possível no gás 
com a utilização de bicos nebulizadores. 
 
 Inibidor Bico aspensor 
 
 Tubulação 
 
 
 
 
 
 
 Cone cheio 
Figura ... Bico injetor de álcool em gasoduto 
 
 
GÁS 
TRATAMENTO DO GÁS 
 Introdução 
Nos tratamentos convencionais de derivados, a principal finalidade é extrair os 
compostos que trazem efeitos indesejados nos derivados. As impurezas mais 
especificamente, os compostos de enxofre, nitrogênio e oxigênio que estão presentes no 
petróleo, são formados durante o processo e por consequência também fazem parte dos 
derivados. 
Os processos de Tratamento Convencionais de Derivados contemplam todos os 
processos que tem como objetivo modificar ou remover os componentes que promovem 
alteração na qualidade dos produtos, sem modificar as características dos derivados. 
Neste caso, não ocorre modificação nos principais hidrocarbonetos que constituem os 
derivados, tendo em vista que, os compostos indesejáveis encontram-se em baixas 
concentrações em comparando com outros compostos hidrocarbonetos. 
Tratamento 
A exemplo que foi visto em relação aos contaminantes, na maioria dos casos, o gás 
natural dos campos de produção , vem composto por impurezas e umidade, assim, o gás 
natural precisa passar por um pré- tratamento, também denominado secagem do gás 
natural. Esse tratamento, normalmente realizado junto à jazida, é feito em Unidades de 
Processamento de Gás Natural (UPGN), resultando de um lado gás natural seco e de 
outro líquido de gás natural (LGN). 
Durante o processo de secagem do gás natural nas UPGN, normalmente, são removidos 
agentes contaminadores ou reduzidos os seus teores, com a finalidade de atender às 
especificações demandadas pelo mercado. Normalmente, esses tratamentos são muito 
eficazes, razão através do qual o gás natural seco (forma sob a qual é, normalmente, 
chamado de gás natural) é composto de uma mistura de metano e etano, com 
proporções altamente reduzidas em relação a outros hidrocarbonetos e de 
contaminantes. A proporção de metano nesta mistura normalmente é de 80 a 95%. 
Alguns compostos indesejáveis presentes nos derivados e suas fontes 
 
 Efeitos das impurezas sobre as propriedades do produto 
COMPOS EFEITOS INDESEJADOS 
H
2
S 
 
Tipo de odor muito desagradável, tóxico podendo até provocar uma 
paralisia da função respiratória; corrosivo, geralmente dá positivo nos 
teste de corrosão da lâmina de cobre; inibe a ação direta do antioxidante; 
Oxida formando o enxofre elementar e diminui a octanagem da gasolina. 
 
Enxofre Elementar 
 
É corrosivo e geralmente dá positivo nos teste de corrosão da lâmina de 
cobre; diminui a octanagem da gasolina, se mantém como um tipo de 
depósito nos botijões de GLP, enquanto estes estão sendo consumidos. 
 
Mercaptans 
 
Tipicamente tem um odor indesejado; não dá resultado positivo no teste 
de corrosão, porém corroem o cobre sem descolorir a superfície; 
provocam dissolução de elastômeros ( junto de vedação do sistema de 
combustível de aviação; o tiofenol é reagente a formação de goma. 
 
Sulfeto e Dissulfeto 
Compostos Cíclico 
de Enxofre 
 
 
 
 
 
Formação de SO
2
 e SO
3 
por queima; reduz a octanagem da gasolina. 
 
Composto 
Nitrogenados básicos 
 
 
Através de oxidação produzem determinadas alterações na cor dos 
derivados; parece influenciar a formação de goma, tendo em vista que, o 
nitrogênio surge em pequena quantidade na análise química da goma. 
 
 
Ácidos Naftênicos 
 
 
 
Pelo fato de serem compostos