Buscar

CRIMES CONTRA A VIDA - HOMÍCIDIO part. 1

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes
Você viu 3, do total de 6 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes
Você viu 6, do total de 6 páginas

Prévia do material em texto

@sinarasbatista 
Crimes Contra a Vida 
ART. 121 AO ART. 128 DO CÓDIGO PENAL 
HOMICÍDIO 
11-08-2022 – aula 
 
Art. 121, CP – matar alguém. 
pena: 6 a 20 anos. 
1) Bem Jurídico (B.J) = tutela a vida extrauterina. 
Início da vida = pós-parto 
2) Sujeito ativo: qualquer pessoa, logo se caracteriza como crime 
comum. 
3) Sujeito passivo: ser humano com vida. 
 
Obs.: Especialidade 
Exemplos.: 
• Infanticídio; 
• Genocídio; 
• Lei 7170 – revogada pela Lei 14.197 
 
4) Tipo objetivo (T.O) 
 
Matar – de qualquer forma. Ação/omissão livre 
Alguém – “garantidor”. 
 
5) Tipo subjetivo (T.S): 
 
Dolo 
Animus Necandi 
@sinarasbatista 
 
6) Consumação: 
 
Material: Morte! 
Morte encefálica 
 
LEI Nº 9.434, DE 4 DE FEVEREIRO DE 1997. Lei de transplantes 
 
Tentativa: iniciada uma conduta, o delito não se consuma por 
circunstâncias alheias a vontade do agente. 
 
7) Privilegiado: Causa de diminuição de pena. 
 
Subjetivas – não se comunica art. 30. 
 
7.1) Relevante Valor Social: coletivo 
 
7.2) Relevante Valor Moral: Individual 
Ex.: matar o estuprador do filho(a). 
Atenção a proximidade com vingança! 
Obs.: Não tem atenuantes 
Residual – BIS IN IDEM 
 
Obs.: Ortotanásia – não é crime! 
 
 
7.3) Domínio de violenta emoção logo em seguida a injusta provocação 
da vítima. 
Ex.: traição. 
 
a) DOMÍNIO DE VIOLENTA EMOÇÃO 
b) LOGO EM SEGUIDA 
c) PROVOCAÇÃO INJUSTA 
 
Obs.: homicídio privilegiado é legitima defesa. 
• Agressão injusta 
• Reação com meios proporcionais e moderados 
http://legislacao.planalto.gov.br/legisla/legislacao.nsf/Viw_Identificacao/lei%209.434-1997?OpenDocument
@sinarasbatista 
• Agressão atual ou iminente 
 
Obs.: art. 65, CP atenuante 
➢ Influência 
➢ Ato injusto da vítima 
➢ Lapso temporal 
 
HOMICIDIO QUALIFICADO 
 
 
 
 
1) Motivo 
2) Meio/modo 
3) Qualidade da vítima – menor de 14 anos, feminicídio 
4) Instrumento do crime – arma de fogo de uso restrito 
 
§ 2º - Qualificado 
➢ Mediante paga ou promessa de recompensa/motivo torpe 
Homicídio mercenário 
Valor econômico 
 
@sinarasbatista 
 
Motivo subjetivo = em regra: não comunica! 
A quem se aplica a qualificadora? 
R= quem executa o crime. 
Motivo torpe: causa nojo, repulsa 
 
Obs.: vingança/ ciúme 
 
STF – MJ 473 
 
➢ Motivo fútil: insignificante, mesquinho... 
 
Obs.: ausência de motivo? 
 1ª Corrente – princípio da legalidade, não qualifica, não tem previsão 
em lei. - Bitencourt 
Art. 59, CP 
 
 2ª Corrente – proporcionalidade, razoabilidade, ponderação. 
➢ Meio: 
 
Veneno: Para qualificar, a vítima não pode ter conhecimento de que está 
ingerindo a substância venenosa. 
Executa
1ª corrente: não 
comunica poque é 
circunstancia subjetiva. 
Capes / Greco 
2ª corrente: comunica 
porque é elementar.
Damásio / Mirabete
@sinarasbatista 
Damásio de Jesus: toda substância que, introduzida no organismo, por 
intermédio de ação biológica ou química pode lesar ou causar a morte. 
 
Alergia? 
 
Obs.: ciência previa 
 
Obs.: É crime possível se a substância não puder causar a morte. 
Ex.: remédio digestivo 
 
Fogo/explosivo: O Código Penal, em seu art. 251, descreve o delito de 
explosão e prevê como conduta criminosa o ato de colocar vidas ou 
patrimônio em perigo, por meio de explosão, arremesso ou instalação 
de explosivos ou substâncias equiparadas. 
 
Asfixia: consiste em provocar a morte da vítima pelo impedimento da função 
respiratória, pode ser mecânica ou toxica. 
Ex.: esganadura, enforcamento, sufocamento 
 
Tortura: Causa intenso sofrimento físico. 
Intenção é torturar – se resultar em morte qualifica. 
Homicídio – meio: tortura 
Tem que estar vinculada a : prova, ação e motivo 
Lei 9455/97 
 
Meio Cruel: crueldade, bárbaro. 
 
Meio insidioso: o sujeito prepara armadilha, emboscada 
 
Meio que possa resultar perigo comum : risco a coletividade 
A ------ homicídio ------ B = risco a coletividade. 
@sinarasbatista 
 
 
➢ Modo: 
 
Traição: a traição e uma qualificadora objetiva, pois não decorre de mero 
parentesco ou amizade, mas sim do fato de o agente ter se aproveitado disso 
para matá-la em situação em que não podia se defender. 
Crime aproveitando a relação de confiança existente. Utilizando isso 
como entrada para a prática do crime. 
Ex.; relação de confiança entre casais com relacionamento afetivo, cônjuges, 
namorados etc. 
 
Obs.: 
Emboscada: é a tocaia, que ocorre quando o agente aguarda de forma oculta, 
velada, para atacar a vítima. 
 
Dissimulação: é a ocultação da intenção criminosa, de modo que o sujeito 
age de forma encoberta visando a enganar a vítima, a fim de pegá-la 
desprevenida.

Continue navegando