A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
11 pág.
Melhoramento Animal Aplicado

Pré-visualização | Página 3 de 4

e condições ambientais diferentes, o BLUP
é essencial para estimar o VG. 
VANTAGENS: retira o viés gerado por efeitos ambi-
entais (efeitos fixos), leva em consideração a matriz
de parentesco e, por isso, já leva em consideração
todas as relações genéticas aditivas presentes.
produção do animal
média da população
coeficiente de regressão (acurácia)
Utilizado para ordenar os animais conforme o desemp-
enho em uma característica, a partir das informações do
animal, dos pais, irmãos e progênie.
VALOR GENÉTICO = desvio padrão do animal em
relação à média, indica seu valor ao ser usado como
reprodutor.
DADOS NECESSÁRIOS
VG = x (produção - média)
EBV = valor genético estimado
ACURÁCIA = correlação entre valor genético estimado
e verdadeiro valor genético. Varia de 0 a 1. 
Indica a confiabilidade do valor estimado e diz qual o
erro de predição.
É a raiz quadrada da herdabilidade (h), mas é calculada
diferente conforme a ligação com o indivíduo - pai, mãe,
irmão, meio irmão, filho.
Quando há multiplas fontes de informação (pais, filhos,
irmãos e meio-irmãos), é usado uma planilha no excel
que calcula a acurácia e o índice de cada fonte e a
fórmula será repetida para cada fonte.
EX: 
[acurácia x (produção - média) DO PRÓPRIO ANIMAL]
+ [índice x (produção - média) DA MÃE] + [índice x
(produção - média) DO PAI] + [índice x (produção -
média) DOS IRMÃOS] + [índice x (produção - média)
DOS MEIO IRMÃOS] + [índice x (produção - média)
DOS FILHOS]
Quando há mais de um indivíduo (ex: dois ou mais
irmãos), a produção é a média da produção do grupo
(média de produção dos irmãos - média da população)
ESTIMATIVA DE VGESTIMATIVA DE VGESTIMATIVA DE VG
OBS
SUMÁRIO DE TOUROS:
 
SUMÁRIO = melhoramento como um todo, para todo o
país, intuito menos comercial, mais transparente
CATÁLOGO = voltado para uma fazenda/empresa
privada, puramente comercial, menos transparente
devido o segredo industrial.
 
Publicado por empresas de pesquisa como a Embrapa,
a qual organiza e coordena a reprodução dos animais,
definindo o valor genético dos touros.
Fala a metodologia utilizada com a base genética a ser
utilizada.
- animais com acurácia pequena não sao incluídos
O valor genético é expresso por meio do PTA ou DEP
equivalem a metade do valor genético do reprodutor.
PTA = gado de leite
DEP = gado de corte
O cálculo para vacas é limitado pois vivem dentro de
um só rebanho e produzem menos filhote.
heterose ou vigor híbrido: há o cruzamento de raças
 produção X rusticidade: incorporação ou introgres-
são de novos alelos de outras raças
seleção dos animais na população
herdabilidade da característica
diferencial de seleção
△S = quanto os animais selecionados são melhores
que a média
△G = h² . △S
△S = i . σP
△G = h² . i . σP
△S = x̅S - x̅P
△G = progresso genético, diferença na média entre as
gerações
△S = diferença entre a média da população e a média
de uma parte selecionada da população, dentro da
mesma geração
σP = desvio padrão
h = acurácia do VG na seleção massal
Quando h² = 1, △G = △S
As quatro principais formas de realizar o melhoramento
são:
1.
2.
3.
Em uma distribuição normal de população, a média, a
moda e a mediana possuem o mesmo valor.
Nessa curva, a resposta à seleção é o deslocamento
da curva em que a média da nova geração é maior que
a média da geração anterior. Também pode ser
chamada de ganho genético e progresso genético.
O progresso genético depende de:
1.
2.
O diferencial de seleção depende da variabilidade
fenotípica (variância ou desvio padrão) e da intensidade
da seleção (mais rigoroso, mais intenso). 
baixa fertilidade
atraso na maturidade sexual
longo período de gestação
necessidade de muitos registros de produção
para tornar o animal elegível à seleção 
△G anual = h² . △S / L
L = intervalo entre gerações, idade média dos pais
quando nascem os filhos
Alguns fatores tendem a aumentar o intervalo entre
gerações, como
SE O INTERVALO ENTRE GERAÇÕES AUMENTA,
O GANHO GENÉTICO DIMINUI
Métodos de seleção que aumentam a acurácia podem
aumentar o intervalo entre gerações, como é o caso
do teste de progênie.
P = média + VG + E + sexo/fixos
Grupo de contemporâneo = animais com os mesmos
efeitos ambientais fixos (ex = nasceram no mesmo
ano, estação e mês, ordem de gestação, etc)
 
Seleção massal =
VG = (P - média) . h²
Predição de mérito genético = 
herdabilidade X desempenho 
h² = (P - média)
selecionando 100%, i = 0
selecionando 50%, i = 0,8. σP
Quanto maior a intensidade (i), maior o diferencial de
seleção 
OBS: esses valores são tabelados
EX:
x̅P = 90kg
σP = 10kg
h² = 0,3
selecionar 50% > i = 0,8
△S = 0,8 . 10 = 8kg
x̅S = x̅P + △S = 98kg
△G = h² . △S = 0,3 . 8 = 2,4kg
A próxima geração terá média de 92,4.
resposta à seleçãoresposta à seleçãoresposta à seleção
Os programas são contínuos e o número de fazen-
das colaboradoras é grande, logo, o número de
efeitos também é grande.
Grupos de contemporâneos são formados para que
animais sejam comparados com outros animais que são
criados em condições ambientais semelhantes ou com
características não-herdáveis semelhantes.
EX: animais do mesmo sexo, animais nascidos no mes-
mo mês/ano, animais criados em fazendas com
mesmos níveis de tecnificação, animais na mesma
ordem de lactação...
Os grupos de contemporâneos são importantes em
programas de melhoramento de todas as espécies, mas
são especialmente importantes em melhoramento de
bovinos, tanto de corte como leiteira.
Para determinar o desempenho de animais criados em
um rebanho A, usa-se a média de produção deste
rebanho. O problema é que mesmo todos os animais do
mesmo rebanho A não necessariamente terão esses
efeitos iguais, pois se os animais nascem em anos
diferentes pode ser que em um determinado ano ocorra
uma estiagem, ou em determinado ano haja recupe-
ração de áreas degradas, entre outros diferentes efeitos
que possam fazer com que apenas comparar o
desempenho de animais do rebanho A não seja o
suficiente para realizar uma comparação justa.
Assim, em bovinocultura os GC são criados fazendo
uma combinação de fazenda*/ano de
nascimento/estação de nascimento. Em um
programa de melhoramento existem centenas de
milhares de registros, formando centenas de GC
diferentes. O IDEAL É QUE OS GRUPOS TENHAM
TAMANHO GRANDE, COM O MAIOR NÚMERO
POSSÍVEL DE ANIMAIS, E PEQUENA
ABRANGÊNCIA, COM CONDIÇÕES DE AMBIENTE
MAIS HOMOGÊNEAS.
depende do volume de dados
mínimo = 3 registros
perde alguns dados, mas tem maior consistência,
eliminando estimativas ruins
Como são criados centenas de grupos de
contemporâneos, cada um desses GC tem que ter
seu efeito no desempenho estimado.
PRIMEIRO CRITÉRIO: escolher os efeitos 
SEGUNDO CRITÉRIO: tamanho do GC
OBS: uma estratégia usada para diminuir a perda do
volume de dados seria aumentar a abrangência dos
GC, ou seja, descartar algum efeito.
EX: 
rebanho + ano de nascimento + estação do ano >
rebanho + ano de nascimento
Ao excluir a estação do ano, temos menos GCs, mas
todos os animais serão incluídos em grupos, sem
perder dados.
PRÁTICAS QUE PODEM LEVAR À FORMAÇÃO
INCORRETA DOS GC:
1 - perfeita identificação dos grupos 
2 - tratamento diferenciado
3 - encurtamento da estação de monta
4 - controle seletivo
5 - distribuição das progênies ao longo da estação de
monta
grupos de contemporâneogrupos de contemporâneogrupos de contemporâneo
quantidade de leite
introduzir ou eliminar genes
melhorias anatômicas para melhorar a ordenha
etc
Holandesa
Jersey
Pardo-suíço
Gir Leiteiro
Girolanda (7/8 holandês)
Utilizado para melhorar a produção de leite, sendo que
o aspecto a ser melhorado pode ser:
Principais raças utilizadas na bovinocultura de leite:
Holandesa e Jersey = similar eficiência
Jersey = mais precoce, maior teor de sólidos no leite
Holandesa = leite mais fluido
MELHORAMENTO EMMELHORAMENTO EMMELHORAMENTO EM
BOVINOCULTURA LEITEIRABOVINOCULTURA LEITEIRABOVINOCULTURA LEITEIRA
Controle regularizado pelo MAPA.
Medição da produção leiteira feita a cada 30 dias. As
vacas são esgotadas no dia anterior ao controle. 
EUA = 50%